Quais São Os Princípios da Administração de Fayol

Ao abordar questões administrativas devemos nos lembrar que atrelados a elas estão conceitos de governabilidade e gestão. Isso se faz necessário pela necessidade das atividades serem administradas com planejamento, organização, direção, e controle.

É a partir desse princípio que Fayol caracteriza a estrutura organizacional, buscando a visão do homem econômico e a busca da máxima eficiência, e determina 14 princípios aos quais acreditava ser essenciais para uma administração de qualidade. 

Princípios da administração

A administração tem uma série de características entre elas circuitos de atividades interligadas, que buscam  obtenção de resultados, bem como, proporcionar a utilização dos recursos físicos e materiais disponíveis, além de envolver atividades de planejamento, organização, direção e controle.

Vamos falar um pouco mais sobre esses princípios a seguir:

Planejamento

Consiste em definir objetivos para traçar metas, identificando forças, fraquezas, oportunidades e ameaças. Isso é realizado através da análise de dados, e recursos disponíveis.

Organizar

Se refere ao preparo dos processos a fim de obter os resultados planejados.

Direção

São estabelecidas as decisões necessárias, para que os objetivos relacionados no planejamento continuem alinhados.

Controle

Consiste em liderar e discernir se o resultado foi o alcançado. Assim é possível recomeçar um novo ciclo com mais planejamento e suas etapas subsequentes.

Taylor

Cada empresa tem suas características e suas necessidades, e o sistema de informação que se adeque a organização e aos seus propósitos.

Frederick Winslow Taylor, engenheiro mecânico estadunidense inicialmente técnico em mecânica e operário, considerado pai da organização científica do trabalho.  Tinha métodos de aplicação no cotidiano do trabalho que visavam à produção eram baseados em estudos de tempos e movimentos.

E um dos principais fatores que Taylor adotava consistiam em uma visão mecanicista em relação ao homem, que para ele era considerado “homo economicus”, em que o homem não precisaria perder tempo pensando ao produzir.

Sua principal função era exercer a mesma tarefa, ou seja, produzindo um mesmo bem material aplicando os mesmos movimentos e, consequentemente, pensando menos. Assim a produção tendia a aumentar segundo Taylor.

Atualmente podemos observar no mercado capitalista que a principal função é produzir e lucrar.

O métodos de Taylor eram estudados por executivos europeus, os seguidores da Administração Científica só deixaram de ignorar a obra de Fayol quando a mesma foi publicada nos Estados Unidos.

O atraso na difusão generalizada das idéias de Fayol fez com que grandes contribuintes do pensamento administrativo desconhecem seus princípios Princípios Básicos.

Fayol relacionou 14 princípios básicos que podem ser estudados de forma complementar aos de Taylor:

Princípios da administração de Fayol

Divisão do trabalho

A organização deve se caracterizar por uma divisão de trabalho definida, com especializações dos funcionários desde o topo da hierarquia até os operários da fábrica, desta forma favorecendo a eficiência da produção aumentando a produtividade.

Fayol acreditava que a divisão do trabalho conduziria à especialização e à diferenciação das tarefas. Nos casos onde as organizações com elevada divisão de trabalho poderiam se tornar mais eficientes do que as com pouca divisão.

A partir desse tipo de implementação as empresas passaram a ter uma redução no custo dos bens manufaturados.

A divisão do trabalho pode ocorrer em duas direções.

Verticalmente: níveis de autoridade e responsabilidade (escala hierárquica)

Horizontalmente: diferentes tipos de atividades desenvolvidas na organização.

A homogeneidade é obtida na organização quando são reunidos, na mesma unidade, todos os que estiverem executando o mesmo trabalho, pelo mesmo processo, para a mesma clientela, no mesmo lugar.

Autoridade e responsabilidade

Fayol classifica autoridade como o direito dos superiores darem ordens, e isso depende da espera pela obediência, o que gera a necessidade de responsabilidade, que se refere a uma consequência natural da autoridade e refletida a obrigação de prestar contas, ou seja, cumprir as ordens recebidas. 

Unidade de comando

Um funcionário deve receber ordens de apenas um chefe, evitando contra-ordens.

Unidade de direção

O controle único é possibilitado com a aplicação de um plano para grupo de atividades com os mesmos objetivos.

Disciplina

Necessidade de estabelecer regras de conduta e de trabalho válidas pra todos os funcionários. A ausência de disciplina gera o caos na organização.

Prevalência dos interesses gerais

Os interesses gerais da organização devem prevalecer sobre os interesses individuais.

Remuneração

Deve ser suficiente para garantir a satisfação dos funcionários e da própria organização.

Centralização

As atividades vitais da organização e sua autoridade devem ser centralizadas.

Hierarquia

Defesa incondicional da estrutura hierárquica, respeitando à risca uma linha de autoridade fixa.

Ordem

Deve ser mantida em toda organização, preservando um lugar pra cada coisa e cada coisa em seu lugar.

Equidade

A justiça deve prevalecer em toda organização, justificando a lealdade e a devoção de cada funcionário à empresa.

Estabilidade dos funcionários

Uma rotatividade alta tem conseqüências negativas sobre desempenho da empresa e o moral dos funcionários.

Iniciativa

Deve ser entendida como a capacidade de estabelecer um plano e cumpri-lo.

Espírito de equipe

O trabalho deve ser conjunto, facilitado pela comunicação dentro da equipeOs integrantes de um mesmo grupo precisam ter consciência de classe, para que defendam seus propósitos.

 

Para saber mais sobre uma gestão que gere resultados, baixe nosso eBook: Gestão por resultados!

 

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.