Como avaliar um indicador?

Indicador de desempenho

Sempre que conversamos com executivos e sócios de empresas nos deparamos com a seguinte questão: como avaliar um indicador ao longo do tempo? É muito comum nas organizações os executivos e suas equipes fazerem comparações do indicador para entender se a empresa está melhorando ou piorando. Até aí, nada de errado. Porém, quando vamos mais fundo nesta questão, vemos estas comparações nem sempre são feitas de maneira correta. Quer saber por quê? Vamos lá.

São três as maneiras mais comuns de comparação para a medição dos resultados:

  • Comparar o resultado com o mês anterior;
  • Comparar o resultado com o mesmo mês do ano passado; ou
  • Realizar comparações anuais do indicador (muito comum quando balanços são analisados).

indicadores de desempenho financeiro

Aí, pergunto a vocês: será que faz sentido compararmos mês a mês? Para ilustrar meu argumento coloco na figura 1 o faturamento de uma empresa ao longo do ano de 2013 em um gráfico de tendência.

indicador-faturamento

Se o executivo comparasse pelo método do mês anterior ele certamente iria sofrer em dois meses uma depressão profunda, por mais que a empresa tenha apresentado um crescimento médio de 7% ao mês. Quando o faturamento de um mês para o outro cai de 60 mil para 27 mil, uma pessoa sem um conhecimento estatístico mais apurado liga o modo desespero. Ao ligar o modo desespero o executivo começar a alterar a estratégia de sucesso que vem sendo adotada e realizar mudanças atabalhoadas que não serão uma melhoria.

Outros indicadores de desempenho

O mesmo princípio se aplica aos outros tipos de comparação. Ao analisar o comportamento de um indicador ao longo do tempo devemos ter calma e utilizarmos as ferramentas estatísticas adequadas, como o gráfico de tendência e o gráfico de controle. Comparar pontos somente por meio da análise da variação percentual é a receita para o erro. Utilizem das modernas ferramentas desenvolvidas por Walter A. Shewhart em 1930 para distinguir a variação de causas comuns e a variação de causas especiais. E, caso não acredite, olhe para a figura 2 e repita a mesma análise.

indicador-eletrocardiograma

No eletrocardiograma podemos observar, pelo método de análise ponto a ponto, que o individuo está hora morto e hora vivo. Neste gráfico, que todos entendem, fica claro que fazer análises deste tipo é errado. Portanto, quando for analisar seus indicadores pense: você já fez o gráfico de tendência? E o de controle com a variação mensal? Será que o processo não está sob controle e a variação que lhe está assustando é uma variação de causa comum? Fique atento e boa sorte em suas análises. Tendo alguma dúvida, envie sua análise para nós que daremos um parecer.

Materiais sobre indicadores

Em nosso arquivo de materiais de apoio gratuitos, você poderá encontrar mais informações sobre esses e outras ferramentas abordadas em nossos curso de Yellow Belt, Green Belt e Black Belt.

4 respostas
  1. Renata
    Renata says:

    Bom dia!
    Gostei muito da matéria.
    A anos tento entender mais sobre indicadores, buscar cursos, livros mas não encontro muita coisa sobre o assunto.
    Gostaria de saber se a EDTI poderia me indicar algo para me ajudar nesta melhor compreensão e aplicação da utilização de métricas e indicadores.
    Obrigada!

    Responder
    • admin
      admin says:

      Bom dia Renata,

      Há vários livros que tratam do tema, cada um com sua peculiaridade. O primeiro é o nosso Modelo de Melhoria, depois, Thinking Fast and Slow, A Lógica do Cisne Negro, Os 14 Pontos do Deming, e por aí vai-se.

      Abraços

      Responder

Trackbacks & Pingbacks

    Deixe uma resposta

    Want to join the discussion?
    Feel free to contribute!

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *