BPM

BPM: benefícios e como surgiu?

Contar com processos bem estruturados é essencial para o sucesso dos negócios e é aqui que o BPM – ou Gerenciamento de Processos – entra em ação.

Quem já trabalha com administração ou na área de gestão há algum tempo sabe bem que para entregar um produto com grande valor agregado e conquistar a clientela, é preciso antes arrumar a casa.

Nesse sentido, o BPM é uma metodologia que ajuda a liderança a acompanhar o andamento das atividades e controlar os processos em tempo real para garantir os melhores resultados.

Continue lendo para saber mais sobre esse método, conhecer um pouco de sua origem e os principais benefícios que seu emprego traz aos negócios.

O que é a metodologia BPM?

O que é a metodologia BPM?

A metodologia BPM compõe um conjunto de práticas administrativas utilizadas para desenhar e acompanhar o andamento dos processos, mensurando os resultados para garantir uma melhoria contínua.

O nome é na verdade uma sigla para o termo original em inglês, Business Process Managament – ou Gerenciamento de Processos de Negócio, em tradução livre.

O seu emprego auxilia o gestor no mapeamento e melhoria dos processos, padronizando a linha de produção para ter como consequência entregas com alto padrão de qualidade.

Além disso, o BPM aponta os caminhos para otimizar os processos, garantindo cada vez mais produtos com alto valor agregado para o cliente.

Quando surgiu o BPM?

Quando surgiu o BPM?

A primeira menção ao Business Process Management ou BPM é recente.

Ao que tudo indica, o termo foi inaugurado em 2003 por Howard Smith e Peter Fingar em seu livro Business Process Management: The Third Wave.

A origem da abordagem, porém, remonta às décadas anteriores.

Nos anos 1980, a Qualidade Total reinava como metodologia capaz de combinar a gestão dos negócios com automação para satisfazer os desejos da clientela cada vez mais exigente.

Como uma resposta ao que se tinha posto no mercado, na década seguinte os americanos Michael Hammer e James Champy publicaram um artigo na Harvard Business Review intitulado Don’t automate, obliterate.

Hoje, esse trabalho é considerado um marco inaugural do Business Process Reengineering – ou Reengenharia de Processos – e um percursor do que conhecemos como BPM.

Por que usar BPM?

Segundo o BPM CBOK® – manual de referência da área, editado pela pela Association of Business Process Management Professionals (ABPMP) – o Gerenciamento de Processos é muito mais do que um método, tendo a forma de uma disciplina gerencial.

Isso significa que seu uso não se limita a questões práticas ou ao uso de ferramentas específicas, mas, compõe uma mentalidade que deve ser estendida a todas as áreas do negócio.

Na prática, o BPM se justifica ao permitir que o gestor conduza a organização de maneira lucrativa e eficiente, aumentando suas vantagens competitivas.

Quais os principais benefícios do BPM?

São muitos os benefícios que uma empresa que adota o Gerenciamento de Processos pode observar em sua produção.

Eles começam dentro da administração, passando pelo chão de fábrica e em todas as outras áreas até atingir o cliente final.

Conheça abaixo alguma das principais vantagens que podem ser esperadas.

Transparência

Um dos primeiros benefícios que podem ser observados por uma empresa que aposta no BPM é uma maior transparência em seus processos.

Como tudo foi muito bem desenhado, os trabalhadores ficam cientes do que exatamente é sua função e como suas atividades contribuem para o todo.

Controle

Outra vantagem, essa mais evidente para a liderança, é a possibilidade que o método oferece de manter um controle firme sobre o andamento dos processos.

A metodologia prevê a adoção de índices de desempenho, que por sua vez ajudam o gestor a monitorar os padrões de entrega por meio de dados e métricas.

Produtividade

Com processos bem-estabelecidos e uma comunicação mais transparente, é natural que os colaboradores sintam-se mais motivados a produzir.

Além disso, o Gerenciamento dos Processos promove cortes de atividades supérfluas ou redundantes, o que garante ganhos de produtividade sem comprometer o orçamento da organização.

Automação

Desde a Gestão da Qualidade Total, a automação vem ganhando destaque como ferramenta capaz de otimizar o uso dos recursos materiais e humanos.

No Business Process Management, essa atuação fica ainda mais evidente e permite ao gestor criar fluxos mais eficientes que combinam o melhor da tecnologia com o cuidado humano.

Conclusão

Todo bom gestor almeja poder contar com bons processos em sua organização e é justamente nesse sentido que o BPM trabalha.

O Gerenciamento de Processos garante à gestão a oportunidade de organizar a casa, desenhar e controlar o andamento das atividades para ter os melhores resultados possíveis.

Ainda, a metodologia traz mais transparência aos negócios e uma comunicação mais direta.

Com processos bem-estabelecidos, todos os trabalhadores sabem onde começam e terminam suas funções e podem agir conforme a expectativa.

Porque eles enxergam sua contribuição para o todo, é comum que existam também ganhos em produtividade, já que a equipe fica mais motivada a contribuir.

Invista você também em estratégias de BPM para organizar os negócios e colher bons resultados!