Motivação no trabalho: como um líder pode influenciar seus funcionários?

Em qualquer empresa de qualquer setor, a produtividade está intrinsecamente conectada ao ânimo dos funcionários. Sendo assim, incentivar atitudes de motivação no trabalho é uma ação essencial para o aumento da produtividade e para a criação de um bom ambiente dentro da empresa.

E, entre as ações possíveis, é preciso contar com um líder capaz de exercer uma influência positiva nos seus funcionários, mantendo os níveis de satisfação e de motivação elevados.

Você sabe o que um líder pode fazer para manter a motivação da sua equipe? Continue lendo e descubra:

As causas de desmotivação no trabalho

Funcionários desmotivados são um perigo para qualquer empresa. Além de diminuírem drasticamente os níveis de produtividade, podem se tornar um problema real para o seu negócio.

A desmotivação sistêmica em uma empresa independe dos indivíduos. Isso significa que, em um ambiente no qual a motivação não é incentivada, qualquer funcionário poderá sofrer com isso, o que diminui drasticamente as taxas de retenção de empregados.

E isso resulta em uma grande dificuldade de desenvolver trabalhos de longo prazo, que dependam da dedicação da equipe e da melhor produtividade.

Existem algumas causas que podem levar a um ambiente desmotivador no trabalho, entre elas:

Falta de feedback dos superiores

Líderes que não interagem com os seus funcionários e que não fornecem algum tipo de retorno construtivo para o seu trabalho podem ser os responsáveis por um menor nível de motivação na equipe.

Nesse sentido, é essencial que os profissionais em posição de liderança deem aos seus funcionários um feedback constante sobre o trabalho executado, sempre de maneira construtiva e não agressiva.

Hoje, muitos gestores que se comportam como chefes — e não líderes — escolhem dar broncas, ser agressivos ou até mesmo se omitirem quando um funcionário se comporta de maneira inadequada ou não obtém um resultado esperado.

Esse tipo de comportamento de alguém em um papel de liderança demonstra falta de confiança na equipe, o que resulta em desmotivação dos funcionários.

Grandes líderes têm a capacidade e a competência de manter a sua equipe atualizada em relação ao seu papel dentro da empresa, fornecendo um feedback constante, e não apenas nas reuniões mensais.

Salário incompatível com a realidade do mercado

Uma questão delicada e muito importante para a motivação da equipe, o salário cumpre um papel essencial no crescimento e no desenvolvimento profissional de qualquer pessoa.

Mais do que uma compensação financeira pelo serviço prestado, o aumento de salário deve ser visto como o reconhecimento da evolução profissional dos funcionários.

Na impossibilidade da realização dos aumentos de salário a curto prazo, um bom líder deve encontrar maneiras de valorizar o trabalho da sua equipe. E, na falta de um reconhecimento financeiro, é preciso encontrar maneiras de demonstrar aos funcionários que o seu trabalho é visto de forma positiva, evitando problemas de desmotivação e de queda de produtividade.

Metas irreais

O estabelecimento de metas e de objetivos dentro de uma empresa é essencial para o bom andamento do trabalho de qualquer equipe. Metas auxiliam na visualização da produtividade, fazendo com que desvios possam ser corrigidos a tempo.

Porém, é essencial manter essas metas dentro da realidade da empresa. A equipe deve se sentir capaz de atingir os objetivos a partir da boa realização do trabalho e com a dose certa de esforço.

Metas fáceis de serem cumpridas têm como resultado a queda na motivação da equipe, uma vez que os funcionários percebem que não é necessária muita dedicação no trabalho para satisfazer os objetivos estabelecidos.

Já aquelas metas irreais e inalcançáveis possuem o mesmo potencial destrutivo da motivação no trabalho. Quando os funcionários percebem que, por mais que se esforcem e se dediquem, não atingirão de modo algum os objetivos traçados, a motivação tende a despencar, fazendo com que se sintam frustrados e incapazes.

Falta de reconhecimento

O reconhecimento do bom trabalho dos funcionários não se dá apenas com um bom salário. Obviamente, essa talvez seja uma das ferramentas mais objetivas na valorização da sua equipe, mas não se deve parar por aí.

O sentimento de crescimento dentro da empresa é essencial para a manutenção da motivação dos funcionários. E isso deve ser cultivado por meio de feedbacks positivos e da demonstração de que os empregados podem almejar posições de maior destaque.

Conflitos

A realidade de empresas fomentadoras de um ambiente interno competitivo está no passado. Antigamente, era bastante difundida a ideia de que toda ação visando o crescimento profissional era justificável. Hoje, mais vale um ambiente de cooperação mútua, visando o crescimento pessoal, profissional e da equipe.

Manter um bom ambiente é papel fundamental de um bom líder, que deve prezar por uma equipe colaborativa. Isso diminui drasticamente o número de conflitos internos, além de aumentar os níveis de confiança entre os funcionários, que podem sempre contar uns com os outros.

O papel do líder na motivação do funcionário

É um fato que muito do que apresenta uma equipe depende da gestão do seu líder. Isso quer dizer que o trabalho dos funcionários liderados é um claro reflexo das atitudes de gerenciamento de seu líder.

E um bom líder deve sempre ter como objetivo não apenas os lucros e os resultados, mas também a evolução e o desenvolvimento da sua equipe.

Ser um líder não é um papel fácil e não deve ser confundido com um papel de chefe, que transpassa um sentimento de poder, subordinação e hierarquização. Esse profissional, mais preocupado em chefiar do que liderar já está ultrapassado.

Líderes devem possuir uma integridade pessoal aguçada. A gestão de pessoas pode parecer insuportável para muitos chefes, pois o verdadeiro líder precisa ver os seus funcionários além dos números envolvendo lucros e despesas. Liderar é lidar com relacionamentos interpessoais, visando o desenvolvimento individual e da equipe.

Justamente por essa dificuldade de se exercer um papel tão complexo como esse, é muito comum encontrarmos, na maioria das empresas, muitos chefes e poucos líderes. Dito isso, é necessário evidenciar que, entre os diversos papéis de um grande líder, está a motivação dos seus funcionários, que pode ocorrer de várias maneiras.

A gestão de pessoas

Um dos principais papéis de um líder é saber gerir a sua equipe de funcionários não apenas como um conjunto de profissionais produtivos, mas sim como um grupo de pessoas. Para isso, é essencial que o líder saiba lidar com os conflitos pessoais, com os relacionamentos profissionais e com as expectativas e com os desejos de cada funcionário.

E a motivação da equipe depende diretamente da maneira como o líder gere os seus comandados. Cultivar um bom relacionamento entre todos os envolvidos é essencial para elevar os níveis de motivação, tanto individuais quanto da equipe como um todo.

A atenção individual

Um bom líder é capaz de reconhecer as virtudes e os defeitos de cada funcionário, tratando-o como um indivíduo único e dotado de habilidades importantes para a função que exerce dentro da equipe.

Da mesma maneira, cada funcionário possui as suas próprias expectativas e objetivos pessoais. As pessoas são complexas por natureza, tanto internamente quanto no convívio com outros.

Por isso, cabe ao líder saber identificar e auxiliar cada um dos seus funcionários. O tratamento individual demonstra cuidado e preocupação especial — atitude valorizada por qualquer profissional.

Ao despender uma parcela de seu tempo para ouvir os anseios e os desejos de cada funcionário de maneira individual, o líder tem a possibilidade de alinhar cada membro da sua equipe com as metas e com as necessidades da empresa. Isso faz com que os níveis de motivação aumentem tanto quanto a produtividade.

A delegação de tarefas

Delegar tarefas é uma atitude muito importante para a manutenção da motivação de uma equipe de trabalho — mas deve ser feita com cuidado e com um objetivo em mente.

Um bom líder não transfere responsabilidades, pois cada profissional possui as suas. O líder de verdade transfere a sua autoridade para os seus funcionários, fazendo com que eles se sintam motivados e capazes de resolver os problemas delegados.

Essa é uma atitude muito diferente da adotada pelos chefes, que transferem para os seus funcionários toda a responsabilidade pela execução de tarefas e pela resolução de problemas, culpando-os pelos possíveis erros que venham a ocorrer.

O peso da responsabilidade, muitas vezes, pode fazer com que o funcionário não renda o necessário para cumprir com as suas obrigações.

Dessa maneira, a delegação de tarefas deve ser encarada com o objetivo de fazer com que cada participante da equipe se sinta importante e possa colaborar na execução dos projetos sem nunca ser intimidado com a responsabilidade sobre o sucesso da empresa.

O feedback constante

Já citamos a importância do feedback anteriormente, e ele é uma ótima maneira de manter os funcionários motivados. Cabe ao líder assumir esse papel de fornecer para a sua equipe um feedback preciso, assertivo e bem direcionado.

Por meio desse retorno para os seus funcionários, o líder evidencia um bom trabalho realizado, além de poder corrigir possíveis falhas técnicas ou de comportamento, sempre instruindo e apresentando soluções.

Sempre que possível, o líder deve fazer os elogios em público, dando um feedback positivo que motive os outros colaboradores a receberem o mesmo retorno. Mais importante do que isso, todo e qualquer feedback deve ser sempre sincero, com o objetivo de desenvolver as habilidades do funcionário.

As estratégias para lidar com funcionários desmotivados

Um quadro de funcionários desmotivados leva a uma queda de produtividade, além de um ambiente de trabalho pesado e negativo. Antes de optar pela demissão desse profissional, um bom líder deve procurar entender a situação, evitando estragos ainda maiores.

Para isso, existem algumas dicas que podem ser seguidas, objetivando a resolução do problema em questão e a motivação do funcionário. Veja:

Dar feedback

O feedback é realmente uma ferramenta importante. Além de garantir um bom ambiente e a motivação dos funcionários, ele pode ser o responsável por guiar um profissional que esteja se sentindo perdido nas suas tarefas.

Muitas vezes, o simples diálogo entre o líder e o funcionário desmotivado é suficiente para dar um empurrão para o caminho da melhor produtividade. Ser claro e instrutivo é a melhor maneira de não deixar dúvidas entre os membros da equipe.

Acompanhar a equipe

Chefes repassam tarefas e aguardam resultados, sem ao menos buscar entender como funcionam os processos e como está o andamento deles. Já os verdadeiros líderes são aqueles que estão cientes de tudo que acontece no trabalho da equipe, atentos ao menor sinal de obstáculos.

Ao acompanhar os funcionários e demonstrar interesse pelo seu trabalho, líderes cativam a equipe, fazendo com que ocorra um aumento significativo na eficiência da equipe. Se o chefe não aparenta “ligar” muito para o trabalho que está sendo feito, há uma queda natural na motivação.

Valorizar os aprimoramentos

Muitas vezes, a empresa demanda dos seus funcionários uma melhora de rendimento. Mas de nada adianta pedir esse aprimoramento se, quando ele acontecer, a equipe não se sentir valorizada.

O esforço deve ser recompensado, nem que seja por uma simples palavra de apreço e de motivação. Mais uma vez, demonstrar a importância do trabalho da equipe é essencial para garantir um ambiente altamente motivado.

Traçar metas

Já falamos da importância do estabelecimento de metas realistas junto à equipe. Mas, tão importante quanto é a criação de metas para cada membro por meio de um acompanhamento individual.

Assim, o líder demonstra que entende as capacidades e os limites dos seus funcionários, sabendo exatamente quais objetivos eles podem alcançar. Construir essas metas em conjunto é essencial para que o profissional se sinta parte de um consenso acerca do seu próprio trabalho.

Compreender a situação

Antes de demandar, citar e indicar qualquer tipo de possível resolução, é fundamental deixar o funcionário desmotivado se expressar. Deixe que ele fale, dê os seus motivos e apresente as suas justificativas.

Quando o motivo apresentado pela queda no rendimento tem origem dentro da própria empresa, quaisquer um dos passos acima pode ser a solução. O líder deve sempre tentar encontrar a resposta para os problemas em conjunto com o seu funcionário, tornando-o parte do processo de melhora.

Mas, muitas vezes, os problemas são externos, de origem pessoal. E isso significa que há pouco o que se fazer internamente para a retomada do rendimento. Procure entender o lado emocional do seu funcionário e analise o que pode ser feito para ajudá-lo. Às vezes, uma simples flexibilização de horários e um ombro amigo são o suficiente para que ele retome a sua motivação em produzir.

Dar broncas

Essa não é a solução ideal e deve ser tomada com muito cuidado. Dependendo muito da situação e se esgotando todas as possibilidades listadas acima, é possível que uma bronca seja o suficiente para que a atitude do seu funcionário mude.

Este deve ser o caminho escolhido caso o colaborador não apresente motivos relevantes para a sua queda de rendimento e quando caminhos alternativos não se mostram suficientes. Porém, é sempre importante tomar muito cuidado para que a bronca não se torne uma ofensa. Às vezes, tudo o que o funcionário precisa é de uma boa chacoalhada para se motivar novamente.

Optar pela demissão

Caso nenhuma das alternativas anteriores tenha surtido efeito e o funcionário continue a demonstrar um comportamento inadequado, prejudicando o ambiente de trabalho, a demissão pode ser o único caminho.

O desligamento de funcionários por questões de motivação nunca é a melhor opção, mas, algumas vezes, pode ser a única alternativa. Por isso, é preciso analisar com calma e entender os reais motivos da queda de rendimento. É possível que o profissional apenas tenha se esgotado da empresa, fazendo com que a demissão seja a melhor opção para ambos.

A liderança lean: o segredo para mudar a sua empresa

Você já entendeu qual é a importância de um bom líder e o que ele pode fazer para aumentar a motivação entre os funcionários da sua equipe, correto? O que você talvez não saiba é que existe uma vertente específica de liderança que pode fazer muito pela sua empresa: a liderança lean.

A cultura lean, de origem do sistema Toyota de produção, é, resumidamente, uma filosofia que prega a redução de desperdícios e o melhor aproveitamento dentro de uma empresa. E o líder lean é essencial nesse processo.

Já citamos alguns tipos de liderança, que podem ser caracterizados em 3 estilos:

  • o chefe;
  • o que delega; e
  • o lean.

O 1º adota uma postura ditatorial, na qual deixa que claro para os seus funcionários que as tarefas devem ser feitas de acordo com o que ele pretende.

Já o líder que delega tarefas transporta para a sua equipe a responsabilidade e a autoridade da execução das tarefas. Para ele, os seus funcionários devem atuar de acordo com o que os mesmos acham correto.

Em contraponto aos 2 modelos, o líder lean é aquele responsável por guiar sua equipe na descoberta da melhor maneira de se executar o trabalho. Isso pode parecer simples, mas faz com que seja possível o surgimento de novos líderes dentro da equipe.

O autoconhecimento

Um dos pontos mais interessantes do conceito de liderança lean é que, antes de qualquer coisa, o líder deve buscar o próprio desenvolvimento antes de liderar uma equipe. Ele servirá de modelo para os outros funcionários, sempre atuando próximo à equipe.

Em modelos tradicionais de chefia e de liderança, características como carisma e boa oratória são suficientes para fazer com que outros funcionários sigam o seu líder. E o seu aperfeiçoamento se dá, simplesmente, pela cópia de comportamentos e de atitudes de líderes passados.

No modelo lean, é necessário incorporar valores, habilidades e características que fazem um bom líder capaz de exercer a sua liderança instintivamente. O caminho para se tornar líder é mais longo e exaustivo, mas forma profissionais muito mais capacitados e com uma forte base de atuação.

O desenvolvimento da equipe

O líder lean é aquele responsável não apenas pela produção e pelo rendimento da sua equipe, mas principalmente pelo desenvolvimento de cada profissional. No modelo lean, o líder age como um coach, capacitando vários outros funcionários.

Nesse sentido, a cultura lean aplicada dentro de uma empresa fará com que, naturalmente, surjam novos funcionários com características de liderança. O líder lean guia o profissional até o seu ápice de excelência, fazendo com que ele enxergue os seus defeitos e virtudes, trabalhando-os para que alcance posições de liderança e, então, possa continuar o ciclo com outros funcionários.

A melhoria contínua

No modelo tradicional de produção, os processos em que se baseiam as melhorias são mensurados numericamente. Dessa maneira, líderes e funcionários ganham continuidade na empresa apenas se esses indicadores se mantiverem ou melhorarem.

Já no modo Toyota, a ideia é promover, entre os funcionários e os líderes, os princípios de liderança por meio da análise de padrões, de objetivos e de processos. De maneira mais orgânica, o líder é capaz de identificar com maior facilidade onde estão pontos críticos, que merecem atenção e correção.

A melhoria contínua é, então, encravada na cultura da empresa, que busca atentamente observar discrepâncias nos processos produtivos. Com os objetivos a serem alcançados em mente, é possível corrigir desvios com maior atenção e cuidado.

A visão e o alinhamento de objetivos

Em qualquer empresa, 3 fatores devem ser levados em conta no estabelecimento de objetivos e metas:

  • a produção atual;
  • os resultados obtidos; e
  • os objetivos do negócio.

No modelo tradicional, os líderes devem ter uma visão crítica do negócio, adotando as práticas de mensuração e de estabelecimento de objetivos baseados em métricas e em dados crus.

Levando em consideração um sistema de meritocracia, os funcionários só são recompensados de acordo com os resultados obtidos, o que pode gerar séria desmotivação nos outros profissionais.

Já de acordo com a cultura lean da Toyota, o líder tem uma visão de conjunto, na qual os objetivos traçados e as tarefas executadas são baseadas em um processo de participação colaborativa.

Nesse sentido, como o líder lean atua próximo de seus comandados, a construção de metas e a execução processos é feita contando com a cooperação de todos, o que significa maior motivação dos funcionários e funcionamento mais orgânico da empresa.

A motivação no trabalho é um dos pontos-chave para o bom funcionamento de qualquer empresa. Nas mãos de um bom líder, as práticas certas podem trazer um grande aumento na produtividade, além de serem fundamentais para o estabelecimento de um ambiente saudável. Criar um sentimento de importância e de responsabilidade entre todos os colaboradores é a chave para alcançar os objetivos estabelecidos.

Você já teve algum problema de motivação com algum funcionário? Já passou por períodos de baixa produtividade? Quais práticas você adotou? Compartilhe a sua experiência no campo de comentários!

No votes yet.
Please wait...
0 respostas

Deixe uma resposta

Quer participar da conversa?
Deixe sua opinião! :)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *