Modelo SCOR

Conheça o Modelo SCOR e saiba como aplicá-lo!

publicado em | atualizado em

O Modelo SCOR é uma técnica desenvolvida para o gerenciamento da cadeia de suprimentos de modo a atender demandas e melhorar a qualidade dos processos decisórios.

Criado por meio de uma parceria entre mais de 70 empresas do mundo todo, o método foi pensado para se adaptar a diversas realidades tomando como referência situações reais do mercado.

Continue lendo para aprender mais sobre o Modelo SCOR e entender como você pode aplicá-lo em sua gestão.

O que é o Modelo SCOR

O que é o Modelo SCOR

Chamamos de Modelo SCOR a metodologia desenvolvida pelo Conselho da Cadeia de Suprimentos em parceria com mais de 70 companhias de manufatura de todo o mundo.

O nome é na verdade um acrônimo para Modelo de Referência de Operações da Cadeia de Suprimentos, de acordo com o original em inglês – Supply Chain Operations Reference.

Desde seu lançamento, o SCOR tem sido referência como um modelo promissor para auxiliar no processo decisório dentro das cadeias de suprimento.

Isso porque ele foi um dos primeiros a integrar conceitos da reengenharia, estatística e gestão da qualidade para garantir processos otimizados e assim alcançar os melhores resultados.

Processos do modelo SCOR

Processos do modelo SCOR

O SCOR foi organizado em cinco áreas diferentes de acordo com os processos necessários para manejar uma cadeia de suprimentos.

Assim, o Modelo é executado de maneira segmentada entre planejamento, abastecimento, fabricação, entrega e retorno.

Confira abaixo mais detalhes sobre cada uma dessas áreas.

Planejar

Durante a fase de planejamento do SCOR serão decididas questões do gerenciamento da oferta e balanceamento de recursos da sua cadeia de suprimentos.

Esse também é o momento de determinar as vias de comunicação e as regras do negócio que precisam guiar a realização de todas as operações do processo.

É importante lembrar também da importância de alinhar o plano para a cadeia de suprimentos com o plano financeiro da companhia para não ter prejuízos.

Abastecer

Por vezes chamada também de “coleta”, essa etapa é dedicada a compra das ferramentas e dos materiais necessários para garantir a continuidade da produção.

Esse é o momento em que será discutido o pagamento de fornecedores e a eventual transferência dos produtos finalizados para o estoque.

Aqui entra também a gestão do inventário, dos contratos e a seleção dos responsáveis por cada entrega.

Fabricar

Agora que a empresa já organizou os estoques e ferramentas, está pronta para começar sua produção propriamente dita.

Mas, isso não significa que as questões correlatas à cadeia de suprimento estejam finalizadas.

Durante a fabricação, o SCOR ajuda a guiar o gerenciamento das redes de produção, a manutenção dos equipamentos e eventual transporte da demanda entre os setores.

Entregar

Quando falamos em cadeias de suprimento, a fase de entrega não pode ser confundida com uma simples logística.

De fato, vamos lidar aqui com a gestão dos estoques de produtos finalizados e as questões relacionadas à entrega.

Mas, também devem ser feitos estudos sobre o ciclo de vida do produto e os requisitos para venda dentro e fora do país.

Retorno

Por último, o Modelo SCOR toca também em questões sobre o eventual retorno de embalagens e/ou produtos defeituosos.

Ainda que toda empresa aspire pela qualidade total, erros podem acontecer e é preciso ter bem definidos os processos que serão acionados para lidar com esse tipo de demanda.

Benefícios do Modelo SCOR

O Modelo SCOR traz diversos benefícios para a empresa que aposta nele para fazer a gestão de sua cadeia de suprimentos.

Sua atuação é ampla, o que significa que ele ajuda tanto a entender as particularidades de cada processo como também facilita uma visualização panorâmica de tudo que contribui para – ou atrapalha – os resultados.

Para isso, o modelo propõe uma organização das demandas segmentando-as em diferentes áreas para que cada uma receba a atenção devida.

Assim, fica mais fácil perceber os erros com antecedência e agir de maneira preventiva.

Todas essas vantagens devem elevar o nível de qualidade das entregas, o que certamente trará mais negócios para a empresa – o retorno do investimento varia entre duas e cinco vezes o valor investido.

Onde aplicar o Modelo SCOR

Pode ser que mesmo com todas as informações acima você esteja se perguntando como encaixar o Modelo SCOR para melhorar os resultados de sua organização.

A boa notícia é que esse é um método extremamente versátil e que se adapta bem a diversos modelos de negócio.

Isso porque, de modo geral, o SCOR envolve pessoas, práticas, processos e atuação – elementos presentes em toda empresa.

Por isso, vale a pena avaliar sua cadeia de suprimentos à luz do modelo – ele certamente vai te ajudar a entender quais são os pontos fortes e os pontos fracos de sua cultura organizacional.

Conclusão

Com o Modelo SCOR, gestores de diferentes segmentos tem um caminho facilitado para organizar suas cadeias de suprimentos e melhorar a qualidade de seus processos.

Criado em uma parceria multinacional com mais de 70 empresas, o método parte de diversas perspectivas para propor soluções versáteis e eficientes.

Para conhecer outras ferramentas que podem alavancar seus negócios, continue acompanhando nosso blog.

[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d<c.length;d++){var e=c[d]
[index]
[index]
[523.251,659.255,783.991]
[523.251,659.255,783.991]
[523.251,659.255,783.991]
[523.251,659.255,783.991]
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d<c.length;d++){var e=c[d]
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d<c.length;d++){var e=c[d]