Meta e motivação: 3 dicas sobre o que não fazer

Meta e motivação

Meta e motivação: 3 dicas sobre o que não fazer

Meta e motivação – Hoje continuaremos a falar sobre o tema motivação, ou melhor, a como não desmotivar a equipe. Ontem vimos que slogans, exortações e frases motivacionais não surtem efeito algum em longo prazo na organização. Outro tipo de “motivação” polêmica que não gera lá muito efeito são as METAS.

Mais uma vez, vamos recorrer ao nosso Guru da Qualidade, o Dr. Deming, para nos ajudar nesta tarefa. Precisamos esclarece que a meta não é algo mágico. Vamos à história.

Uma empresa colocou uma meta agressiva para a redução do seu número de itens refugados. E, para que as metas fossem atingidas, contratou uma campanha de endomarketing para motivar seus funcionários. A ideia dos administradores era que com uma meta agressiva e uma boa campanha de motivação, o resultado não vir era algo impossível.

Porém, como aos olhos dos funcionários a meta era algo impossível, a campanha acabou não resultando em nada mais que medo e desconfiança por parte deles, em relação à administração central.  

Com isto, Deming relata seis consequências que um endomarketing aliado a uma meta numérica impossível traz a empresa. São elas:

  1. As metas não são alcançadas
  2. Aumentam as variações presentes nos processos da empresa
  3. Aumenta a proporção de itens com defeito
  4. Aumentam os custos
  5. A força de trabalho desanima e desmotiva
  6. Desrespeito geral pela administração

Neste post, não pretendo argumentar contra os cartazes ou contra as metas. Pessoalmente, acho a meta uma coisa importante. Sempre tive metas na minha vida acadêmica e na minha vida profissional, mas metas minhas, cujos prazos eu estabeleci para atingir objetivos que me interessavam. O problema, na verdade, acontece quando o projeto possui metas numéricas, estabelecidas por outras pessoas e desacompanhadas de orientações sobre como alcança-las. Estas sim, não muito nocivas à organização.

Repito: uma empresa precisa ter objetivos, como firmeza de propósito e aperfeiçoamento continuado. Menos discurso e mais ação. Esta é o propósito da EDTI que pregamos em todos os nossos projetos. Chega de consultorias que adoram enrolar o cliente, utilizando-o como fonte mensal de renda. E chega também, de palestras motivacionais persuasivas. Responsabilizar as pessoas não adianta. O que funciona é MÉTODO, OBJETIVO e muito trabalho. Seja prático e entregue ao seu colaborador um método eficaz para ele trazer resultado. Após a entrega do método, trabalhe para retirar os obstáculos do caminho dele. Tenho certeza de que assim, a META é atingida facilmente. 

[retweet]
[facebook]

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.