O post de hoje tem por objetivo ajuda-lo a entender uma das ferramentas mais utilizadas em estatística para se realizar previsões e verificar a existência de correlação entre variáveis. No post de hoje nós vamos explicar a como se fazer interpretar uma regressão linear.

Hoje há muitas maneiras para se construir uma regressão linear, mas aqui nós vamos explicar sua construção no Excel. A primeira coisa para construir este gráfico realizar a coleta dos dados em que se deseja buscar a existência de correlação.

No nosso exemplo, vamos analisar se o número de buscas orgânicas no Google tem correlação com o número de usuários recorrentes em um site. Nossa predição é de à medida que as buscas orgânicas aumentam, aumentará também o número de visitantes recorrentes no nosso site. A teoria por trás da predição versa que se as pessoas começam a procurar um site ou as palavras chave deste site no Google, é por que elas se interessam pelo assunto tratado no site achado. Se o site for bom, estas pessoas tornar-se-ão usuários recorrentes, ou seja, depois de visitar o site pela primeira vez, continuarão a visita-lo para terem acesso ao conteúdo de seu interesse.

Coletado os dados, fomos até o Excel e fizemos um gráfico de tendência, que está na figura 1.

Figura 1: Gráfico de dispersão feito no Excel.

Na figura 1 está o gráfico de dispersão que construímos para analisar se nossa teoria sobre a correlação entre o tráfego de pesquisa e as visitas recorrentes se comprova. Como analisar o gráfico?

Pela figura 1 é possível verificar que há correlação entre o tráfego de pesquisa e as visitas recorrentes, mas será que é uma correlação forte? Para isto, precisamos analisar o (R²). Neste caso o valor de R² é de 0.4677. E o que significa isto? Que 46,77% da variação de Y é explicada pela regressão. Será que isto é bom? A resposta é depende, já que algumas variáveis nos negócios não são simples de explicar, principalmente aquelas que se relacionam a comportamento. Para estes casos em particular, ter 20% da variação explicada pelo modelo é algo extraordinário.

Para o nosso caso, a análise mostrou que não há uma correlação muito forte e não é possível explicar a variação do número de visitantes recorrentes por meio do número de pesquisas no Google. É necessário investigar mais.

Quer saber mais? Acesse aqui.

[retweet]
[facebook]

 

 

Comentários