Como ser um líder memorável? Aprenda em 5 passos

Existem muitas diferenças em ser um chefe e ser um líder. Apesar de ambos serem designados como a cabeça pensante de suas equipes, um líder age de maneira completamente diferente de um chefe.

A figura da chefia, sempre vista pelo viés da autoridade, do medo e da centralização de poder, traz temor à equipe, que geralmente leva a culpa nos fracassos, enquanto o chefe leva o crédito nos acertos. E esse papel está cada vez mais desvalorizado nas empresas, pois é potencialmente desagregador no ambiente de trabalho.

Já o líder adota uma postura completamente diferente. Sempre pensando no bem comum, divide responsabilidades com sua equipe, sabendo identificar os pontos fortes e fracos de cada um. Em eventuais desacertos, também assume parte da culpa, buscando corrigir os desvios de maneira construtiva para que o ambiente de trabalho se mantenha positivo e focado no crescimento da empresa.

Apesar das diferenças serem bastante claras, aprender a ser um líder pode não ser tão fácil assim. Certos aspectos de uma boa liderança precisam ser praticados constantemente, sem que se negligencie várias outras características que fazem um bom líder. Por isso, para lhe ajudar a entender como ser um líder memorável, que será sempre lembrado pela equipe liderada, elaboramos esse artigo com os principais passos dessa caminhada. Confira!

O comportamento de um líder memorável

A grande diferença entre um grande líder e um simples chefe está, sem dúvidas, na atitude com a qual o mesmo se relaciona com sua equipe. Pessoas em posição de liderança precisam se observar sempre, buscando agir de acordo com aquilo que acreditam e, acima de tudo, demonstrando boas atitudes para que sua equipe siga como exemplo.

Quando em situações de pressão, um bom líder deve sempre buscar a definição de soluções de maneira ágil e espontânea. Muito dessa atitude de liderança vem com a experiência, mas é possível cultivá-la mesmo em profissionais que ocupem cargos considerados mais juniores.

Antes de qualquer coisa, é essencial para um profissional que almeja alcançar posições de liderança conhecer a si mesmo. Saber com clareza quais são seus objetivos, pontos positivos e defeitos que necessitem de aprimoramento é o primeiro passo para desenvolver uma postura de liderança que passe confiança para a equipe liderada.

Mas não apenas é preciso ter grande conhecimento técnico ou mesmo apenas talento. Um grande líder precisa ter disciplina, ser organizado e, principalmente, ter um ótimo controle emocional. Essa última, aliás, talvez seja a característica que diferencie um líder de um chefe de maneira mais visível.

Como dito antes, chefes normalmente adotam posturas agressivas e individualistas, sem valorizar o espírito de equipe.

É muito comum que aqueles comandados por um chefe não se sintam motivados e liderados de maneira produtiva, o que cria um ciclo vicioso de culpabilização e baixa produtividade. Nesse caso, o comportamento impositivo de um chefe pode trazer muitos problemas para a equipe.

Por outro lado, quando os profissionais se veem diante de um verdadeiro líder, o espírito de equipe é aflorado e a produtividade tende a aumentar. Esse líder dá o exemplo, praticando todas as atitudes que demanda de seu time de liderados. Adotar um comportamento de acordo com aquilo que se prega é mais eficiente do que cobrar atitudes sem praticá-las.

Por ter desenvolvido suas características a partir do autoconhecimento, um grande líder sabe como cativar os outros profissionais de acordo com aquilo que faz de melhor. Procure explorar seus pontos fortes de maneira que seja possível influenciar positivamente àqueles ao seu redor. Antes de tudo, um bom líder precisa dar sempre bons exemplos. Confira agora os 5 passos para se tornar um líder memorável.

1. Saiba analisar dados

Uma das características de um grande líder é sua capacidade organizacional e gerencial de tudo aquilo que diz respeito à empresa. É preciso ter um perfeito controle dos aspectos que estão sob sua responsabilidade para que seja possível resolver eventuais problemas o mais rápido possível.

E muito dessa capacidade de manter a empresa organizada diz respeito à correta análise dos dados disponíveis. Para isso, um líder deve ter foco nos pontos que realmente importam para o crescimento do empreendimento. É comum observarmos empresas que se preocupam em adotar estratégias para a aquisição de novos clientes, ignorando tudo aquilo que os consumidores e experiências atuais podem dizer sobre o negócio.

Adotar uma postura precisa e objetiva quando falamos de análise de dados é o primeiro passo para compreender melhor o funcionamento da própria empresa. Um bom líder tem como característica a capacidade de segmentar essa análise de maneira que demonstre a real situação do negócio, identificando todos os aspectos que necessitam de ajustes. Portanto, não apenas analisar de maneira efetiva, mas também delegar tarefas e envolver toda a equipe é um passo essencial para o sucesso da análise.

Isso acontece porque a coleta dos dados é uma tarefa cada vez mais complexa, que demanda um planejamento adequado e, muitas vezes, suporte de alguma tecnologia auxiliar. Um grande fluxo de informação deve ser tratado de maneira correta, pois tem o potencial de oferecer soluções para problemas que muitas vezes pareciam impossíveis de serem corrigidos.

Para tanto, um planejamento de pesquisa é primordial e começa sempre na definição das perguntas que devem ser respondidas.

Aqui, o papel do líder está na identificação dos objetivos que se pretende atingir com a análise, de modo que sejam feitas as perguntas corretas e não se perca tempo tratando dados que não são úteis para o negócio.

Além do consequente levantamento dos dados que serão analisados, é tão ou mais importante a maneira como esses dados serão tratados posteriormente. E é aqui que entra a tecnologia. Com um grande volume de informação, normalmente as empresas lançam mão de ferramentas de TI para tratar aquilo que foi coletado.

Após todo esse trabalho, que pode ser considerado mais braçal, entra o papel do líder na análise dos resultados. De nada adianta ter passado por todo esse processo se o produto final ficará indisponível para o restante dos envolvidos. Por tanto, um grande líder deve ser capaz de traduzir tudo o que foi analisado para que a equipe possa acessar de maneira fácil e rápida.

Líderes precisam ter uma boa capacidade de ver além dos dados. Isso significa que, a partir da análise dessas informações, ele consiga entender os caminhos que a empresa está trilhando, quais os possíveis problemas que virão a surgir e como corrigi-los. Por isso, além de peça fundamental no processo analítico, o líder deve ter como característica a habilidade de enxergar com um olho clínico.

Quer saber mais como direcionar sua decisões com base nos dados? Como o eBook Como Analisar Dados para Negócios abaixo.

2. Não perca o tato com as pessoas

Mais do que um gestor capaz de delegar tarefas e analisar dados, um líder tem como característica a boa relação com sua equipe. Os profissionais que trabalham com você são, acima de tudo, pessoas. E como qualquer pessoa, possuem anseios, ambições, pontos positivos e negativos em sua maneira de trabalhar.

E qualquer equipe sempre será composta por pessoas de diferentes personalidades, passíveis de confrontar certos valores e opiniões próprias entre si. Isso potencialmente vai gerar certos conflitos internos, que podem vir a prejudicar todo o conjunto.

Nesse cenário complexo de inter-relações humanas, o líder tem um papel fundamental na manutenção de um bom ambiente de trabalho. Suas tarefas perpassam a gerência das tarefas delegadas à equipe, pois um líder deve compreender as consequências que se desdobram das relações entre seus liderados.

Por isso, é primordial que um grande líder tenha grande habilidade no trato com pessoas. Diferentemente do que muitos pensam, a gestão de pessoas deve partir principalmente daqueles que ocupam posições de liderança dentro da empresa, e não somente de setores tradicionais, como o RH.

Algumas atitudes podem ser apontadas e exercitadas para que o papel de um bom gestor de pessoas seja alcançado. Dentre elas, podemos citar:

Não rotular

Para compreender como as pessoas se portam perante desafios, é preciso se despir de qualquer preconceito. Quando você rotula alguém, está se impedindo de entendê-lo e conhecê-lo verdadeiramente.

Um bom líder nunca deve evitar de lidar com alguém pelo simples fato de considerar essa pessoa como de difícil convivência. Ao fazer isso, será impossível enxergar os pontos positivos e tudo que pode ser oferecido para o crescimento da empresa.

Enxergar-se nos outros

Como um dos principais papéis de um bom líder é servir de exemplo, ele deve ter a capacidade de demonstrar empatia e reconhecer nos outros as limitações que pode encontrar em si mesmo.

Busque compreender seus liderados e ouvi-los com frequência. Além de fazer com que os mesmos estejam mais propensos a ouvir seus conselhos, você poderá acabar descobrindo que todos podem contribuir com novas ideias para o crescimento da empresa.

Aceitar e trabalhar com as diferenças

Como já dito anteriormente, equipes são compostas de pessoas diferentes, com personalidades diferentes. De maneira geral, a dificuldade em lidar com pessoas consideradas difíceis está justamente na incapacidade de aceitar as diferenças dos outros. E isso não pode ser um traço de um líder.

É preciso entender que todos possuem histórias diferentes, acreditam e coisas diferentes e possuem diferentes objetivos. Exercer uma boa liderança passa pela aceitação e, principalmente, pelo respeito das diferenças dentro da equipe.

Uma equipe formada por pessoas diferentes se traduzirá em mais diversidade e criatividade, uma vez que os profissionais não pensam exatamente da mesma maneira. Respeite as diferenças e utilize-as em prol do crescimento profissional de cada um e da empresa.

Saber se comunicar

Outro traço fundamental para um bom líder se relacionar de maneira satisfatória com outros profissionais é a sua capacidade de comunicação. Ocupar cargos de liderança significa estar sempre disposto a comunicar problemas, delegar tarefas e explicar estratégias e objetivos de forma clara para a equipe.

Qualquer que seja a situação, a liderança deve ser exercida de maneira clara e objetiva, com uma comunicação transparente. Líderes que não sabem se comunicar transmitem informações confusas, fazendo com que a dependência da equipe com o mesmo aumente.

Dar autonomia

Uma equipe que se valoriza e se considera responsável geralmente possui uma liderança capaz de permitir a autonomia de seus membros. Um líder de grande valor é capaz de desenvolver entre seus liderados um senso de responsabilidade, no qual cada um se sente como parte importante da engrenagem.

Ao dar autonomia para sua equipe, o líder passa uma mensagem clara de confiança no trabalho de cada um. Diferentemente do que muitos possam pensar, dar essa autonomia para a equipe não significa se livrar de responsabilidades, mas sim incluir os envolvidos na rotina de decisões da empresa. Um líder é tão forte quanto aqueles que o dão suporte.

3. Desafie a si mesmo

Atingir posições de liderança não deve ser o objetivo final de alguém que almeja ser um verdadeiro líder. E para não cair em uma zona de conforto, é necessário estar constantemente se desafiando.

De todos os percalços que um líder pode vir a encarar, o maior deles é se manter motivado e buscando maneiras de se desafiar. Afinal de contas, mais difícil do que liderar sua equipe é liderar a si mesmo. Aprender quais desafios se propor é essencial para um líder motivado.

Motivar novas ideias

Todo líder deveria se preocupar em estar constantemente pensando em desenvolver novas ideias. Essa é, afinal, uma das maiores demandas do mercado atualmente, saturado de pensamento homogêneos.

Além de motivar sua própria criatividade, é recomendado que um bom líder proponha os mesmos desafios para sua equipe. Quanto mais criatividade permear o ambiente de trabalho, mais caminhos se abrirão para encontrar soluções.

Estimular o rápido aprendizado

Constante crescimento e aprendizado são a chave para o sucesso de qualquer profissional nos dias de hoje. Mas quando falamos daqueles que ocupam posições de liderança, há ainda um outro fator decisivo: a velocidade.

Líderes precisam se desafiar a aprender da maneira mais rápida possível se pretendem obter vantagens perante a concorrência. Quanto mais rápido for o aprendizado, menor será a janela para erros. Desafie-se a tirar lições positivas de quaisquer percalços que venham a acontecer. E faça isso da maneira mais rápida possível.

Ser ousado

Basicamente uma combinação dos últimos dois desafios, um líder que se propõe a ser mais ousado busca vantagens em características como sua rapidez e criatividade.

Liderança ousada pode ser traduzida em tomadas de ação decisivas, nas quais o líder está ciente dos riscos assumidos e decide apostar em seu acerto. Não é fácil, mas apostas feitas conscientemente chamam atenção e valorizam sua posição dentro da empresa.

Porém, é importante saber envolver os colaboradores em certas decisões, pois um líder que toma as rédeas apenas para si pode se tornar em um chefe autoritário. Existem momentos certos para assumir completa responsabilidade, bem como para dividi-la com toda a equipe.

4. Desafie sua equipe

Tão importante quanto saber desafiar a si mesmo dentro do ambiente de trabalho é transmitir este sentimento de ambição para todos da equipe. Por liderar servindo de exemplo, o líder também precisa criar estímulos em seus liderados.

Reconhecimento

Antes de tudo, a proposição de desafios para a equipe deve ser acompanhada de algum tipo de reconhecimento. Não necessariamente há a necessidade de algum tipo de compensação financeira, mas ao menos um reforço moral serve como uma comprovação externa de sucesso.

Reforço Positivo

Tão importante quanto o reconhecimento dos desafios vencidos pela equipe é lidar corretamente em situações onde não há sucesso. Aplicar uma punição ou uma bronca pesada podem acabar com a autoestima de qualquer profissional, não contribuindo para o crescimento do mesmo.

Praticar reforço positivo, dando feedbacks, dicas e realizando uma análise sincera são atitudes-chave de um líder consciente e preocupado com a moral de sua equipe.

Delegar responsabilidades

Uma boa maneira de propor desafios para a equipe é quando o líder sabe delegar não apenas tarefas, como um simples chefe faz, mas sim responsabilidades. Isso cria nos colaboradores um senso de participação dos projetos muito maior do que apenas a execução.

Como falado anteriormente, uma boa comunicação e diálogo entre líder e colaboradores estimula a criatividade coletiva e a busca por soluções inteligentes. Faça com que sua equipe se sinta parte de momentos decisivos da empresa.

Sobrecarga

Ao desafiar seus colaboradores, é preciso balancear suas atitudes. Evite sobrecarregá-los com muitos desafios, permitindo que realizem algumas tarefas que dominam plenamente. Isso evita episódios desnecessários de muito estresse entre a equipe.

Porém, é importante saber quando propor esses desafios, justamente para não permitir que os profissionais entrem numa zona de conforto prolongada. Por isso, um bom líder sabe dosar momentos de relaxamento com aqueles onde procura extrair o melhor de seus liderados.

5. Busque capacitação

Muitos profissionais possuem a liderança como característica inata à sua personalidade. Mas isso nem sempre é o suficiente. Para se manter inspirando sua equipe com atitudes e exemplos, além de continuar tomando decisões ousadas e de maneira assertiva, é essencial que se busque capacitação continuamente.

Bons líderes buscam métodos que se adequem à sua atitude perante a equipe, praticando seus conceitos e aperfeiçoando características que se adaptem à sua realidade.

Dentre os diversos métodos existentes, é possível destacar três: o Lean, p Seis Sigma e o 5W2H, explicados a seguir.

5W2H

Uma das ferramentas mais eficazes na gestão empresarial, que pode ser utilizada por líderes que buscam desenvolver sua equipe, a 5W2H é bastante flexível, podendo ser adaptada a diversas realidades.

A sigla que dá nome ao método vem do inglês, que representa 7 perguntas: “what” (o quê?), “who” (quem?), “why” (por quê?), “when” (quando?) e “where” (onde?), correspondentes aos 5 “Ws”. Além dos 2 “Hs” “how” (como?) e “how much” (quanto?).

Baseando-se nessas cinco perguntas, é possível dar início a qualquer ideia, reunião, decisão ou brainstorming. Quando um líder se ver diante de uma decisão, pode utilizar-se do método 5W2H para visualizar, sozinho ou junto de sua equipe, os melhores caminhos a serem tomados.

Um ponto a ser observado é que o método 5W2H normalmente é utilizado para se atingir um resultado planejado. Já com um objetivo em mente, essa técnica serve para organizar melhor as maneiras de chegar ao que se pretende. E o líder pode lançar mão da mesma para resolver uma série de percalços em sua organização, sempre de maneira consciente e planejada.

Lean

Outra técnica muito conhecida na liderança empresarial é a Lean, que corresponde em um método de redução de custos. O processo produtivo de uma empresa é passível de vários desperdícios, que podem impactar no resultado final.

Um líder lean é aquele responsável por implementar a cultura lean dentro da organização. Para tanto, além de ser capaz de enxergar o quadro geral produtivo da empresa, ele deve saber identificar os pontos de ajuste que necessitam ser corrigidos para se evitar mais desperdícios.

O profissional que se propõe a ocupar a posição de liderança lean deve agir de maneira assertiva, buscando entender os problemas in loco, sempre se envolvendo de perto. E ser um bom gestor de pessoas é fundamental, nesse caso.

O líder lean não adota posturas de imposição de métodos ou simples descaso. Ou seja, sua relação com a equipe nunca vai partir de afirmações como “faça como eu faço” ou “faça do jeito que achar melhor”. O verdadeiro líder lean é aquele que questiona sua equipe sobre o processo, envolvendo-os na busca por melhorias e pela eliminação de desperdícios.

Uma empresa que trabalha de acordo com a cultura lean tem em seu quadro funcionários conscientes do que precisa ser feito para atingir seus objetivos, além de uma liderança próxima e visionária. É capaz de desenvolver em sua equipe colaboradores responsáveis e com autonomia para resolver problemas por conta própria, dentro da filosofia da organização.

Seis Sigma

O Seis Sigma é uma método que ajuda as pessoas a identificarem oportunidades e soluções de melhoria, elevando o desempenho das organizações. As pessoas treinadas no Seis Sigma são separadas em faixas, sendo as principais os Green Belts (líderes de projetos) e Black Belts (coachings de projetos).

Suas técnica são fortemente fundamentadas na análise de dados para suportar as decisões. Por exemplo, as estratégias para solução dos problemas sempre são fundamentadas em dados coletados sobre o processo.

Saber como ser um líder de sucesso é um desafio para muitos profissionais. Exatamente por isso, poucos atingem esse objetivo. São necessárias boas doses de determinação, estudo e conhecimento. Grandes líderes são responsáveis, além de tudo, pela formação de novas lideranças dentro da equipe, o que é algo raro de se ver.

Adotar as atitudes propostas nesse artigo são um ótimo começo quando se pensa nas possibilidades de desenvolver uma carreira voltada para uma posição de liderança. Mas tudo isso vai muito além, sendo necessário ter muita dedicação no desenvolvimento pessoal. Manter-se atualizado com as últimas novidades que envolvem liderança empresarial é um ótimo passo. Para isso, que tal se inscrever na nossa newsletter e receber periodicamente conteúdos como esse?

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *