Onde estão os desperdícios?

Onde estão os desperdícios?

Onde estão os desperdícios

Certa vez, em um congresso, perguntei ao professor palestrante como ele fazia para mostrar aos gestores das empresas que nelas haviam inúmeras fontes de desperdícios. Fiz esta pergunta, pois toda vez que conversava com algum gestor, este comentava que na sua fábrica não tinha tanto desperdício como eu apregoava em meus diagnósticos.

Era muito difícil para mim, materializar o conceito de desperdícios apregoado pelo Lean. Quando mostrava, por meio de uma análise, que 98% das atividades de sua empresa não agregavam valor ao cliente, era um choque. E, este choque, geralmente acabava em piadas, ao invés de lamentos. Nenhum gestor acreditava em meu diagnóstico e assim, os projetos não caminhavam.

Mudou a maneira como eu enxergava o Lean

Voltando ao congresso, obtive uma resposta do professor que mudou a maneira como eu enxergava o Lean. Ele me disse que já sofrera deste problema no passado e que a única forma encontrada para mostrar o desperdício aos gestores era por meio de uma fotografia. Quis saber mais sobre a técnica e ele me explicou que toda vez que visitava uma fábrica ou empresa pela primeira vez, pedia permissão para tirar várias fotos durante a caminhada no gemba.

Depois, na reunião com o gestor, ele perguntava quais eram os maiores desperdícios da empresa. Quando o gestor começava a enrolar na resposta, ele sacava as fotos do seu celular ou máquina digital e começava a projetá-las para que todos a vissem. Ao mostrar as imagens, o professor apontava as pessoas na foto e perguntava que valor elas estavam agregando para o cliente. Para a surpresa de todos, não raro eram as vezes em que ninguém era visto agregando valor ao cliente. Com isto, o professor mostrava em suas visitas que apesar das negativas, o desperdício estava presente em quase todos os lugares.

Safari fotográfico

Por meio deste aprendizado, comecei a reproduzir este conhecimento em meus projetos e cursos. Peço à meus alunos que façam um safari fotográfico em que o alvo são os desperdícios. É impressionante o número de desperdícios que as pessoas levantam em apenas 40 minutos. E mais impressionante ainda, é o fato da maioria deles não necessitarem de grandes teorias para serem eliminados. Para fechar, pergunto: por que não fazer deste safari uma prática semanal na empresa? Já pensou se todos da sua equipe saíssem toda segunda feira, meia hora, na caça ao desperdício? Em um ano de trabalho, garanto que os resultados ultrapassariam até as mais otimistas perspectivas. Precisamos aproveitar a tecnologia para gerar resultados.

Uma dica para motivar a geração Y a correr atrás dos desperdícios é criar uma hashtag #cacadesperdicios e contar o número de fotos publicadas. Já pensou o instagram interno ou o twitter “bombando” de oportunidades de melhoria? E claro, devemos pensar na outra ponta, pedindo que toda semana as equipes também mostrem os desperdícios que foram eliminados. Que tal aplicar o tão aclamado gamefication da geração Y para gerar resultados para sua empresa. Crie as regras de sigilo e pense nisto. Nós estamos obtendo ótimos resultados. 

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *