estatistica descomplicada

Estatística descomplicada

Estatística descomplicada

No artigo de hoje vou abordar um livro que fez muito sucesso no passado, mas que anda meio esquecido: “The Purple Cow”, de Seth Godin. No livro o autor diz que para um negócio se destacar e crescer, ele precisa ser “remarkable”, ou seja, destacar-se dos demais. Entre muitos argumentos e páginas, o autor vai defendendo sua teoria de maneira muito consistente e, em um dos argumentos ele mostra que todo o produto ou serviço é na verdade uma ideia. Assim, ser “remarkable” significa ter um negócio que preste um serviço ou entregue um produto que represente esta “nova” ideia.

Posto isto, comecei há pensar um pouco em qual ideia nosso negócio representa, tentando conectar a leitura com a minha realidade.

Depois de pensar, cheguei à conclusão que a principal ideia que vendemos é que Estatística é algo extremamente útil aos negócios e que pode ser facilmente aprendida.

Infelizmente, no Brasil, a Estatística é considerada um bicho papão, mais ainda que a Física e a Matemática. Veja bem, não estou reclamando da qualidade dos estatísticos brasileiros, não é isto, estou apenas refletindo sobre o desdém com que a Estatística é tratada, inclusive em cursos que ela seria indispensável, como Engenharia.

Como engenheiro posso afirmar que durante todo o meu curso, tive apenas uma matéria de 4 créditos sobre Estatística. Fui para o mercado de trabalho, após formar-me, extremamente cru sobre o assunto, não sabendo o mínimo sobre análise de dados. Mas este não é o maior problema, o maior problema é que eu não sabia disto. Como eu ignorava totalmente o assunto, achava que meus gráficos e análises geradas de qualquer jeito pelo Excel eram excelentes. Ficava orgulhoso de afirmar que um mês estava melhor que o outro por meio de uma comparação esdruxula do tipo “antes e depois”. Para piorar, meus chefes gostavam destas análises e jamais me questionavam de maneira coerente, pedindo gráficos de controle ou algo mais apurado antes de sairmos adotando a mudança como regra.

E para testar então?

Meu escopo de testes era limitado um parâmetro por vez e observando o resultado com o “antes e depois”. Com este tipo de teste eu simplesmente ignorava a interação entre fatores e a variação normal do processo. Pobre engenheiro. Depois de muito quebrar a cabeça e fazer “análises” no Excel, resolvi me aprofundar mais.

Voltar à sala de aula para estudar algo que eu achava que dominava foi difícil, mas compensador. Já nas primeiras aulas com o Prof. Ademir percebi algo diferente, comecei a entender a Estatística. Quando passamos por Gosset (student), Fisher e seus experimentos agrícolas, fiquei enlouquecido. Como não aprendemos aquilo na faculdade? Como não sabíamos discernir entre variação normal e especial? Não saber realizar um experimento fatorial? Como? Até hoje não cheguei a uma conclusão sobre o motivo, mas acho que deve ser algo relacionado ao nosso sistema educacional. O que aprendi depois destes anos todos é que a Estatística pode e deve ser estudada. Aprendi também que a Estatística é a melhor Ciência para os negócios no ambiental atual, pois testar mudanças é parte da dinâmica do dia a dia.

Não adianta sabermos as mais modernas teorias sobre gestão se não soubermos como testar. Lean Startup, Business Model Canvas, Pivot, BSC, etc… tudo isto só leva ao sucesso se soubermos o básico: como fazer bons testes.

Como aprender Estatística? Um bom começo é ler o nosso blog e trocar ideias e opiniões conosco. A outras é fazer algum curso, como Green Belt e o Black Belt. Para os autodidatas, recomendo os livros. Há ótimos livros que vão abrir a sua cabeça e mostrar as maravilhas do mundo da Estatística descomplicada para você. Nosso Purple Cow é isto: Ensinar a Estatística útil ao seu trabalho, da maneira mais descomplicada possível.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.