Como elaborar um fluxograma parte 2

Como elaborar um fluxograma parte 2

Como elaborar um fluxograma

Em nosso último post você aprendeu as principais formas de utilizar um fluxograma e quais as diretrizes devem ser seguidas para que você e sua equipe atinjam o máximo desta ferramenta.

Neste artigo, conforme prometido, vamos comentar sobre as principais etapas para a elaboração de um bom fluxograma.
1 – Defina as fronteiras do processo. A ferramenta SIPOC é de grande ajuda para esta tarefa.
  1. Determine qual tipo de fluxograma será utilizado (por exemplo, Cima/Baixo, Matriz/Grupo, Complexidade ou Tradicional) para alcançar o objetivo de melhoria. Descrições mais detalhadas dos diferentes tipos de fluxogramas serão apresentadas nos próximos artigos.
  2. Ilustre as etapas do processo de cima para baixo e/ou da esquerda para a direita. Colar  “Post-Its” num quadro branco ou num “flipchart” poderá, ser útil para o desenvolvimento do fluxograma inicial, pois a equipe poderá movimentá-los ao adicionar novas etapas. Não comece a fazê-lo no computador. Computador é para guardar a versão final.
  3. Use palavras de ação ou verbos para descrever as atividades importantes do processo. Por exemplo, em lugar de “conta do frete” use “preparar conta do frete”. Isto ajudará a equipe a visualizar a atividade como um processo, ao invés de um resultado.
  4. Use os símbolos de fluxograma que façam sentido para a sua equipe. Utilize os símbolos de modo que contribuam para a comunicação. Geralmente os símbolos básicos de um diagrama de bloco são os mais indicados.
  5. Ao se deparar com um ponto de decisão ou uma divisão do processo, siga um caminho por vez, até completá-lo. Este procedimento deverá ser usado para todos os pontos de decisão durante a realização do fluxograma.
  6. Se a equipe não possuir os conhecimentos necessários sobre o processo, para completar uma das seções do fluxograma, anote este ponto para poder completá-lo mais tarde.
    7. Revise o fluxograma acabado sobre os seguintes pontos de vista:
  1. O fluxograma reflete o processo do modo como ele realmente funciona?
  2. Todas as etapas foram definidas? Faltam etapas?
  3. O fluxograma contribuirá para o objetivo de melhoria?
  4. Existem áreas que demonstram uma necessidade óbvia de melhoria?
  5. Os pontos úteis de coleta de dados podem ser identificados?
  6. Há oportunidades para reduzir atividades de inspeção/avaliação múltiplas e outras etapas redundantes? Liste estes e outros assuntos relacionados para ação pela equipe de melhoria.
  7. Use o diagrama em conjunto com o Modelo para Melhorias para facilitar a colocação de perguntas e fazer previsões relacionadas aos ciclos de melhoria.
  8. Atualize o fluxograma para refletir as mudanças ou melhorias do processo. O fluxograma deverá ser exibido durante todas as reuniões de equipe para facilitar a comunicação e documentar os conhecimentos atuais sobre o processo.

Aproveite estas dicas para deixar seus fluxogramas mais interessantes ainda e mãos à obra. 

Referências:

“O Manual de Melhoria” – Modelo, Métodos e Ferramentas para Melhoria – Março de 1998 – API – Texas

Como elaborar um fluxograma parte 2

1 responder
  1. Edson Cardoso
    Edson Cardoso says:

    Muito Importante as fases de como elaborar um fluxograma.

    Ajuda na analise de causas. Falhas que poderão ocorrer durante o processo.

    Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *