Você sabe como representar graficamente uma série de atividades que definem um processo?

Hoje falaremos um pouco sobre o que é o Fluxograma, sua elaboração e os seus elementos principais.

Descubra mais sobre este tipo de gráfico agora!

eBook: Como fazer análise de dados

A análise de dados tem sido uma habilidade cada vez mais requisitada no mercado de trabalho. A quantidade de dados disponíveis é enorme, mas poucas pessoas conseguem transformá-los em insights para decisões de negócios.





Capa eBook: Como fazer análise de dados

O Fluxograma é uma representação gráfica de uma série de atividades que definem um Processo. O processo mapeado será um input importante para a fase diagnosticar oportunidades e dentro do Seis Sigma é utilizado DMAIC.

Dentro os principais benefícios de construir um Fluxograma é possível destacar:

  • Facilita o aprendizado da equipe sobre o processo que está sendo analisado;
  • Torna o processo atual “visível”;
  • Demonstra papéis e relações entre etapas e áreas envolvidas no processo;
  • Demonstra papéis e relações entre etapas e áreas envolvidas no processo;
  • Permite medir tempo de ciclo de atividades;
  • Permite identificar gargalos, complexidades, atrasos, ineficiências e desperdícios;
  • Permite identificar oportunidade de reduzir custos de processamento e “quick wins”.

Como construir um fluxograma?

Para construir um Fluxograma você deve seguir essas 7 etapas, que ajudarão a garantir que você tenha
um material adequado para melhorar processos:

  1. Estabelecer as fronteiras do processo a ser melhorado;
  2. Identificar as pessoas adequadas para construir o fluxograma;
  3. Determinar o tipo de fluxograma a ser utilizado;
  4. Definir o nível do detalhe necessário;
  5. Usar palavras de ação;
  6. Usar simbologia que a equipe conheça;
  7. Nos pontos de decisão, seguir um caminho de cada vez, até o fim.

Tipo de fluxograma

Existem dois tipos principais de fluxogramas: vertical e multifuncional.

Vertical

O mais usado para atividades de melhoria. Mostra as relações entre as atividades, pontos
de decisão, inspeção, loops de retrabalho, complexidade, etc. Deve-se começar pelo nível mais elevado e
depois se adicionar os detalhes.

Multifuncional

Foco nas Unidades Organizacionais. Permite à equipe compreender o fluxo do processo entre os Departamentos.  Mostra a interdependência das atividades. É útil para processos que não se completam em uma única área indicando os responsáveis por cada etapa.

Dicas para elaborar um Fluxograma

Para realmente melhorar o processo precisamos saber exatamente o que está ocorrendo. Não pergunte
aos gerentes, não leia instruções operacionais ou examine documentação. Vá a campo e veja o que está
acontecendo. Algumas dicas para a elaboração de um bom fluxograma:

  • Não utilize um mapeamento feito no passado;
  • Não mapeie o processo ideal, mas descreva o processo como ele é hoje;
  • Inicie com um visão macro e depois aumente o nível de detalhes;
  • “Caminhe” pelo processo identificando as etapas do processo e a sequência em que elas ocorrem;
  • Construa o fluxograma usando a simbologia apropriada.

Outros tipos de fluxograma

Diagrama de espaguete

O diagrama de espaguete é um método que utiliza uma linha contínua para rastrear o caminho percorrido por um item ou por pessoas durante a realização de um processo.

A imagem produzida comumente se parece com um prato de espaguete. Ele expõe layouts ineficientes que geram desperdícios. Pode ser usado para mostrar fluxo de informações, material ou pessoas.

Como criar:

  1. Não utilize um mapeamento feito no passado;
  2. Não mapeie o processo ideal, mas descreva o processo como ele é hoje;
  3. Inicie com um visão macro e depois aumente o nível de detalhes;
  4. “Caminhe” pelo processo identificando as etapas do processo e a sequência em que elas ocorrem;
  5. Construa o fluxograma usando a simbologia apropriada.
  6. Obtenha um mapa do espaço de trabalho (layout);
  7. Liste os passos do processo;
  8. Marque no mapa onde acontece o primeiro passo do processo e ligue através de uma linha onde ocorre o segundo passo do processo;
  9. Continue ligando os passos do processo com linhas na sequência em que eles ocorrem.

Análise

  • Se há muitos cruzamentos de linha, considere alterações no layout;
  • Se há muito retorno a um ponto, considere a possibilidade de fazer todas as operações em uma única passada;
  • Passagens de mão em mão adicionam tempo de espera, provocam atrasos e possivelmente gargalos;
  • Verifique a possibilidade de reduzir passagem de mão em mão com alterações de funções e de layout.

VSM (Value Stream Mapping)

O VSM é um mapa que mostra o fluxo de trabalho muito utilizado no Lean, materiais e informações através do processo e métricas importantes como tempo de setup.

Tais como, tempo de processamento, tempo de espera, unidades em estoque, tempo takt, porcentagem de defeituosos, número de pessoas na atividade ou estação de trabalho, etc.

Também facilita a identificação de desperdícios, atividades que não agregam valor, gargalos, custos, etc.

Gostou do conteúdo? Quer aprender mais sobre fluxograma e melhoria de processos? Faça nosso curso de Green Belt ou Black Belt!


0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *