Manufatura aditiva: você está preparado para o futuro com a impressão 3D?

Imagine que você está elaborando um objeto pelo computador. Ao concluir, antes mesmo de começar a montar o modelo de modo manual, você simplesmente manda imprimir e, depois de algum tempo, ele está pronto para uso. É exatamente isso que a tecnologia da manufatura aditiva possibilita. A partir de técnicas digitais, a impressão 3D tem sido capaz de revolucionar diferentes setores do mercado, sendo considerada um dos pilares da indústria 4.0.

Nesse sentido, no post a seguir, vamos lhe apresentar um panorama da manufatura aditiva. Confira!

O que é a manufatura aditiva?

Popularmente conhecida como impressora 3D, a manufatura aditiva é um nome técnico para esse processo de fabricação digital.

Pela operação de diferentes ferramentas e de softwares modernos, essa tecnologia é capaz de fazer sobreposição de camadas com o objetivo de formar objetos com diferentes tipos de material, como resina, plástico, metal, cerâmica, entre outros.

Vale destacar que todo esse processo é feito apenas com o uso de um modelo digital elaborado no computador, não é preciso a utilização de nenhum tipo de molde.

Como funciona?

Basicamente, a impressora 3D funciona com a ação de um software de desenho digital capaz de montar um projeto tridimensional. Além disso, também é necessário ter acesso a programas para fazer esse tipo de modelagem: SolidWorks, Sketchup, AutoCAD, TinkerCAD e 3ds Max são exemplos de programas utilizados para elaborar modelos 3D.

Depois que o desenho estiver pronto no software, bastará enviar o arquivo para a impressora 3D para iniciar a montagem física do projeto.

Diferente da manufatura convencional — conhecida como manufatura subtrativa — que necessita de uma grande quantidade de material para formar o produto, na aditiva o material é acrescentado aos poucos para que possa ser feita a sobreposição de forma gradativa. A vantagem disso é a redução do desperdício e, consequentemente, dos custos.

Outras tecnologias são empregadas durante o processo de montagem, como:

  • Fused Deposition Modeling (FDM): utiliza um filamento termoplástico que pode ser aquecido até praticamente o estado líquido;
  • Selective Laser Melting (SLM): usa um laser potente para derreter e fazer a fusão de um pó metálico;
  • Selective Laser Sintering (SLS): o laser altera a propriedade do pó para fazer os modelos 3D;
  • Stereolithography Aparattus (SLA): utiliza luz ultravioleta para curar resinas em estado líquido.

Quais são suas vantagens?

Como já falamos, a manufatura aditiva vem revolucionando a Indústria 4.0 e trazendo inúmeras vantagens para os mais diversos setores do mercado, quando comparada à forma tradicional. Entre elas, podemos citar:

  • projeção de peças com geometria complexa;
  • prototipagem feita com mais produtividade;
  • redução de custos de armazenamento e transporte de ferramentas;
  • menor desperdício de material;
  • logística mais simples para o produto chegar ao cliente final;
  • mais liberdade para criar peças;
  • manufatura de ferramentas acelera a produção;
  • ferramentas fabricadas têm o peso global menor.

Como a impressão 3D é utilizada?

Atualmente, a impressora 3D é utilizada de diferentes formas para cumprir o novo nível de exigência do mercado. Conheça alguns dos setores nos quais a manufatura aditiva já é uma realidade:

Médica

Na medicina, a manufatura aditiva vem sendo utilizada para fazer protótipos biocompatíveis de diferentes partes do corpo, como coração, rins e vasos sanguíneos, o que possibilita estudos mais aprofundados e acelera a descoberta de novas formas de tratamento de diversas doenças.

Essa tecnologia também tem sido importante para criar dispositivos de implantes dentários e ortopédicos, além de ferramentas cirúrgicas modernas. O avanço desses equipamentos podem salvar a vida de milhares de pessoas nos próximos anos.

Automotivo

O setor automotivo já elabora equipamentos complexos que não seriam possíveis para a manufatura tradicional. Atualmente, o trabalho com a impressora 3D já envolve modelos elastoméricos, itens personalizados, diferentes tipos de protótipos e painéis de vários tamanhos. O avanço da manufatura tornou possível a abertura para novas aplicações de uso final e de personalização geral da indústria.

Energia

Não há como negar o problema energético dos dias atuais. Por isso, frequentemente são criadas inovações para suprir a demanda de energia de forma ecologicamente sustentável. Graças à impressora 3D, já foram inventados vários componentes energéticos e ecológicos que suportam diferentes ambientes. Por causa da sua eficiência, essas ferramentas são uma alternativa para suprir diversas necessidades da área.

Aeroespacial

Sendo considerada uma das primeiras áreas a usar ativamente a manufatura aditiva, a indústria aeroespacial trabalha com engenheiros que projetam plataformas com a tecnologia da manufatura avançada. Os novos projetos exigem materiais mais complexos, com melhor qualidade e, principalmente, com menor peso, e isso só é possível por meio da fabricação digital.

Componentes personalizados de aeronaves, tanques de combustível e óleo e dutos de sistemas de controle ambiental são alguns exemplos de aplicações possíveis dessa tecnologia no setor aeroespacial.

Bens de consumo

A impressora 3D é extremamente importante para diversas áreas que trabalham com bens de consumo. A venda de um produto, por exemplo, torna-se muito mais simples quando ele já está projetado, uma vez que é possível fazer a demonstração para os interessados. Isso é muito mais atrativo do que apresentar somente uma ideia vaga de como seria o produto.

Antes mesmo de colocar no mercado, o profissional de mentalidade empreendedora pode elaborar um protótipo funcional e fazer testes ao vivo para os seus clientes.

Qual é a tendência para o futuro?

Por apresentar oportunidades únicas de crescimento em diversas áreas, a tendência é que, a cada ano, mais setores do mercado fiquem interessados em aderir à tecnologia da manufatura aditiva. Isso é o que prova o Relatório sobre Impressão 3D e Manufatura Aditiva publicado pela Wohlers Associates 2018. Segundo ele, a venda da tecnologia vai chegar a US$ 28 bilhões até 2023, indo parar no mercado de trabalho mundial.

Visto que a manufatura aditiva representa o próximo passo para a geração da Indústria 4.0, é fácil prever que, com o passar tempo, ela estará cada vez mais presente no cotidiano das pessoas, auxiliando não apenas na área médica, automotiva, energética, aeroespacial e de bens de consumo, mas também nas necessidades mais comuns de micros e médios empreendimentos. Conhecê-la e adotá-la na empresa será algo essencial para aumentar os resultados e se destacar nos próximos anos

Gostou de conferir o panorama da impressão 3D? Então, aproveite para compartilhar o post nas redes sociais!

Rating: 5.0/5. From 1 vote.
Please wait...
0 respostas

Deixe uma resposta

Quer participar da conversa?
Deixe sua opinião! :)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *