A importancia da teoria

A importância da teoria

Importância da teoria

Importância da teoria – Num terreiro, numa cidadezinha no interior, vivia um galo que todos os dias, antes do nascer do sol, cantava. O galo cantava e poucos minutos depois, o sol nascia. Todo dia era assim, ele cantava e o sol nascia. Um belo dia, ao ser perguntado por seu filho sobre o motivo que o sol nascia, o galo pensou um pouco e formulou uma teoria, que explicava o fato. “Filho”, disse o galo, “o sol nasce porque eu canto”. O filho do galo, não ficou satisfeito com a resposta e propôs ao pai um teste.

O galo argumentou que o teste não era necessário, pois todos os dias era cantar e observar: nascia o sol. O filho, então, pediu ao pai que fizesse outro teste e observasse o que aconteceria caso não cantasse. O galo, reticente, aceitou o desafio decidindo que não cantaria no dia seguinte. Antes de raiar o dia, o galo não cantou e observou o que aconteceu. Para sua surpresa, o sol raiou da mesma maneira que fazia todas as manhãs em que ele havia cantado.

O galo se reuniu com seu filho para estudar o resultado do teste e após fazê-lo, teve de descartar a sua teoria, que se mostrou falsa. O galo e seu filho decidiram então, estudar para propor outra teoria que explicasse o motivo pelo qual o sol nascia descartando de uma vez por todas a teoria “galocêntrica” testada. A história contada foi inspirada no livro “A Nova Economia”, do Dr. Deming.

Processos industriais são acertados sem nenhuma estrutura de teste

Em muitas empresas, observamos gestores com comportamento semelhante ao do galo, fazendo coisas há vários anos e não analisando se o motivo pelo qual fazem, é válido. Várias organizações não possuem um método estruturado de aprendizado, pautando-se pela tradicional tentativa e erro.

Processos industriais são acertados sem nenhuma estrutura de teste, com os operadores e gerentes alterando vários parâmetros sem entender seu impacto no processo. As alterações continuam até que o processo se “acerte”. O problema da tentativa e erro, é que ninguém sabe realmente o porquê o processo começou a funcionar, já que as alterações foram feitas sem uma teoria por trás.

Pela nossa experiência, é muito importante que os colaboradores das empresas escrevam o que esperam antes de atuar no processo, deixando claro suas predições sobre as consequências de se alterar a velocidade de corte na potência de corte da máquina, por exemplo. É esta etapa que garante que a equipe irá aprender com os testes.

O hábito de formular e testar teorias

O hábito de formular e testar teorias é uma das coisas que garante a inovação nas empresas. Este processo já é utilizado há séculos nas universidades como forma de se adquirir conhecimento, sendo chamado de método científico. Nas empresas, sua utilização é mais recente, sendo proposto de maneira estruturada, pela primeira vez por Shewhart, em 1939.

Tal método tinha como objetivo a inovação tecnológica no desenvolvimento de produtos e era composto por 4 fases: proposição de um novo produto, produção, inspeção do resultado e o reprojeto do produto. Com este poderoso método, aperfeiçoado por Deming e chamado de PDSA (Plan – Do – Study – Act), é possível estruturar a forma pela qual as empresas adquirem conhecimento.

Utilizando este método, é possível desafiar os velhos paradigmas, as velhas teorias que sobrevivem apenas por não serem testadas, como aconteciam no caso do galo e de sua teoria sobre o nascimento do sol.  Para permanecerem competitivas no ambiente de inovação contínua as empresas não podem mais deixarem de questionar os velhos dogmas, precisam aprender e testar novas teorias a cada dia seja novos negócios, novos produtos, novas maneiras de abordagem ou novos mercados, e para isto, são incríveis os resultados obtidos quando estas começam a utilizar o ciclo PDSA em seu cotidiano.

Desta forma, nossos clientes desenvolveram teorias úteis sobre como cortar custos, como reduzir o ciclo de desenvolvimento de produtos, reduzir estoques, sequenciar a produção, melhorar o atendimento ao cliente entre outras.

1 responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.