IPCA, INPC e causas comuns de variação

Causas comuns de variação

Causas comuns de variação – Como será que está o comportamento da inflação nos últimos 3 anos? Será que tá subindo? Baixando? O comportamento do índice de preços ao consumidor é um dos indicadores mais debatidos e comentados pelos jornais de economia ou pelos boletins econômicos. Todo mês aparece um comentarista de economia explicando o porquê o índice subiu ou desceu em relação ao mês anterior. Será que esta variação tem explicação ou é uma variação comum do indicador?

Nada melhor do que o gráfico de controle para responder esta dúvida. Para esta análise escolhemos dois índices: INPC e IPCA. Estes são dois indicadores de extrema importância para se medir a inflação no país. A diferença entre eles é que a população-objetivo do INPC abrange as famílias com rendimentos mensais compreendidos entre 1 (hum) e 5 (cinco) salários-mínimos, cujo chefe é assalariado em sua ocupação principal e residente nas áreas urbanas das regiões; a do IPCA abrange as famílias com rendimentos mensais compreendidos entre 1 (hum) e 40 (quarenta) salários-mínimos, qualquer que seja a fonte de rendimentos, e residentes nas áreas urbanas das regiões. O INPC mede a inflação para as famílias de baixa renda e o IPCA mede a inflação para todas as famílias.

Na figura 1 encontra-se o gráfico de controle do INPC de janeiro de 2009 até novembro de 2012.causas comuns de variação

Figura 1: índice nacional de preços ao consumidor. (fonte: IBGE)

INPC estourou as bandas de controle

Olhando a figura 1 podemos afirmar que somente 2 vezes nestes quase 3 anos o INPC estourou as bandas de controle e 2 outras vezes ficou bem perto. Quando eu olho para isto, me pergunto: os comentários econômicos buscam então explicar a variação de causa comum do INPC? Não deveriam estes mensageiros analisar se há algo de anormal com a variação antes de partirem para a investigação das causas do aumento ou redução do INPC mensal? Para pensar.

O próximo índice a ser analisado é o IPCA. O gráfico de controle deste indicador pode ser visto na figura 2.

 

Figura 2: índice de preços ao consumidor amplo IPCA. (Fonte: IBGE)

Na figura 2 fica claro que no período, somente 3 meses podem ser considerados uma causa especial na qual o IPCA foi baixo. De acordo com o gráfico, os demais pontos ficaram dentro da variação esperada, não cabendo mais explicações. Mais uma vez, parcimônia ao ouvirem os comentários econômicos mágicos por aí. Antes de tomar atitude em seu negócio, faça a sua análise.

 

2 respostas
  1. admin says:

    Boa Roberto. Eu cheguei a analisar o IPCA com a SELIC, em busca de correlação. O gráfico de dispersão ficou interessante, quando utilizei um lag de 3 no mês. Na verdade, não usei a Selic, mas usei o DI-over mensal, que é praticamente a mesma coisa. Qual lag você está usando para correlacionar estes dois indicadores.

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.