Dicas para uma análise econômica no Excel

Dicas para uma análise econômica no Excel

No artigo de hoje vamos voltar a analisar um pouco do endividamento das famílias brasileiras, mas desta vez vamos utilizar o Excel para a elaboração dos gráficos. Assim, nosso objetivo é fazer com que você possa repetir a análise em casa, na empresa ou onde achar necessário. Divulgar o conhecimento e descomplicar a Estatística, estes são os valores da EDTI.

Dias atrás, vi a Miriam Leitão falar sobre a influência da taxa Selic no índice de inflação do governo, o IPCA. Um gráfico, muito parecido pode ser observado na figura 1.

 análise econômica no Excel

Figura 1: IPCA acumulado (doze meses) e taxa SELIC COPOM. (fonte: BCB)

Ao observar o gráfico da figura 1 pensei: e se ao invés de compararmos inflação com a taxa SELIC nós comparássemos o endividamento das famílias brasileiras. Para nós, do mundo dos negócios, o interessante é saber o impacto da SELIC no endividamento das famílias. Na figura 2 há uma comparação entre estes dois indicadores. Para esta comparação vamos analisar a taxa SELIC mensal, ao invés da anual.

Figura 2: gráfico de tendência do endividamento das famílias brasileiras e da taxa SELIC mensal (DI). (fonte: BCB)

Ao analisar o gráfico da figura 2, pensei: será que tem alguma correlação entre a variabilidade do endividamento com a variabilidade da taxa SELIC? Para isto, podemos utilizar a função “gráfico de dispersão do Excel”, conforme figura 3.

 

Figura 3: gráfico de dispersão entre endividamento das famílias brasileiras e taxa SELIC. (fonte: BCB)

Pela figura 3 fica ainda mais clara a relação entre a variação da SELIC e a taxa de endividamento da população. Isto nos leva a crer que se a Dilma tiver de comandar um aperto monetário para segurar a inflação, o endividamento das famílias tenderá a cair. Caindo o endividamento das famílias, o que será que acontecerá com o PIB?

 

Figura 4: relação entre PIB mensal e endividamento das famílias. (fonte: BCB)

Bom, como suspeitávamos há uma relação bastante interessante entre o crescimento do PIB e o crescimento da dívida. Se o Brasil quiser continuar a crescer sem expandir ainda mais o endividamento das famílias, precisamos mudar a política.

Ao fim do artigo, mostramos como você pode utilizar ferramentas simples do Excel para ter uma boa ideia de como anda a economia. Para 2014 é fundamental, repito fundamental que antes de votar você confira as informações vinculadas pelos candidatos. Faça suas análises e não confie nas promessas ou números falsos. Os dados estão abertos e com um Excel, em meia hora você consegue fazer a sua análise.

Abraços a todos.

1 responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *