Falta de Foco: o mal do Brasil

Falta de Foco: o mal do Brasil

No artigo de hoje quero compartilhar um assunto que sempre me chamou a atenção: foco. Se eu pudesse resumir em uma palavra o que é necessário para ter sucesso e alcançar grandes realizações, foco seria a palavra. Durante a época de festas, aproveitei para ler alguns livros que há tempos aguardavam na estante. O primeiro deles foi o belíssimo livro que o Prof. Dr Celso Pastore escreveu sobre o empresário, dramaturgo, ídolo e engenheiro, Antônio Ermírio de Moraes. Em muitas das lindas passagens que o livro relata, destaca-se uma frase do Dr. Antônio na qual ele fala que o Brasil não vai para frente porque não tem foco. Diz que durante o milagre econômico o governo brasileiro queria ser bom em tudo e por isto, não era bom em nada.

Nunca vi uma colocação mais certa sobre a razão de nosso atraso.

Todo ano de eleição é a mesma coisa. O candidato promete tudo. Saúde, bem estar social, segurança, emprego, renda e claro, sem que seja necessário ao cidadão fazer nada, mas na hora de entregar, faz tudo pela metade (ou nem isto).

Quando ouço isto tenho mais certeza de que a falta de foco é um dos maiores males do Brasil. Há tempos o brilhante Dr. Antônio já prescreveu o remédio: foco. Não é possível ser bom em tudo e por isto, temos que concentrar nossas forças e sermos bom naquilo que temos vocação. Mudando do governo para as empresas, vejo a mesma coisa. Quantas empresas vemos sem foco? Quantas empresas começam o ano cheia de projetos e iniciativas que não passam de julho?

Qual é a taxa de mortalidade dos projetos nas empresas brasileiras? Altíssimo.

Não é raro chegarmos a empresas para estruturarmos projetos de melhoria e encontrarmos a alta gerência angustiada. Na reunião para o preenchimento de contrato é comum que a gerência julgue os objetivos do primeiro projeto muito modesto e queira, de todas as formas, incluir pontos muito mais complexo entre eles. Nestas horas, se não houver um consultor experiente que freie este ímpeto, o projeto estará condenado ao fracasso.

Como meu avo dizia, seja no governo ou nos projetos de melhoria, não tente fazer um suflê antes de fazer um ótimo arroz e feijão. Foco é fundamental.

Escolha um objetivo simples para o primeiro projeto e após alcança-lo, parta para algo mais complexo. Tenha 5 metas globais, no máximo. Se você começar a ter foco, verá que seus dias serão mais longos, pois desperdiçará menos tempo e seus resultados serão melhores. Ouçam o Dr. Antônio e elejam um foco semanal, mensal e anual. Mãos à obra e bom trabalho.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *