Fluxo de Caixa

Tudo que você precisa saber sobre Fluxo de Caixa!

publicado em | atualizado em

Avaliar o fluxo de caixa é uma das formas de se medir o quanto a empresa está crescendo. E, não há como negar, ouvir falar em fechamento de caixa positivo é como ganhar um prêmio, não é mesmo? Esse é o sonho de todo mundo, mas, infelizmente, não é a realidade de muitos.

Por isso, se os recursos disponíveis são insuficientes para fechar a conta, chegou o momento de repensar como o seu dinheiro está entrando e, principalmente, para onde está sendo direcionado. Para entender melhor do que se trata fluxo de caixa, preparamos este post. Fique com a gente e confira mais detalhes a seguir!

O que é fluxo de caixa?

O que é fluxo de caixa?

É, basicamente, o dinheiro que entra e sai da sua empresa em determinado período. É o que o seu negócio recebe e o que ele paga. Se, durante o período mencionado, entrar mais dinheiro e sair menos, significa que sempre haverá recurso suficiente para manter a empresa saudável e o caixa, é positivo. Caso contrário, o fluxo é negativo e coloca o negócio em risco. Diante disso, é muito importante sempre considerar as vantagens de controlar esse fluxo de forma positiva.

Vantagens do fluxo de caixa

Vantagens do fluxo de caixa

Manter o fluxo de caixa saudável proporciona inúmeras vantagens, como as que listaremos a seguir:

  • Planejar, prever e controlar as entradas e saídas de dinheiro dentro de um determinado período;
  • Antecipar decisões relativas ao dinheiro que sobra ou falta no período;
  • Verificar se as entradas de dinheiro serão suficientes para cobrir as despesas previstas e assumidas;
  • Saber se a empresa trabalha com privação ou margem financeira;
  • Analisar se é possível realizar liquidações ou promoções;
  • Manter recursos para ajustes do preço de venda para baixo ou para cima;
  • Entender se os recursos financeiros do caixa são suficientes para continuar o negócio ou será preciso fazer algum tipo de empréstimo.

Tipos de fluxo de caixa

Existem diferentes tipos de fluxo de caixa e cada um tem objetivos e características próprias. Por isso, é importante saber como cada um funciona para usá-los corretamente. Acompanhe e saiba quais são eles.

Fluxo de caixa direto

É o tipo mais usado no mercado, tendo em vista que ele leva em conta as operações financeiras de forma bruta e deixa de lado qualquer desconto. Suas entradas e saídas são ordenadas em categorias ajustadas às atividades de gestão e as informações são fornecidas diariamente, o que exige mais tempo e atenção da equipe de trabalho.

Fluxo de caixa indireto

Nesse tipo, é preciso usar o balanço patrimonial na hora de considerar a variação dos ativos de um determinado período. Sendo assim, contabiliza-se o lucro obtido no intervalo de tempo definido a fim de reajustá-lo partindo da depreciação e da amortização.

Fluxo de caixa projetado

Esse tipo de fluxo de caixa serve para prever as receitas e os gastos, portanto, ele não usa os valores já removidos ou adicionados no orçamento. Dessa forma, é viável preparar o orçamento com a finalidade de pagar despesas e garantir o cumprimento dos prazos. Assim, se você acompanhar o fluxo de caixa projetado constantemente, nunca será surpreendido.

Fluxo de caixa operacional

Nesse caso, é possível levantar todas as movimentações financeiras necessárias para a manutenção do funcionamento do negócio, ou seja, as receitas e os gastos operacionais, como a manutenção do estoque e a folha de pagamento, por exemplo. Nesse caso, não se deve contabilizar o pagamento de impostos e taxas nem os investimentos feitos.

Fluxo de caixa livre

É usado para medir a capacidade de geração de capital da empresa. Ele aponta o saldo obtido em curto, médio e longo prazo, além de ser recomendado para trabalhar no período entre 60 e 90 dias e dentro de um prazo maior: entre 2 e 5 anos.

Ferramentas que auxiliam o gerenciamento do fluxo de caixa

O mercado oferece diversas soluções para um controle financeiro eficiente e uma das ferramentas mais conhecidas é o ERP, um sistema de gestão empresarial capaz de automatizar todas as tarefas e, ainda, controlar o negócio. É ideal para fazer o controle financeiro do seu empreendimento, podendo ser complementado com outras funções específicas, como emissão de notas fiscais, integrando com outros softwares.

Outra opção para empresas de pequeno porte são as planilhas e as ferramentas para registro de caixa diário. Essas são bem menos eficientes que o ERP, uma vez que exigem trabalho manual, que toma tempo, além de não oferecerem todas as funcionalidades de um software especializado.

Principais elementos do fluxo de caixa

São as já bem conhecidas entradas e saídas ou receitas e despesas. Falaremos brevemente de cada uma a seguir:

Entradas

São todos os recebimentos efetuados pela empresa em determinado período. São originadas, geralmente, por vendas de serviços ou produtos, podendo ser representadas por outros valores de ingresso e, por isso, devem ser registrados.

A mais relevante das entradas são as receitas, que devem conter a origem de cada valor, a forma de pagamento e a data do recebimento. Alguns exemplos delas são: vendas, duplicatas, capital de novos sócios, financiamentos ou empréstimos.

Saídas

Trata-se aqui dos valores usados para pagamento ou desembolso. Normalmente são os pagamentos de contas rotineiras, como fornecedores, salário de colaboradores e contas diversas, ou seja, são todos os custos e gastos referentes ao funcionamento da empresa, como contas fixas (telefone, aluguel, água, luz, etc.) e variáveis (contratação de serviço extra e outros imprevistos). Assim sendo, tudo deve ser anotado o mais corretamente possível a fim de contribuir com o planejamento das contas.

Como fazer?

O primeiro passo para obter um fluxo de caixa ideal é registrar as entradas e saídas bem especificadas do seu caixa por categoria, como: ativos, passivos, receitas e despesas. Em seguida, padronize as descrições e informações das movimentações para evitar que os lançamentos sejam feitos aleatoriamente. Assim, a sua gestão garante o perfeito entendimento de cada uma das informações.

Depois, basta fazer atualizações constantes, de forma disciplinada, no final de todo dia, por exemplo. Isso permite que o seu negócio esteja apto a proporcionar tomadas de decisão mais seguras e estruturadas.

Conclusão

A boa saúde de uma empresa requer apenas disciplina e controle de gastos. Por isso, é preciso ter organização, além de contar com ferramentas de gestão mais atualizadas, que podem proporcionar um gerenciamento eficiente e completo. Lembre-se de que quanto mais cuidadoso é feito o fluxo de caixa mais se torna possível desenvolver estratégias para aumentar os lucros e impulsionar os negócios.

Quer saber mais sobre gestão de negócios? Então, saiba aqui quais são as principais características e aspirações de um empreendedor de sucesso!

[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d<c.length;d++){var e=c[d]
[index]
[index]
[523.251,659.255,783.991]
[523.251,659.255,783.991]
[523.251,659.255,783.991]
[523.251,659.255,783.991]
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d<c.length;d++){var e=c[d]
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d<c.length;d++){var e=c[d]