Roteiros para o Six Sigma: QC Story

 Roteiros para o Six Sigma: QC Story

roteirosMuitos roteiros foram desenvolvidos ao longo dos anos para se trabalhar com melhorias de processos e produtos. Neste artigo listaremos os mais importantes e que foram selecionados pelo livro “Modelo de Melhoria”, o qual foi traduzido pela equipe EDTI:

O roteiro escolhido para este artigo é o QC Story, desenvolvido no Japão pelo Union of Japanese Scientists and Engineers (JUSE) Research Comitee.

 QC Story

O método QC Story (ou estória da melhoria da qualidade) tem sido amplamente utilizado pelos Círculos de Qualidade para documentar sua trajetória nos projetos de melhoria. Ter uma estrutura e uma linguagem comuns ajuda as pessoas que trabalham em um projeto a contar sua “história” para os gestores e outras partes interessadas no projeto. Há sete passos para “contar” a QC Story:

1) Situação: identifique o problema ou oportunidade de melhoria (plano e definição do problema):

  • Relate a história;
  • Afirme a prioridade e o impacto;
  • Refira-se à estratégia, clientes e funcionários;
  • Defina o tema para o projeto de melhoria;
  • Organize uma equipe para o projeto de melhoria;
  • Crie o contrato do projeto de melhoria.

2) Observação e dados: compreenda a situação:

  • Compreenda as circunstâncias atuais;
  • Colete e exiba graficamente os dados;
  • Estabeleça metas de melhoria.

3) Análise: descubra as principais causas:

  • Estabeleça hipóteses para as causas;
  • Teste as hipóteses;
  • Decida-se sobre melhorias.

4) Ação: elimine as causas:

  • Planeje a execução das melhorias;
  • Execute melhorias.

5) Estudo: confirme a eficácia da ação:

  • Verifique se os resultados melhoram.

6) Padronização:

  • Estabeleça métodos de controle;
  • Atualize os padrões e normas apropriados;
  • Implemente educação e treinamento;
  • Estabeleça inspeções.

7) Conclusão: reveja as atividades e planeje trabalhos futuros:

  • Reveja as atividades;
  • Planeje os próximos passos;
  • Que outros problemas nós identificamos durante este trabalho?

Os promotores desta estrutura ressaltam que as sete etapas do método não descrevem necessariamente a ordem específica em que o problema foi resolvido. Como a resolução de problemas geralmente requer uma grande dose de interação, durante o projeto muitas vezes é necessário voltar a uma etapa anterior conforme novos dados sejam encontrados e as análises forneçam uma nova compreensão do problema.

No entanto, quando é o momento de compor um relatório sobre o que foi feito, o formato dos sete passos é a base para contar a história de modo a torna-la compreensível a todos os níveis de gestão, aos fornecedores e aos clientes.

Esse e outros roteiros de melhoria são tratados nos cursos de Green Belt e Black Belt ministrados pela Equipe EDTI.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *