5 lições que podemos aprender com o curso Seis Sigma

Investir em um curso Seis Sigma é mirar na busca pela qualidade. E, diante da atual dinâmica de mercado, é extremamente comum — e necessário! — que as organizações estejam buscando constantes melhorias em suas operações internas.

Entre as diversas estratégias que visam tornar os processos organizacionais mais inteligentes e enxutos, uma das que mais se destacam é o Seis Sigma. Essa ferramenta se tornou popular em empresas de todos os portes e nacionalidades, graças à otimização obtida a partir de sua aplicação.

No post de hoje, abordaremos o significado e a importância desse conceito, além das principais lições que o curso Seis Sigma pode nos ensinar. Confira!

O que é Seis Sigma?

Também conhecida como Six Sigma, essa metodologia pode ser definida como um conjunto de práticas que visam identificar e implementar melhorias nos processos internos da empresa.

O Seis Sigma teve início em 1987 na Motorola e ganhou força em 1995, quando foi incorporado na gestão da General Electric. Apesar de ter surgido em grandes companhias, essa ferramenta pode ser adaptada às necessidades de qualquer negócio.

Seu nome vem da letra grega sigma, bastante utilizada em estatística. Já no meio corporativo, ela representa uma medida de variação que se refere basicamente à quantidade de dados apresentados que se encaixam nos critérios dos clientes.

Para medir e controlar todas as ações e setores da empresa, essa técnica trata a qualidade de maneira sistêmica. Os sigmas são uma forma de medir a qualidade das operações, sendo 1-sigma o nível mais baixo e 6-sigma o nível mais elevado de excelência.

Existem dois métodos principais de aplicação do Seis Sigma:

  • DMADV (Definir objetivo; Mensurar e identificar; Analisar; Desenhar detalhes; Verificar o projeto): indicada para projetos onde haverá a criação de novos processos, produtos ou serviços;
  • DMAIC (Definir o problema; Mensurar aspectos principais; Analisar os dados; Otimizar o processo, Controlar o projeto): comum em projetos que visam melhorar processos, produtos ou serviços já existentes.

Por se tratar de uma estratégia extensa e complexa, a melhor opção para se tornar um especialista no assunto e colocá-lo em prática é investir em um curso Seis Sigma. O treinamento pode variar de acordo com a área de atuação do profissional, indo desde o White Belt até o Black Belt.

Por que essa técnica é importante?

O Seis Sigma tem o objetivo de gerar impactos positivos em toda a organização, melhorando a qualidade do serviço prestado e, consequentemente, os resultados financeiros da empresa.

Sua importância no mercado é justificada pelos diversos benefícios que a técnica pode proporcionar. A General Electric é um famoso case que comprova seu sucesso.

Ao buscar alinhamento com os requisitos do mercado, o negócio passa a se posicionar de forma diferente perante a identificação e solução de problemas. Além disso, a própria cultura organizacional é modificada, focando em produtividade e excelência.

Um dos princípios do curso Seis Sigma é diminuir a variação dos processos. A partir da eliminação dessas operações falhas e que não agregam valor, é possível alcançar uma redução de custos bastante significativa.

Com a facilidade de identificar atividades falhas, a tomada de decisões é mais eficiente e menos arriscada. Outro ponto importante é a redução dos ciclos, que interfere diretamente na eficiência dos processos internos.

Porém, vale lembrar que um programa bem-sucedido depende de um bom planejamento e da estrutura adequada, além do suporte por parte dos líderes da corporação. Sendo assim, o curso Seis Sigma é um componente fundamental, pois esse treinamento fornece os conhecimentos necessários para seu desenvolvimento.

Quais lições podemos aprender com o curso Seis Sigma?

Um bom curso Seis Sigma é capaz de ensinar algumas lições essenciais para a implantação dessa ferramenta no ambiente de trabalho. Vamos conhecer algumas delas:

1. Desenvolver a estrutura adequada

O processo de implantação da metodologia não deve ser uma atividade extracurricular, mas sim um elemento relevante do sistema organizacional.

Nesse caso, o papel dos líderes da instituição é primordial, ao oferecer o suporte necessário.

Definir objetivos, elaborar um orçamento e estabelecer as formas de medição dos resultados são algumas das ações que devem fazer parte do plano.

2. Investir em treinamento apropriado

Para uma implementação de sucesso, não basta uma boa infraestrutura. O fator humano também deve estar alinhado a essa cultura.

Dessa forma, o curso Seis Sigma demonstra a importância de investir em treinamento apropriado. Por exemplo, a comunicação interna se torna muito mais fácil a partir do momento em que todos conhecem e utilizam vocabulário comum à metodologia.

Bons instrutores e personalização dos assuntos abordados são alguns pontos que merecem atenção.

3. Focar no sistema como um todo

Uma das habilidades necessárias aos projetos é a visão do sistema como um todo. Como cada uma das características do negócio estão relacionadas entre si, seria um desperdício concentrar-se em apenas uma delas.

Ou seja, cada ação deve ser avaliada de acordo com o impacto e custos que pode trazer para as outras CTQs (Características Críticas para a Qualidade).

Afinal, melhoria do sistema como um todo é mais importante do que a de um requisito individual.

4. Priorizar as necessidades particulares da empresa

O Seis Sigma conta com alguns conceitos básicos que podem se aplicar nas mais diversas operações. No entanto, existem ferramentas específicas que podem ser mais interessantes para algumas empresas em particular.

Logo, é necessário conhecer as características e necessidades do negócio, para que cada detalhe receba a devida atenção e a metodologia seja personalizada de maneira estratégica.

5. Saber coletar e gerenciar os dados

Um bom sistema de coleta e gerenciamento de dados é extremamente importante, pois ele determina a precisão das decisões tomadas.

Por mais simples que possa parecer, um ponto que merece destaque é que a qualidade dos dados é mais relevante que a quantidade. Ou seja, mais vale selecionar apenas as informações pertinentes do que utilizar todos os dados disponíveis.

Hoje em dia, atender plenamente as necessidades dos clientes não é somente um diferencial competitivo, mas também um requisito necessário para a sobrevivência de um negócio. Portanto, o curso Seis Sigma pode auxiliar o gestor nessa tarefa, promovendo melhorias nos processos internos, bem como nos produtos e serviços oferecidos aos consumidores.

Agora você já sabe quais são as principais lições que podemos aprender com o curso Seis Sigma, certo? Então, aproveite para conhecer as áreas empresariais em que essa técnica pode ser aplicada!

No votes yet.
Please wait...
0 respostas

Deixe uma resposta

Quer participar da conversa?
Deixe sua opinião! :)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *