cinco-forcas-de-porter

Cinco forças de Porter

A influência da concorrência e fatores externos são preocupações constantes para empreendedores, mas como analisar esses aspectos? As cinco forças de Porter é um modelo que leva em consideração fatores, ou cinco forças competitivas, que ao serem detalhadas, e avaliadas possibilita o desenvolvimento de estratégias eficazes.

Como surgiu:

No final de 1970, o professor Michael Porter, de Harvard, criou o modelo que acabaria se difundindo rapidamente por ser recurso completo para se analisar um ambiente competitivo.

Atualmente continua sendo muito utilizado para se ter uma visão mais abrangente da concorrência, e criar estratégias eficazes baseadas nessas informações.

Por essas razões a análise das cinco forças de Porter se torna indispensável para que uma empresa consiga determinar de que forma deve entrar em um mercado, como deve se posicionar diante da concorrência, fornecedores e clientes.

Como funciona:

O modelo se fundamenta em cinco forças, ou ponto conceituais, que são baseados no contexto da rivalidade entre concorrentes, são eles:  ameaças de produtos substitutos, poder de barganha de clientes, ameaças de entrada de novos concorrentes, poder de negociação dos fornecedores e a ameaça de produtos substitutos.

Vamos falar detalhadamente sobre cada um deles a seguir.

1 – Ameaça de produtos substitutos

Produtos novos deixam de ser inovadores rapidamente, em resumo, o mercado não para de criar.

A partir do momento em que um produto ou serviço é lançado, por mais inovador que você acredite ser, seu concorrente não deixará de buscar novas soluções e oferecer um produto melhor que a versão anterior.

Por conta disso, procure por todos os produtos que se assemelham ao seu.

Com essa base você poderá traçar uma base de características comuns e poderá visualizar de forma mais clara onde existem falhas que possam ser aperfeiçoadas.

2- Poder de barganha dos clientes

Com novas formas de consumo, como a internet, um único consumidor ganha uma força e voz enorme, o que abre espaço para negociações.

É importante buscar formas de não depender de poucos consumidores, e sempre tratar todo e qualquer cliente com excelência.

Fora esses princípios, ao considerar algumas questões você poderá qual o nível do poder de barganha de seus cliente, como por exemplo:

  • qual a proporção de compradores para fornecedores do meu produto?
  • qual o poder deles para ditar os termos de negócio?
  • como o ticket médio dos meus clientes influência no processo de compra?
  • meus clientes são ativos nas mídias sociais, para afetar a opinião de outros?

3 – Entrada de novos concorrentes

Conheça bem o mercado ao qual sua empresa está inserida, e quem são os seus concorrentes diretos.

Um fato deve ser lembrado: Nem sempre sempre uma empresa é sua concorrente apenas por vender o mesmo produto que sua empresa.

O que deve ser considerado é seu público alvo, mesmo nos casos em que o produto é o mesmo, se o público alvo de seu negócio não é o mesmo, não se trata de uma concorrente.

Algumas questões também podem ser realizadas nessa questão:

  • Como se destacar de seus concorrentes diretos?
  • Como os concorrentes estão agrupado? (Nos casos onde existem grandes grupos, haverá mais força de negociação com fornecedores)
  • As marcas concorrentes já se consolidaram? São admiradas?
  • Quais as vantagens competitivas dos concorrentes? Custos menores? Margens maiores? Localização?

4 – Poder de negociação dos fornecedores

Ter poucos fornecedores, ou até mesmo apenas uma opção de fornecimento, acaba o deixando numa situação de dependência.

Custo, tempo de entrega, qualidade, entre outros aspectos, devem ser levados em consideração, e todos esses pontos são definidos pelos fornecedores.

Tenha opções de fornecimento pode evitar ficar refém de um fornecedor em eventuais casos envolvendo atrasos, defeitos, e aumento de custo.

Construa relações de parceria com seus fornecedores.

5 – Ameaça de produtos substitutos

Novos empreendedores costumam acreditar que seus produtos terão sempre lugar garantido no mercado de consumo.

É extremamente importante criar barreiras desde o início.

Patentes, marcas fortes e registradas, e contratos de exclusividade são alguns exemplos de formas que o empreendedor pode utilizar para dificultar o surgimento de novos concorrentes em seu território.

Produtos inovadores podem ser vendidos de forma aprimorada pela sua empresa, um produto que substitua o seu encerra suas possibilidades de negócio.

Como inserir as cinco forças de Porter em seus negócios:

Existem três estratégias que podem ser utilizadas em qualquer tipo de empresa, desde as menores a multinacionais, são elas:

Liderança de custo

Mantenha seus lucros atuais, isso pode ser realizado de duas formas:

  • Reduzindo custos e aumentar os lucros por cobrar segundo o padrão da indústria;
  • Reduzir preços para aumentar a participação de mercado, mantendo os lucros atuais.

Diferenciação

Diferenciar o produto oferecido por sua empresa dos oferecidos pelos concorrentes.

Isso pode ser feito ao apostar em seu desenvolvimento constante, bem como em novos processos de vendas e marketing.

Foco

Como gostamos de ressaltar sempre em nossos conteúdos, ter conhecimento sobre o mercado e todas as suas variáveis é imprescindível.

Desta forma você poderá encontrar os nichos certos e aumentar as vendas, e também diminuir o impacto negativo citado em qualquer uma das cinco forças de Porter.

Agora você sabe novas formas de se atentar a influência de seus concorrentes, e como lidar com elas.

Para continuar aprendendo continue acompanhando nossos conteúdos e baixe o eBook: Guia completo: como é possível impactar os indicadores? E entenda como a escolha de bons indicadores pode impactar em todo o processo de melhoria contínua de uma empresa.

 

 

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.