Gestão da mudança: queimem seus navios!

Gestão da mudança

Gestão da mudança: queimem seus navios!

Gestão da mudança – Uma das expressões mais citadas quando falamos em mudança é: “queimem seus navios”. De onde veio tal expressão? Alguns a atribuem a Pizarro, que realizou tal manobra logo após desembarcar na América do Sul com seus homens. Outros a atribuem a outro conquistador espanhol, Hernando Cortez, que ao desembarcar no México ordenou a seus homens a queima dos navios. Quando estes homens fizeram isto, eliminaram a possibilidade de escolhas e tornaram a decisão irrevogável.

Com o passar do tempo, esta expressão acabou se tornando uma metáfora para forçar que uma determinada mudança ocorra. Mas, será que precisamos de uma atitude tão extrema para consolidar uma mudança? Neste artigo iremos discutir exatamente isto.

Oportunidade de mudar

Galbraith, economista e filósofo americano, já dizia: se dermos as pessoas a oportunidade de mudar ou a de provar que a mudança não é necessária, a maioria esmagadora irá preferir provar que a mudança não é necessária. Somos procrastinadores por natureza e não gostamos do novo.

Para nós, seres humanos, toda a mudança é difícil e se não houver uma liderança forte que nos mostre os benefícios nos force a mudar, ela é impossível. Sem isto, dificilmente sairemos da nossa zona de conforto e mudaremos para o modo aprendizado. Muitas pessoas passam pouco tempo da vida adulta aprendendo coisas novas, a maioria somente repete uma série de atividades que aprendeu há tempos. As organizações mais inovadoras são aquelas mantém as pessoas no modo aprendizado, observando atentamente detalhes e buscando testar novos insights. Forçar as pessoas a ficarem em modo aprendizado é garantia de boas ideias.

Outro aspecto que dificulta a mudança é o medo do desconhecido. Um novo processo poderá afetar o equilíbrio de forças e o poder de influência dentro de uma organização. Um colaborador que era muito requisitado por saber sobre o processo antigo, poderá não conseguir assimilar tão bem o novo processo e, isto reduzirá seu prestígio interno ou ser realocado.

Queime seus navios

Diante disto, para que a mudança tenha possibilidade de sobreviver aos seres humanos, é fundamental que o CEO ou o patrocinador da mudança “queime seus navios”. Isto irá eliminar a possibilidade de resistir à mudança e forçará as pessoas a mudarem o seu foco de “provar que a mudança é ruim” para “fazer a mudança funcionar”. Sem isto, as pessoas, frente a qualquer dificuldade (mesmo aquelas causadas pelo jeito antigo de se fazer as coisas) irão esquecer a mudança e irão proceder da maneira que deu certo no passado, por mais errado que isto esteja no presente.

1 responder
  1. IVANSERGIO AFONSO says:

    Sair da zona de “conforto”, do medo do novo, e manter-se no modo “aprendizado”.
    Essas colocações são tão abrangentes que funcionam em todas as situações e modos que a vida nos oferece. Plenitude seria para mim o conceito.

Trackbacks & Pingbacks

    Deixe uma resposta

    Want to join the discussion?
    Feel free to contribute!

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado.