Fortaleça seus diferenciais para o sucesso profissional

Ter diferenciais no mercado de trabalho é um requisito para o profissional manter a empregabilidade no longo prazo. Com as contínuas transformações nas atividades das empresas e com as incertezas do cenário econômico, apenas os profissionais que se destacam da maioria conseguem sobreviver em ambientes de concorrência por vagas.

Confira, em seguida, algumas dicas para você fortalecer os seus diferenciais e, assim, conquistar o sucesso profissional.

Identifique seus pontos fortes

Você já deve ter ouvido falar na análise SWOT, não é mesmo? E que tal aplicá-la à sua própria carreira. Busque identificar quais são os seus pontos fortes e os seus pontos fracos. Além disso, tente descobrir oportunidades e ameaças que estejam no caminho que você almeja para o seu futuro.

Pode parecer estranho, mas muitas pessoas desconhecem as próprias qualidades. Elas até conseguem listar os seus defeitos com certa facilidade, por exemplo, quando são questionadas em uma entrevista de emprego. Seja qual for o seu caso, é importante que você faça uma autoavaliação para conhecer os seus pontos fortes.

Potencialize suas qualidades

Depois de fazer essa análise SWOT “pessoal”, você pode cair num dilema. Isso porque, nas áreas de recursos humanos e de desenvolvimento profissional, há certo debate sobre qual deve ser o foco do aperfeiçoamento de cada indivíduo. Por exemplo, há consultores que sugerem que o profissional potencialize somente os pontos fortes, ou seja, aqueles que se tornam diferenciais competitivos. Já outros orientam que a pessoa deve buscar justamente corrigir os pontos fracos.

Para tornar o entendimento mais simplificado, vamos pensar num exemplo do dia a dia. Um jogador de futebol destro pode treinar chutes apenas com a perna direita, por essa ser justamente o “seu forte”. Já outro, embora também seja destro, pode querer treinar chutes com a perna esquerda, para se tornar mais completo.

No seu caso, na hora de decidir sobre qual caminho seguir quanto à qualificação, você deve verificar qual atitude trará melhores resultados para a sua área de atuação. Afinal, há situações em que o esforço gasto para se tentar corrigir uma falta de habilidade pode não compensar. Por exemplo, alguém que possui dificuldade natural para cantar, por mais que estude bastante, pode não conseguir um nível satisfatório de qualidade na música.

Já pessoas que têm inclinação natural para uma área, por exemplo, a matemática, pode desenvolver ainda mais as habilidades nesse ramo de conhecimento, para alcançar diferenciais competitivos que as destaquem da maioria. Nesse sentido, vale lembrar do conhecido Princípio de Pareto ou da regra 80-20. Por exemplo, poderíamos dizer que 80% do sucesso profissional advém de 20% das ações tomadas por uma pessoa.

Busque diferenciais competitivos

Como mencionamos anteriormente, o mundo atual vive em constante atualização. Por isso, é provável que uma vantagem competitiva de hoje não tenha esse status daqui a cinco anos. Logo, o profissional deve buscar se aprimorar, para não só conseguir se manter no mercado de trabalho como também ascender na carreira.

Da mesma forma que existe concorrência entre empresas, há competição entre profissionais por vagas ou cargos melhores. Por isso, quem investe na própria carreira aumenta as chances de ser selecionado para uma promoção.

E por falar em capacitação profissional, você é especialista em tarefas únicas ou em técnicas e metodologias que podem ser aplicadas em áreas distintas? Saiba que indivíduos que só sabem fazer um tipo de atividade podem ser “descartados” do mercado, por exemplo, caso haja problemas estruturais (como mudanças de tecnologia) ou conjunturais (como crise econômica). Já profissionais que têm conhecimentos abrangentes, como a metodologia Six Sigma, pode aplicá-los a áreas distintas e, assim, possuem diferenciais competitivos no mercado de trabalho.

Quer aprimorar a sua qualificação? Então, baixe gratuitamente a apostila do curso Green Belt, da Escola EDTI.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *