Proteste com dados 2: inflação

Proteste com dados 2: inflação

Como estão nossos índices de inflação? O que mais lemos e ouvimos nos últimos meses é que o dragão da inflação está de volta. Mas, me pergunto, será que ele está ou será que mais uma vez temos problemas em entender a variação inerente do processo?

Para responder a isto iremos colocar plotar vários gráficos dos indicadores de inflação e depois, vamos pedir, por meio dos comentários, que vocês exprimam sua opinião sobre o dragão. Queremos ouvir a análise sobre o tema.

Para começar na figura 1 temos quatro índices plotados, IGP-M, INCC, INPC e ICV-SP. Para facilitar a comparação, todos os índices foram colocados na base 100 em agosto de 1994.

 Proteste com dados

Figura 1: gráfico de tendência do IGP-M, INCC, INPC e ICV-SP de agosto de 1994 até abril de 2013.

Para ficar mais fácil a comparação entre os índices, é aconselhável coloca-los num mesmo gráfico de tendência. Isto é feito na figura 2.

Figura 2: comparação entre os índices de inflação.

E se olhássemos a variação mensal? Será que ficaria mais fácil entender o comportamento da inflação? Para isto, plotamos na figura 3 e 4 um gráfico de individuais para todos os índices de inflação, dividindo os estágios por governo. 1 é o governo Itamar Franco, 2 o Fernando Henrique, 3 Lula e 4 Dilma.  Na figura 5, por sua vez, fizemos uma comparação entre a variação mensal dos quatro índices por meio de um gráfico de tendência.

 

Figura 3: gráfico de individuais para os índices INCC e INPC.

 

Figura 4: gráfico de individuais para os índices ICV-SP e IGP-M.

 Figura 5: gráfico de tendência da variação mensal dos índices de inflação.

Pelas figuras 3 e 4 dá para se notar alguns comportamentos interessantes. Por meio dos gráficos é possível notarmos quais índices é mais importante para o governo, já que há índices mais “controlados” que os outros. Isto mostra que o governo, às vezes, ajusta a inflação por meio de medidas heterodoxas e que beneficiam alguns setores da economia. Mas, será que isto continua? Para ilustrar um pouco mais este ponto, vamos dar uma olhada mais de perto no governo Dilma.

 

Figura 6: gráfico de individuais para a variação mensal dos índices INCC, INPC, IGP-M e ICV-SP no governo Dilma.

 

    Figura 7: gráfico de tendência para a variação dos índices INCC, INPC, IGP-M e ICV-SP no governo Dilma.

 

Pela figura 6 é possível verificar uma alternância anormal de sobes e desces em alguns índices? O que você acha? De acordo com as regras sobre causa especial, precisaríamos de 14 pontos alternados, abaixo e acima de média para afirmarmos a existência do “tempering”.  Mas, será que o governo anda “ajustando” o índice de inflação com medidas que agem sobre o efeito e não sobre a causa. Dica: há um índice em que este procedimento parece parecer. Qual é? Quem responder corretamente concorre a 2 vagas em nosso próximo curso de Green Belt e, a melhor análise com em cima destes indicadores irá ganhar um curso de criatividade. Participe, é grátis e gostoso elaborar análises sobre os temas macroeconômicos.

Outro ponto interessante: há autocorrelação de 1 período no IGP-M. Isto significa que o índice IGP-M demora para mudar sua tendência em 1 período. O que isto significa? Elaborem suas teorias. Lembrem-se, é muito melhor manifestar as opiniões sobre os governos munidos de uma boa análise de dados e, claro, sem violência. Há nesta análise um gráfico desnecessário e ruim. alguém sabe qual é? 

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *