Criatividade nos projetos

Criatividade nos projetos

Criatividade nos projetos

Criatividade nos projetos – EDTI criatividade e inovação

O que você faria se te pedissem para construir uma ponte? Uma ponte para ligar a margem A até a margem B de um rio? Provavelmente, se fosse igual a 99% das empresas de projeto ou consultoria iria começar a trabalhar pensando em qual tipo de ponte fazer. O primeiro passo seria analisar o ambiente e verificar as condições do local no qual a ponte deveria ser instalada. Você iria verificar qual seria o comprimento da ponte (por meio da distância entre as margens), iria verificar a profundidade do rio, iria verificar a atividade sísmica do local, formação rochosa do leito do rio e das margens, infraestrutura do local, temperatura média, índice pluviométrico, carta dos ventos e o volume e as características do trafego que a ponte deveria suportar.

Tecnologias disponíveis

Após esta análise você iria verificar as tecnologias disponíveis para construir a ponte e elaboraria vários rascunhos com os tipos mais adequados. No rascunho haveria o investimento e tempo de execução da obra. Com estes desenhos na mão chamaria uma reunião com o cliente e discutiria em cima daquela solução que mais o atendesse. Certo? Esta sua solução é criativa? Pouco ou muito criativa?

Na EDTI não fazemos assim. Para nós, há espaço para muito mais criatividade e inovação em uma demanda como esta. A primeira coisa que fazemos é entender melhor o problema. Entender melhor o problema não é apenas considerar a solução que o cliente deu (construir a ponte) e detalhá-la. Entender é ir fundo nas causas que demandaram o pedido do cliente. A primeira coisa, a saber, é o motivo pelo qual ele deseja a ponte. Provavelmente a resposta seria para ir de uma margem do rio a outra. Diante desta resposta, perguntaríamos o motivo que gerou esta necessidade. Se a resposta fosse trabalho, começaríamos a pensar nas soluções possíveis para o cliente conseguir trabalhar.

A ponte poderia ser apenas uma delas, mas há inúmeras soluções para alguém trabalhar em outro local. Se fossemos pragmáticos poderíamos propor a utilização de um barco ou de uma balsa. Se fossemos inovadores poderíamos propor a utilização de tecnologias de comunicação que permitirão ao nosso cliente trabalhar a distância. A quantidade de soluções possíveis para este desafio é muito maior do que ficássemos restritos a ponte. Ser criativo ou inovador está intimamente relacionado à maneira como você encara um desafio. Fazer uma pergunta que vá direto a necessidade do cliente e não restrinja o campo de soluções é fundamental para sermos inovadores.

Entender profundamente o desafio e não restringir o número de soluções

Quando algum cliente nos procura com um desafio, a primeira coisa que fazemos é entender profundamente o desafio e não restringir o número de soluções possíveis já numa primeira análise. Como no exemplo da ponte, buscamos pensar em um número muito grande soluções e só depois diminuirmos o escopo de nossa solução. Sempre apresentamos aos clientes uma série de possibilidades para resolvermos o desafio. Isto nos faz mais criativos. Para finalizar, lembre-se: há somente uma solução quando somamos 5 + 5. Porém, há inúmeras possibilidades quando mudamos a pergunta: diga-me dois números que somados são iguais a 10? Questione o problema e não deixe as soluções do cliente restringir o seu trabalho e a sua criatividade. 

[retweet]
[facebook]

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *