seis sigma aplicado em diferentes areas

Seis Sigma aplicado em diferentes áreas

Sejam pequenos ou grandes, os empreendimentos possuem processos. Em alguns casos, como nas microempresas, pode ocorrer de os processos não estarem totalmente mapeados, ainda assim, eles existem. Dessa forma, pode-se dizer que o Seis Sigma é aplicável a praticamente qualquer área empresarial, como manufatura, indústria financeira, serviços, saúde etc.

Como problemas não fazem distinção de negócios, quer dizer, ocorrem nos mais diversos segmentos econômicos e portes de estabelecimentos, em quase toda empresa há a necessidade de melhorias. Numa indústria alimentícia, por exemplo, pode haver gargalos na cadeia produtiva, os quais podem aumentar o custo da mercadoria e gerar uma série de consequências negativas para a organização. Já no setor de serviços financeiros, a dificuldade para se fazer a análise de crédito de clientes pode ser um empecilho até mesmo para a sobrevivência do negócio, pois esse segmento é bastante competitivo.

O Seis Sigma na área industrial

Ainda na área industrial, uma manufatura de autopeças deve ter um alto índice de acerto, para atender com satisfação às necessidades das fábricas automotivas. Caso contrário, itens defeituosos representarão um grande prejuízo para o negócio. Já numa empresa de cartão de crédito, um desafio pode ser aumentar as vendas, para assegurar a saúde financeira da companhia. Portanto, praticamente qualquer tipo de empresa vive em busca de aperfeiçoar algum processo, para alavancar os próprios resultados. O que muitas delas não sabem é como fazer isso.

O diferencial da metodologia Lean Seis Sigma na busca por melhorias é que ela possui um método bastante estruturado, capaz de comprovar cientificamente se as mudanças implantadas numa organização resultaram de fato em aperfeiçoamento da produtividade e da qualidade. Logo, por possuir um método, o Lean Seis Sigma pode ser aplicado a diferentes realidades, com resultados satisfatórios.

Quando não dispõem dessa metodologia, as empresas tendem a querer resolver por conta própria as falhas nos processos produtivos. Contudo, muitas delas trilham caminhos bastante ineficazes e com alto custo para o negócio, como pressionar os colaboradores para que eles obtenham melhores resultados. Outra forma infrutífera de elevar o desempenho é achar culpados internamente, mas sem qualquer critério científico de análise de performance. Nesses casos, a empresa caminha em círculos sem encontrar soluções para os próprios problemas.

Ao utilizar um roteiro de melhoria e lançar mão de ferramentas estatísticas para comprovar ou rejeitar hipóteses, a metodologia Lean Seis Sigma busca aliar eficiência e eficácia na busca por aperfeiçoamento dos processos das empresas. Do ponto de vista dos empreendimentos, é muito mais vantajoso investir nesse tipo de trabalho, para solucionar e prevenir problemas, do que arcar com as consequências de falhas percebidas pelos clientes.

Seis Sigma em serviços

Uma prestadora de serviço, por exemplo, cuja qualidade é avaliada durante a execução da atividade, pode sofrer vários danos em razão de defeitos nos processos. No caso de um banco, se o cliente ficar insatisfeito com algo, ele pode tentar resolver de início pelo próprio autoatendimento, seja pela internet ou por telefone.

Se não conseguir, ele pode considerar ir até uma agência, para conversar com o gerente. Mesmo assim, se não resolver a situação, o cliente pode reclamar em sites da internet voltados para a defesa do consumidor, fazer uma denúncia no Procon ou até no Banco Central. Caso tudo isso ocorra, a instituição bancária criará um grande passivo para a imagem institucional, sem contar as eventuais sanções das entidades de fiscalização. Portanto, agir proativamente para diminuir o índice de reclamações é muito mais vantajoso do que aprender a conviver com os resultados negativos.

Seis Sigma em organizações da saúde

Outras empresas que possuem um desempenho estritamente ligado à percepção imediata dos clientes são as de telefonia e as do setor de saúde. Nesses casos, o consumidor já forma um juízo de valor quase que automático a respeito do empreendimento. Por isso, tais organizações devem estar atentas para não sacrificarem o próprio negócio devido à falta de “escuta” das reclamações e de observação das oportunidades de melhoria.

No caso do setor de saúde, as necessidades das empresas são cada vez maiores, por causa de uma série de fatores, como aumento e envelhecimento da população, crescimento nos custos para manter estrutura e tecnologia adequadas para os atendimentos, riscos de danos aos pacientes etc. Como esse setor lida com o maior bem para uma pessoa, que é a própria vida, o grau de excelência na atuação empresarial deve ser enorme.

Ao longo dos últimos anos, as aplicações da metodologia Lean Seis Sigma no setor de Saúde tem demonstrado que é possível melhorar três aspectos dessa área: o cuidado da população como um todo, a experiência do paciente no atendimento e a redução de custos com a diminuição de desperdícios. Como você pode perceber, a abordagem Lean Seis Sigma não considera apenas os fatores econômicos, mas também a satisfação do cliente. No caso da área de Saúde, não basta apenas o paciente obter o tratamento de certa enfermidade, mas também ele deve se sentir bem acolhido e atendido.

Seis Sigma no setor público

É preciso mencionar que até no setor público é possível haver aplicações da metodologia Lean Seis Sigma. Entidades e órgãos governamentais no Brasil tem um grande histórico de insatisfação por parte dos usuários dos serviços. Casos de atritos entre essas partes até que são comuns, mesmo que o Código Penal (Decreto-Lei nº 2.848/1940) estabeleça que é crime “desacatar funcionário público no exercício da função ou em razão dela” e ainda preveja pena de “detenção, de seis meses a dois anos, ou multa”.

Para romper com esse quadro de insatisfação no setor público, os gestores devem liderar políticas de melhoria nas respectivas áreas de atuação, para desburocratizar processos e agilizar a prestação de serviços. O Programa Poupatempo, do Governo de São Paulo, e as mudanças no procedimento para emissão de passaportes, no âmbito da Polícia Federal, são alguns dos exemplos de melhorias existentes no setor público nos últimos anos.

É claro que iniciativas desse tipo pressupõem certo grau de vontade política daqueles responsáveis pelo funcionamento da máquina pública, ainda assim, demonstram que é possível sim haver espaço de atuação para o Lean Seis Sigma também nesse setor. Na Escócia, por exemplo, o modelo de melhoria é uma política de Estado no país, logo, transcende os projetos políticos de alguns governantes.

Como posso iniciar a implementação do Seis Sigma em minha empresa?

Como você pôde perceber, as aplicações da metodologia Lean Seis Sigma são bastante versáteis. Dessa maneira, os profissionais que se especializam nesse método podem ter um fértil campo de atuação. Se você também se interessa por essa iniciativa, então, conheça os cursos da Escola EDTI para formação de Green Belts e de Black Belts e, assim, torne-se capaz de apresentar resultados significativos para as empresas onde pretende atuar.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *