Gestão de liderança: como administrar várias gerações?

É muito comum observar a diferença de comportamento entre as pessoas dentro de uma empresa, não apenas pela etnia ou religiosidade, mas pela idade. As diferentes gerações têm muito a contribuir umas com as outras, e é por isso que todos devem estar abertos a escutar e aprender com os colegas.

Uma boa gestão de liderança, em um time que contém as diversas gerações, deve extrair o melhor de cada uma, pois a diferença de pensamento dos grupos pode ser um fator positivo para aumentar a produtividade e alcançar bons resultados para as empresas. Vamos entender um pouco mais de cada uma?

As gerações X, Y e Z

X

Nascidos entre o período de 1960 e 1980, essa geração teve de se adaptar às tecnologias que foram evoluindo à sua volta, como o computador pessoal, a internet, o e-mail, o telefone celular, entre outros.

Essa geração tem a característica de correr atrás de informações e ter conhecimentos mais embasados sobre diversos temas, o que é útil na hora de tomar decisões. Além disso, tem um pensamento mais racional, sem ter pressa para entregar os projetos, o que traz segurança tanto na elaboração quanto na apresentação.

Porém, a geração X, por excesso de segurança, muitas vezes não está aberta para ouvir novas opiniões ou novas ideias, o que pode prejudicar o desenvolvimento de novos projetos, especialmente se houver envolvimento de outras gerações no grupo.

Y

A geração que nasceu junto com a tecnologia e em uma prosperidade econômica, entre 1980 e 1990, conhecida como a geração da prosperidade e inovação, cresceu com o que seus pais não tiveram, como videogames e computadores, e rodeada de facilidades fornecidas por eles, que queriam uma vida melhor para os filhos.

Esse grupo consegue ser multitarefas, podendo realizar diversas atividades de uma vez e, como foram acostumados a seguir seus desejos, não aceitam trabalhos subalternos, lutando por um salário justo desde cedo.

A geração Y está sempre conectada em busca de informações rápidas e em busca de novas tecnologias para aumentar o fluxo de informações que recebem ou distribuem diariamente.

Z

Essa parte da população, nascida a partir de 1992 até 2010, é a geração nativa digital, pois não conhecem o mundo antes do computador, e desde cedo já estão familiarizados com as tecnologias ligadas à internet e, com isso, estão sempre a um passo dos mais velhos.

A ansiedade é uma característica que afeta esse grupo, que quer tudo para ontem. Além disso, precisa constantemente expressar sua opinião e interagir com outras pessoas.

Essa geração não acredita mais em carreiras de sucesso ou em ter de trabalhar em apenas um emprego ou em um lugar para o resto da vida.

Dicas para uma gestão de liderança de gerações de sucesso

1. Crie conexões pessoais com os funcionários

Para gerenciar um time composto por diferentes gerações, o primeiro passo é conhecer as características individuais de cada pessoa. Por isso, converse com cada membro da sua equipe e entenda qual é sua motivação e seus objetivos de carreira e vida.

Cada pessoa tem um valor diferente: alguns buscam por boas condições financeiras e outros por qualidade de vida, com menos estresse ou flexibilidade de horários.

Conhecendo as particularidades de cada um, o gestor deve trabalhar de maneira inteligente para alcançar seus objetivos, ganhando confiança e promovendo a colaboração de seus subordinados. Ao saber quais os objetivos de cada pessoa, o gestor saberá melhor como gerenciá-los.

2. Incentive a retenção e o crescimento

Após criar um elo direto com seus funcionários, o gestor saberá o que fazer para manter seus talentos dentro da empresa, o que é um fator essencial no crescimento e permanência deles no mercado.

Reter funcionários não é apenas mantê-los na empresa, desempenhando seus papéis diários, mas incentivar seu crescimento profissional. Dessa maneira, a empresa deve ter mecanismos para proporcionar ao trabalhador uma visão de oportunidades de crescimento, e deve alinhar o que ele deseja com o que a companhia pode oferecer.

A empresa e o gestor devem também tirar os funcionários da zona de conforto para conhecer seus pontos fortes e fracos, e perceber como cada pessoa pode melhor contribuir para a equipe.

Assim, as empresas devem oferecer novas oportunidades de aprendizado, além de salários e benefícios justos, pois o profissional precisa saber que tem futuro na empresa.

3. Abrace a diversidade

A diferença das pessoas pode ser um fator primordial na hora de compor uma equipe, pelo simples fato de que elas têm pensamentos distintos e, dessa maneira, podem chegar a mais uma boa conclusão em menos tempo.

O gestor tem oportunidades de promover a inclusão de pessoas e criar equipes mais fortes e autônomas para lidar com os problemas do dia a dia, selecionando os pontos mais fortes em cada pessoa para otimizar os processos, minimizar os erros e entregar bons resultados.

4. Invista na capacitação dos funcionários

Vimos acima que uma gestão de liderança deve sempre buscar aumentar o crescimento profissional e intelectual de seus funcionários, portanto, um líder deve promover treinamentos e buscar recursos dentro da empresa para patrocinar cursos de certificação e capacitação de seus funcionários.

Investir em pontos fracos dos subordinados é uma excelente forma de melhorar a rotina de trabalho e acelerar e aperfeiçoar projetos.

5. Reconheça seus esforços

As novas gerações buscam o tempo todo ter aprovação de suas tarefas, não apenas dos seus gestores, mas também de seus colegas profissionais.

Uma boa política de incentivo que uma gestão de liderança deve ter é promover esse reconhecimento tão desejado pelos funcionários, pois isso é um estímulo para a continuação de seu bom trabalho e a sua melhoria contínua.

6. Seja um mentor

A nova geração, por ter sido criada de forma mais permissiva, não reage bem a politicas rígidas e manifestações de poder, podendo, muitas vezes, não respeitar estruturas de autoridade e, por isso, é importante ter um líder acessível para orientá-los.

Porém, os gestores devem tomar cuidado para não perder a figura de líder perante seus funcionários, obtendo seu respeito por meio de prestígio profissional e suas ações dentro da empresa.

É essencial entender cada geração, desde seus pontos fracos até os fortes, para conseguir extrair o máximo que cada funcionário pode oferecer ao trabalho.

Portanto, uma gestão de liderança deve sempre estar por perto e conhecer bem cada funcionário para conseguir identificar seus objetivos profissionais e melhorar suas rotinas no ambiente de trabalho, sempre tentando conciliar a visão de toda a equipe para buscar o resultado esperado pela empresa.

Se você gostou do nosso texto e quer saber mais sobre gestão de liderança, leia nossa matéria sobre “Como se qualificar para se tornar um bom líder”.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.