Lean aplicado ao setor de saúde

Lean aplicado ao setor de saúde

Lean aplicado ao setor de saúde

Lean aplicado ao setor de saúde – Desde que o Lean tornou-se um amplo movimento ao redor do mundo, de tempos em tempos um novo setor da indústria emerge aplicando o Lean em seus negócios. Tudo começou na indústria automotiva e logo se espalhou por outras grandes indústrias de manufatura. Em seguida alcançou pequenas e médias empresas até chegar para as bases de defesa dos Estados Unidos, que reformulam seus sistemas de armamento com base nesta nova filosofia. Por volta de 2005, o Lean já era plenamente utilizado em bancos, call centers, mineradoras, armazéns e muitos outros setores. Mas o grande prêmio do movimento Lean é o setor de saúde.

Nos hospitais, o Lean demonstrou-se um desafio bastante gratificante. Mas quais são os benefícios que podemos conseguir com mais esta aplicação do Lean? Quais são os desperdícios que encontramos no sistema de saúde?

Desperdício pode custar vidas

Um desperdício muito fácil de observar é a espera. Quanto tempo ficamos na fila em hospitais aguardando para ser atendido ou para realizar exames, ou até mesmo cirurgias? Nestes casos, este desperdício pode custar vidas.

Outro desperdício que podemos encontrar é o super processamento. Alguns hospitais padronizam seus procedimentos de atendimento, e sempre que um novo paciente chega ao hospital, ele é primeiramente encaminhado para consulta com um cirurgião, mesmo se o seu problema for dor de barriga.

O tempo de Setup também é um desperdício comum. Alguns hospitais perdem muito tempo na preparação de salas cirúrgicas, reduzindo assim a capacidade de efetivamente realizar as cirurgias.

Um desperdício que não é muito fácil de observar mas que merece uma grande atenção é o desperdício com órgãos. Muito órgãos são perdidos e acabam não chegando aos pacientes que os necessitam devido ao sistema de filas (o primeiro da lista à receber o órgão nem sempre é compatível ou se encontra a uma distância que o órgão possa ser transportado).

Os resultados do Lean aplicado ao setor de saúde já começam a ser conhecidos, e esperamos que esses resultados se multipliquem, conseguindo cada vez mais, salvar mais vidas.

[retweet]
[facebook]

2 respostas
  1. Leonardo Leite Oliva
    Leonardo Leite Oliva says:

    O autor só se esqueceu de que o objetivo do “Lean” é justamente a redução de desperdícios a custa de qualquer outra coisa, inclusive no custo de treinamento de médicos e enfermeiras, nos equipamentos “caros” e “desnecessários”, entre outras coisas.

    Problemas de filas de espera, preparação de salas, transporte e armazenamento de órgãos e coisas do tipo tem como causa justamente a falta de investimento de entidades governamentais e particulares na formação de seus funcionários e organização da logística. Ou seja, esses efeitos só podem ser resolvidos com políticas não “lean”, porque o que se vê espalhado pelo nosso país é justamente essa retenção de recursos – seja na formação, no treinamento ou na compra de equipamentos…sempre visando um lucro maior…- em prol dessa dita “eficiência”. Mas eficiência pra quem?

    É uma insensatez acreditar que o “Lean” é solução para problemas desse tipo.

    A solução dos problemas citados pelo autor são justamente o aumento de “gastos” para que funcionários, enfermeiras e médicos sejam formados adequadamente e recebam uma boa remuneração. Dessa forma esses problemas todos citados tendem a reduzir.

    O “Lean” é uma metodologia que visa cortar custos não atacando as reais causas dos problemas, que é a exploração dos médicos pelos donos de convênios e o esnobismo dos políticos por questões de saúde pública, que investem uma mixaria nesse setor.

    Em suma, mais uma vez tenta-se tapar o sol com a peneira de forma a não tirar do pedestal aqueles que são fonte do problema: a busca dos donos do capital (que não tem o conhecimento técnico e não estão no “front” de guerra dos hospitais, e…não trabalham de fato) em diminuir gastos com seu staff e equipamentos de mascarar essa política como a verdadeira e única solução para problemas estruturais que permeiam o setor de saúde.

    Espero que a humanidade tenha o bom senso de perceber o que realmente o que está acontecendo. Caso contrário, os fatos mostrarão os resultados dessa nova religião tão cultuada por alguns.

    Sds,

    Leonardo

    Responder
    • admin
      admin says:

      Bem colocado Leonardo. Há muitas consultorias que saem aplicando Lean sem entender o conceito. Estas são as mesmas que utilizaram da Reegenharia no passado para demitir pessoas e gerar falsos lucros, em benefício próprio. O que nós propomos é o Lean em sua essência, cujo objetivo é reduzir os desperdícios do sistema e ensinar as pessoas aprenderem.

      Cortar por cortar não é nossa missão.

      Abracos

      Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *