As 7 doenças de Deming

Doenças de DemingAs 7 doenças de Deming

Deming em seu extensivo trabalho sobre melhoria da qualidade contribuiu muito para a implementação da melhoria contínua nas empresas. Esta foi a sua maior filosofia. Ele também sempre citava 7 doenças das organizações que impediam que este resultado fosse alcançado. São elas:

1) Falta de constância de propósito.

Para Deming, as organizações deveriam assumir o propósito da melhoria contínua como um parâmetro de operação. Isso resultaria em melhorias no curto e longo prazo. Para ele, desviar o foco desta melhoria, era a primeira doença de uma organização na implementação de sua filosofia de trabalho.

2) Dar demasiado ênfase no curto prazo.

Organizações que querem apenas que seus números pareçam bonitos rapidamente caem em diversas armadilhas que vão prejudicar o sistema no longo prazo. Exemplos disso são cortes dramáticos nos orçamentos de pesquisa e desenvolvimento e treinamento de funcionários.

3) Avaliação de resultados individuais.

Quando foca-se em avaliar excessivamente os resultados dos funcionários está se priorizando resultados a curto prazo. Além disso, esta prática cria sentimento de rivalidade e medo entre os colaboradores, o que é extremamente danoso para um bom trabalho em equipe.

4) Mobilidade excessiva da gerencia.

Deming acreditava que quando as pessoas que ocupavam cargos de gerencia mudavam muito de cargos, vários prejuízos eram infringidos à empresa. Os responsáveis passavam pouco tempo em suas funções e acabavam tomando decisões importantes sem ter pleno entendimento sobre a realidade diária daquela organização.

5) Foco da organização apenas em problemas tangíveis.

Quando uma organização foca seus esforços em pontos como “número de defeitos”, “lucros semestrais” ou “reclamações do cliente” acaba-se negligenciando aspectos menos tangíveis e mais importantes. Estes aspectos, como treinamento dos funcionários ou comprometimento com a cultura de melhoria, são os diferenciais para o sucesso a longo prazo.

6) Gastos médicos excessivos.

O que se gastava com seguro de saúde para os funcionários na época de Deming era ao seu ver um problema muito importante. Estimava-se que os carros americanos custassem U$ 1.000,00 a mais do que os japoneses apenas por estes casos. Ainda hoje, muitas empresas gastam fortunas para se pagar ações trabalhistas por acidentes de trabalho que poderiam ser evitados.

7) Gastos excessivos com despesas jurídicas.

Ampliando um pouco o conceito da doença anterior, Deming acreditava que além de questões trabalhistas, outras questões jurídicas (como processos por falta de adequação a normas) tomassem demasiado recursos das organizações. 

 

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer participar da conversa?
Deixe sua opinião! :)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *