Proteste com dados 6: Bolsa Família

Proteste com dados 6: Bolsa Família

No artigo de hoje vamos dar uma olhada mais de perto no famoso “Bolsa Família”. Muito se fala sobre este programa, uns bens outros nem tanto, mas poucos apresentam os dados. Dados estes muitos difíceis de encontrar, diga-se de passagem.

A primeira fonte de busca deles foi o Google, que me levou para o portal “Contas Abertas” e para o “Portal da Transparência” do governo federal. Preferi utilizar o segundo, por ser um dado que vem direto do banco de dados do governo, porém, lá só achei os desembolsos do programa (lá chamado de Transferência de Renda Diretamente às Famílias em Condição de Pobreza e Extrema Pobreza Lei n 10836 de 2004) até o ano de 2008. Sendo assim, optei por complementar a coleta no “Contas Abertas”.

Como última tentativa de achar os dados de maneira mais organizada, recorri ao IPEADATA. Lá achei outro indicador sobre o programa: “valor total dos benefícios em dezembro”. Com este indicador é possível analisar o crescimento anual do programa, por meio da comparação dos meses de dezembro anualmente. Não entendi o motivo pelo qual o IPEA não consolida os dados sobre o programa. Isto facilitaria muito análise por parte dos brasileiros e reduziria possibilidade de sermos enganados pela mídia.

Diante de toda esta confusão para a coleta dos dados, resolvi mostra-los na tabela 1. Uma dica a vocês que analisam dados via Excel: organizem os dados em colunas. Um banco de dados organizado é 80% da análise.

Tabela 1: Dados sobre o programa Bolsa Família e suas fontes.

Fonte

Portal da transparência

Portal da transparência

Contas Abertas

IPEA.Data

Ano

Total destinado pelo Governo Federal em âmbito nacional em – Transferência de Recursos (R$)

Transferência de Renda Diretamente às Famílias em Condição de Pobreza e Extrema Pobreza Lei n 10836 de 2004 (R$)

Valores pagos (R$)

Programa Bolsa Família (PBF) – valor total dos benefícios em dezembro (R$)

2004

  

5.748.476.297,06

39.870.605,00

2005

  

6.581.917.177,81

549.385.527,00

2006

  

8.131.734.994,44

686.701.812,00

2007

  

9.179.952.816,08

831.106.698,00

2008

203.766.062.325,61

10.811.168.987,00

10.940.066.128,31

905.899.897,00

2009

209.364.793.984,53

12.417.041.638,00

12.189.824.812,17

1.174.300.000,00

2010

232.525.320.910,76

14.359.188.030,00

13.970.601.542,99

1.239.000.000,00

2011

265.087.732.011,67

17.283.104.720,00

17.161.237.325,36

1.602.100.000,00

2012

250.308.351.600,32

20.288.877.787,33

20.978.642.692,63

 

Dando sequencia a análise é interessante avaliar a taxa de crescimento anual do benefício segundo cada uma das fontes.

Tabela 2: Taxa de crescimento dos gastos do programa.
AnoTaxas de crescimento anual – Portal da transparênciaTaxas de crescimento anual – Contas AbertasTaxas de crescimento anual – IPEA.Data
2004 – 2003***
2005 – 2004*1,144984661,377921
2006 – 2005*1,2354660161,249945
2007 – 2006*1,1289045721,210288
2008 – 2007*1,1917344621,089992
2009 – 20081,1485382991,1142368491,29628
2010 – 20091,1564097511,1460871471,055097
2011 – 20101,2036268821,2283821331,293059
2012 -20111,1739139531,222443481*

Com o banco de dados pronto e organizado, é possível começarmos a plotar os gráficos para que a informação fique mais fácil de ser visualizada e nossa análise mais completa.

Na figura 1 temos a evolução dos valores gastos pelo programa, segundo o Portal Contas Abertas, dos anos de 2004 a 2012.

 Proteste com dados

Figura 1: evolução dos valores gastos pelo programa, segundo o Portal Contas Abertas, dos anos de 2004 a 2012.

Na figura 2 temos a evolução da taxa de crescimento dos gastos do programa, segundo o Portal Contas Abertas, dos anos de 2004 a 2012.

Figura 2: evolução da taxa de crescimento dos gastos do programa, segundo o Portal Contas Abertas, dos anos de 2004 a 2012.

Analisando a figura 2 é possível observar que em todo o governo o valor destinado ao Bolsa Família só cresce. A cada ano o governo gasta em média 17% mais recursos com o programa de redistribuição de renda. Não faz parte do escopo deste artigo julgar o programa sobre qualquer aspecto, apenas mostrar a evolução dos números.

Com estes dados, também podemos voltar ao artigo sobre o desemprego, mais especificamente sobre o subemprego e verificarmos a nossa hipótese sobre correlação entre porcentagem da população que está subempregada e volume distribuído pelo programa. Esta análise é feita por meio da figura 3.

Figura 3: gráfico de dispersão para verificar a existência de correlação entre a % da população subempregada e o volume de recursos do Bolsa Família.

Pela figura 3 fica claro não haver nenhuma correlação entre estas duas variáveis. 

2 respostas
  1. Bruno
    Bruno says:

    Parabens pela pesquisa. Vemos, por parte tanto dos que defendem quanto dos que criticam, tanta gritaria. Na maioria das vezes o escarcel acontece por falta de dados e argumentos
    Particularmente defendo o programa e eh bom conhecer os dados.

    Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *