metodologias de pesquisa

Metodologias de pesquisa: veja quais são as diferenças

Sempre que um estudo é realizado para fins de análise, é feita uma pesquisa prévia, que reúne dados pertinentes ao assunto. Posteriormente, essas informações são tabuladas e organizadas. Apesar de parecer simples, ainda existem muitas dúvidas a respeito das metodologias de pesquisa que podem ser utilizadas e qual é a melhor para cada ocasião.

No post de hoje vamos falar mais sobre as aplicações, as vantagens e, principalmente, as diferenças entre elas. Esse é um assunto muito importante para todos os envolvidos com a análise de dados e, portanto, tema relevante para pessoas que aplicam o Seis Sigma. Continue com a leitura para saber mais!

Quais são as metodologias de pesquisa utilizadas?

As metodologias adotadas para embasar um estudo são a pesquisa quantitativa e a pesquisa qualitativa. Ambas são importantes pois possuem características bem distintas. Abaixo vamos explicar melhor os dois métodos e fornecer exemplos práticos de como eles podem ser aplicados. Confira!

Pesquisa quantitativa

A pesquisa quantitativa é a mais utilizada, no geral. Ela busca identificar numericamente qual é a frequência e a intensidade do comportamento das pessoas participantes do estudo. Nesse caso, existe uma estrutura bem definida para a coleta de dados, utilizando perguntas claras e objetivas.

Exemplos bem comuns que podem ser citados: questionários e entrevistas individuais. Como as perguntas são bem direcionadas e as respostas são focadas em números, pode-se dizer que os resultados são bem precisos e se tornam muito úteis para um processo de tomada de decisão mais acertado.

Contudo, é necessário aplicar as ferramentas estatísticas de forma adequada, para que a confiabilidade das amostras não seja prejudicada e interfira nos resultados. Um exemplo bem comum de pesquisa quantitativa são os estudos eleitorais, que fazem o levantamento de quantas pessoas votariam no candidato “x”.

Pesquisa qualitativa

Já a pesquisa qualitativa está mais ligada à interpretação de comportamentos, motivações, expectativas e opiniões de uma população, por exemplo. Ela é considerada uma metodologia de pesquisa exploratória, ou seja, não existe a intenção de obter resultados numéricos, e sim ideias que ajudem a indicar o caminho correto sobre determinada questão.

Ambas as metodologias de pesquisa utilizam entrevistas, porém, enquanto a primeira busca resultados traduzidos em números, essa já contempla perguntas mais abrangentes, visando obter a opinião do indivíduo sobre algum tema, por exemplo.

Ou seja, de forma geral, podemos dizer que a pesquisa qualitativa é mais indicada quando existe a necessidade de compreender melhor a percepção que as pessoas têm do tema. Logo, se a pesquisa quantitativa tem o objetivo de identificar quantos eleitores um candidato terá, a qualitativa ajuda a compreender quais são as motivações que essa população possui ao escolher o voto.

Quais são as principais diferenças entre elas, afinal?

As definições, por si, já apontam algumas diferenças entre as duas metodologias de pesquisa — principalmente em relação ao objetivo final. Contudo, existem outras questões relevantes, que vale a pena citar. Confira:

Amostra

Na abordagem quantitativa, os resultados são projetados para a população, portanto utilizam amostras representativas, calculadas utilizando-se critérios estatísticos. Já na pesquisa qualitativa, os indivíduos da amostra geralmente são escolhidos de forma deliberada e a amostra é pequena.

Entrevista

A diferença principal está na forma como as entrevistas são conduzidas. Na pesquisa quantitativa, elas são feitas sempre de forma individual e os entrevistados são escolhidos de acordo com as características definidas.

Já na pesquisa qualitativa, não há um critério de escolha dos indivíduos e as entrevistas podem ser realizadas em grupo. Cada relato pode ser gravado, como podem ser feitas individualmente — de forma privada, chamada de “entrevista em profundidade”.

Questionário

Nesse caso, as diferenças se encontram na forma como ele é estruturado. Na abordagem qualitativa, o pesquisador segue um roteiro e as respostas dos indivíduos são registradas. Isso pode ser feito por meio de uma gravação do depoimento ou de anotação das respostas fornecidas.

A pesquisa quantitativa possui um questionário constituído por perguntas objetivas, o que faz com que haja uniformidade na análise das respostas fornecidas pelos entrevistados. Ou seja, o formulário é bem estruturado, com questões claras e de fácil entendimento.

Relatório

Nesse caso, a diferença está na apresentação dos resultados obtidos com as pesquisas. Na quantitativa, ele aponta as conclusões do estudo e a organização dos dados que foram obtidos — o que pode ser feito por meio de gráficos e tabelas, por exemplo.

Porém, a abordagem qualitativa considera as interpretações que foram feitas pelo pesquisador a respeito dos resultados e aponta as conclusões da entrevista que foi aplicada, organizando os resultados. Aqui, vale destacar a importância de escolher um pesquisador especializado no tema, para que essas interpretações sejam feitas de forma mais precisa e adequada.

O que vale a pena considerar ao realizar uma pesquisa?

Ao adotar uma — ou ambas — metodologia de pesquisa, é necessário criar um planejamento, pois é ele que vai direcionar a pesquisa. Veja alguns aspectos que devem ser definidos:

  • Quais são objetivos da pesquisa? O que se espera alcançar com ela?
  • Os indivíduos que serão entrevistados e o tamanho da amostragem estão definidos?
  • Qual será o local da coleta de dados? Por exemplo: em uma escola, um bairro, dentro de uma empresa, etc.
  • As informações coletadas com a pesquisa são suficientes para que, na hora da tabulação, ofereçam os dados necessários e esperados? Ou é necessário incluir outros fatores na pesquisa e questionário?
  • Com as respostas que serão obtidas por meio do questionário será possível alcançar os objetivos esperados? Ou é necessário fazer algumas melhorias?

As respostas a essas perguntas podem ajudar a escolher o método mais adequado. Além disso permitem avaliar se a estrutura criada é capaz de suprir a demanda, ou se ajustes são necessários.

Como você pode ver, as metodologias de pesquisa — qualitativa e quantitativa — apresentam diferenças bem significativas entre si. Contudo, é um erro pensar que essas abordagens são excludentes.

Como cada uma possui métodos e fornecem resultados distintos, elas podem ser utilizadas como estudos complementares. Ou seja, é possível saber o grau de satisfação dos clientes com relação a um produto, ao mesmo tempo em que se avalia a opinião e o fator decisivo que influencia no número final, por exemplo.

Esses assuntos são muito discutidos nos cursos de Green Belt, onde a análise e coleta de dados é uma habilidade importante.

De que maneira analisar os dados de uma pesquisa?

Coletar as informações mais relevantes e escolher o público adequado para participar de uma pesquisa são ações fundamentais para que os resultados auxiliem uma organização, por exemplo, a adotar procedimentos para melhorar a qualidade dos serviços.

Por outro lado, a escolha das iniciativas para se aproximar dos clientes apenas será a ideal, caso haja uma análise criteriosa dos dados.

Você deve estar com dúvidas sobre como fazer esse trabalho. Pensando nisso, vamos mostrar os passos necessários para a análise das informações ser realizada da melhor maneira possível. Acompanhe!

Elaboração das perguntas

Imagine que você deseja fazer uma pesquisa com estudantes de uma escola sobre a qualidade do ensino, envolvendo aspectos como didática dos professores, equipamentos disponíveis, entre outros.

As perguntas possuem relação direta com o assunto abordado. Porém, você esqueceu de um detalhe: verificar se é viável analisar as informações de forma simples e eficiente.

Para não enfrentar esse tipo de problema, uma boa alternativa é estudar como as respostas podem ser avaliadas antes de lançar um questionário.

Com essa iniciativa, você vai fazer uma pesquisa que estará mais alinhada com os objetivos a serem alcançados. Além disso, terá mais facilidade em apresentar e comprovar os resultados.

Formação de grupos

As suas perguntas estão de fácil compreensão? Isso é essencial para avaliar o conteúdo fornecido pelos participantes.

Porém, você pode avaliar melhor o comportamento do público-alvo se optar por dividi-lo em grupos. É possível fazer uma segmentação considerando algumas características, como:

  • idade;
  • sexo;
  • renda familiar;
  • grau de escolaridade;
  • cidade;
  • e bairro.

Com essas informações, o estudo vai orientar um estabelecimento comercial a como se relacionar com os diferentes tipos de consumidores. Assim, é possível usar as melhores estratégias para aumentar as vendas

Formato das informações

Como os dados fornecidos pelos participantes podem ser analisados com mais facilidade? Essa pergunta deve ser feita para que você avalie como as informações podem ser mais bem exploradas.

Dependendo do tipo de pesquisa, os dados podem ser inseridos em tabelas, gráficos e textos. À medida que você simplifica a visualização das informações, maiores são as chances de analisá-los com eficiência e precisão.

O importante é fazer com que as informações sejam de fácil compreensão e possam ser aproveitadas para promover melhorias em uma empresa, por exemplo.

Avaliação do conteúdo

Fazer perguntas bem-estruturadas, escolher corretamente o público-alvo e adotar as medidas necessárias para formatar os dados são essenciais para uma pesquisa de boa qualidade.

Além dessas iniciativas, é indicado ter um olhar atento sobre as informações disponíveis. Depois de concluir a coleta, observe os dados gerais. Caso esteja estudando uma pesquisa de satisfação, verifique os aspectos mais bem avaliados e os que apresentaram um desempenho ruim.

O próximo passo é fazer uma comparação sobre os itens pesquisados. Essa medida vai ajudá-lo a compreender os resultados e a justificá-los com mais consistência. Além disso, vai permitir analisar o comportamento do público-alvo de maneira mais eficiente e prática.

Outra ação interessante para avaliar o resultado de uma pesquisa é separar as respostas por grupos. Fazendo isso é possível encontrar tendências que variam de acordo com características dos pesquisados, como idade, renda e sexo.

Esse tipo de procedimento é bastante comum em pesquisas de consumo, em que são verificados os aspectos que fazem as pessoas adquirirem um produto em detrimento de outros.

Os resultados desse estudo possibilitam que uma empresa possa fazer uma estratégia de divulgação de uma mercadoria, variando o conteúdo e os meios de divulgação de acordo com o segmento do público que pretende atingir.

Análise das perguntas abertas

Algumas pesquisas apresentam questionamentos que proporcionam uma maior liberdade para os participantes expressarem a opinião sobre o objeto do estudo. Isso acontece quando são formuladas perguntas abertas, que exigem um trabalho de análise bem minucioso.

Um dos motivos é a necessidade de ler todas as respostas e compreendê-las com o máximo de exatidão possível. Esse procedimento é vital para que as informações mais relevantes sejam devidamente avaliadas.

Por exemplo, imagine que um restaurante faça uma pesquisa que tenha uma pergunta sobre como os serviços podem ser aperfeiçoados. Nesse caso, é necessário verificar as sugestões mais comuns dos consumidores e as que podem agregar uma melhoria na performance do estabelecimento.

Esse mecanismo de trabalho também deve ser adotado em relação aos questionamentos sobre os pontos negativos do estabelecimento. Ao ter essas informações devidamente organizadas, o proprietário terá mais segurança na implantação de medidas que vão minimizar os erros.

Quais os tipos de pesquisa mais utilizados?

Para você empregar a melhor maneira de avaliar os dados, pense o tipo de estudo que será utilizado. Abaixo, estão modalidades de pesquisas, que podem ser qualitativas ou quantitativas:

Pesquisa Acadêmica

Possui relação com uma instituição de ensino superior e conta com a participação de professores e de estudantes universitários. O conteúdo abrange uma disciplina que esteja sendo pesquisada pelo aluno. Se você pretende se matricular em uma graduação ou pós-graduação no futuro, fará, provavelmente, esse tipo de trabalho na conclusão do curso.

Pesquisa de Mercado

É utilizada para verificar se é viável um empreendimento (loja, casa de shows, restaurante, etc.) ser lançado em uma determinada região. Também coleta dados da concorrência para avaliar o que deve ser feito para atrair o público-alvo e aumentar as vendas.

Em um momento de instabilidade econômica, é importante contar com informações valiosas para planejar abrir um negócio e obter os resultados esperados. Caso esteja em uma empresa que pretenda expandir as ações, recomende essa modalidade de pesquisa.

Pesquisa Laboratorial

Tem como característica englobar situações que são monitoradas. Os estudos podem ser feitos em laboratórios (locais fechados) e também ao ar livre. Para chegar ao resultado desejado, as pesquisas laboratoriais precisam ser feitas em um ambiente que possa ser devidamente controlado.

Pesquisa de Campo

Além de trabalhar com a observação de acontecimentos e fenômenos, faz uma coleta de dados sobre a realidade do objeto da pesquisa. Todas as informações são interpretadas a partir de uma fundamentação teórica. Esse procedimento tem como objetivo encontrar soluções relativas ao tema do estudo.

Pesquisa Teórica

Os trabalhos consistem em analisar uma teoria e apontar como ela está inserida no contexto atual. Os artigos científicos são um exemplo de como esse estudo pode ser realizado.

Se você deseja trabalhar com metodologias da pesquisa e obter um excelente desempenho, baixe agora mesmo este e-book sobre 7 ferramentas da Qualidade. O conhecimento é crucial para inovar e se aperfeiçoar a cada dia!

Rating: 4.8/5. From 4 votes.
Please wait...
0 respostas

Deixe uma resposta

Quer participar da conversa?
Deixe sua opinião! :)

Deixe uma resposta