o que é garantia da qualidade

Garantia da Qualidade: Aprenda o que é Nesse Guia Com Exemplos

Ao ouvir que um produto tem garantia da qualidade, a maioria das pessoas tem pelo menos uma ideia vaga do que isso significa.

Ainda que popular, a presença da palavra “garantia” no conceito pode causar certa confusão em profissionais da indústria, que precisam lidar com outros similares, como “gestão da qualidade” e “controle da qualidade”.

Os termos podem até ter significados parecidos, mas é importante saber que existem algumas diferenças fundamentais entre eles.

Dentro de um fluxo de produção, a garantia da qualidade representa a aglutinação de todas as ações de controle e gestão de qualidade que são necessárias para garantir a satisfação do cliente.

Mas como isso funciona na prática?

O conceito é bastante importante para a indústria, aparecendo como parte integrante de todas as etapas na produção de diversos segmentos.

A sua aplicação é capaz de fazer a diferença entre um cliente satisfeito (que vai indicar seu negócio para a família e amigos) e um insatisfeito (que fará propaganda negativa).

Continue lendo este artigo para saber mais sobre o conceito de garantia da qualidade, entender quais são seus pontos principais e porque ele é tão importante para a indústria.

Vamos abordar ainda as suas semelhanças e diferenças com as áreas de controle e gestão, além de apresentar exemplos de segmentos onde a garantia da qualidade aparece de maneira incisiva.

o que é garantia da qualidade

O que é a Garantia da Qualidade?

A garantia da qualidade reúne todas as ações de inspeção, teste e auditoria necessárias para que a entrega de valor esteja de acordo com o que foi pedido.

A régua que vai medir o desempenho da produção é guiada por normas auditadas por organizações internacionais, além de leis e regulamentos federais, estaduais e municipais.

Alguns dos padrões são, ainda, fruto de uma convenção informal entre as indústrias do segmento e seus clientes.

O objetivo de toda essa padronização é, resumidamente, atender às necessidades do cliente.

Para isso, é preciso se certificar não apenas de que o produto está de acordo com os padrões da empresa, mas que também cumpre sua função de uso e corresponde às expectativas do consumidor.

Mais do que uma metodologia ou departamento de trabalho, a garantia da qualidade diz respeito à relação de confiança que a empresa desenvolve com sua clientela.

Quem oferece essa garantia para seus consumidores indica que o produto foi testado e cumpre, de fato, com todas as suas funções anunciadas, além de não apresentar defeitos que possam comprometer o uso.

Em outras palavras, a garantia é focada em satisfazer o cliente no momento do consumo e não somente entregar um produto que cumpre com especificações e diretrizes técnicas.

porque a garantia de qualidade é tão importante para industria

Por que isso é tão importante para a indústria?

O número de empresas produzindo e vendendo produtos similares é cada vez maior e, com isso, o mercado nunca esteve tão competitivo.

Para se destacar da concorrência e chamar a atenção do consumidor, os fabricantes precisam investir em seus diferenciais, sempre levando em consideração quem é o público para promover mudanças na produção.

E não existe melhor maneira de chamar a atenção e fidelizar seus clientes do que investir em ações que se valem das opiniões do público para garantir uma boa experiência de consumo.

É importante dizer que, dentro da indústria, investir em ações de verificação e controle de qualidade não é exatamente uma novidade.

O conceito de garantia da qualidade surge, justamente, como uma consolidação das metodologias e ferramentas disponíveis, nomeando a situação de confiança que deriva de um controle de qualidade bem feito.

Mas, atenção: entregar um produto que conta com todas as funcionalidades anunciadas já não é diferencial, mas um pré-requisito para a empresa que deseja manter sua competitividade no mercado.

Por isso, é preciso aplicar testes para entender como o seu produto vai se comportar durante o uso.

Além de melhorar o posicionamento da marca, empresas que garantem a qualidade de sua produção têm ganhos imensuráveis em satisfação do cliente.

Isso porque o bom relacionamento com o consumidor é um processo contínuo, que permite que a produção esteja sempre se aperfeiçoando de acordo com os feedbacks recebidos.

A melhoria dos processos que vem como consequência da garantia da qualidade impacta diretamente na produtividade da equipe, que agora está mais preparada para atender às demandas do cliente de maneira plena.

O profissional que sabe exatamente onde começa e onde termina seu trabalho está mais bem preparado para se dedicar à sua função.

E é assim porque entende exatamente qual o papel que ele desempenha no fluxo e a importância que o se trabalho tem para o resultado final.

Se bem planejada e implementada, a garantia da qualidade se torna um ciclo vicioso do bem.

Ele começa com o cliente satisfeito, organiza os fluxos de produção e motiva os funcionários a trabalhar de maneira a garantir que a satisfação do consumidor continue nas alturas.

 

Quais os principais pontos da garantia da qualidade?

Como já destacado, a garantia da qualidade é um conceito que ilustra uma relação de confiança com entre quem vende e quem compra.

Esse relacionamento, por sua vez, está fundamentado na satisfação do cliente resultado de ações de controle e auditoria de qualidade.

Mas, afinal de contas, como podemos medir se o valor entregue atende às necessidades do consumidor?

Do ponto de vista do cliente, existem alguns elementos principais que são usados, até mesmo de maneira inconsciente, para avaliar se o que foi comprado satisfaz.

O primeiro diz respeito ao desempenho, ou seja, como a produto ou serviço desempenha suas tarefas principais no dia a dia.

Aqui são usados critérios qualitativos – como agilidade, praticidade e rendimento – e também outros qualitativos – os aspectos de usabilidade, como interface e ergonomia, entre outros.

A principal importância da garantia da qualidade está no fato de que a reputação da empresa é posta em xeque no momento de avaliar a incidência de erros e falhas da produção que chegam até o cliente.

No caso de produtos, a durabilidade e a existência de assistências técnicas para o reparo também entram como questões importantes para o cliente entender o custo-benefício da compra.

Outro ponto que não pode escapar do controle de qualidade é o design do produto.

A escolha correta da embalagem, suas cores, tipografias e materiais pode ser o diferencial que vai fazer o cliente escolher entre a sua marca e o concorrente.

Todos esses pontos culminam na qualidade percebida pelo seu público e é com base nisso que ele vai decidir se está satisfeito ou não.

Como fazer garantia da qualidade com eficiência

Na prática, para fazer a garantia da qualidade com eficiência dentro de uma empresa, tudo começa com uma análise minuciosa da proposta de valor da marca e uma avaliação do quadro atual da produção.

Procure levantar qual é o tempo gasto para garantir a produtividade atual da empresa.

Ainda, é importante entender se o fluxo de trabalho transcorre sem grandes gargalos que possam provocar atrasos na entrega ou desperdício de recursos.

Verificar qual é a incidência de erros dentro da produção é extremamente importante, pois traz insights sobre quais as falhas mais corriqueiras e aponta o caminho para começar as melhorias.

Em outras palavras, a análise dos erros ajuda a entender qual o prejuízo que a falta de um controle para a garantia da qualidade traz para os negócios.

Gastos com recalls, trocas e retrabalhos podem ser evitados ao minimizarem-se as falhas da produção.

Isso sem falar do prejuízo intangível na reputação da marca que vende de um produto defeituoso provoca.

Para evitar que isso aconteça, é importante promover inspeções periódicas para se certificar de que o produto está de acordo com as normas internas, externas e também de acordo com o que o cliente pediu.

Outra ferramenta interessante são os ensaios, que podem ser destrutivos ou não destrutivos.

Basicamente, são testes que submetem o produto a condições de uso extremo para entender como ele se vai se comportar durante o consumo.

Enquanto o ensaio destrutivo usa o produto finalizado, deixando ao fim algum resquício que impede sua posterior comercialização, os não destrutivos usam tanto produtos finalizados como semiacabados para isolar e testar diferentes variáveis.

Qual a diferença entre garantia da qualidade, controle da qualidade e gestão da qualidade?

Como lembramos na abertura deste artigo, quando o assunto é qualidade dentro da linha de produção, muita gente ainda confunde os conceitos de garantia, controle e gestão.

Apesar de não serem propriamente sinônimos, os três termos estão intimamente relacionados.

Tudo começa pela gestão, que é a área responsável por definir todas as ações que vão garantir a qualidade de forma integral.

Aqui entram ações estratégicas, de planejamento e gerência que determinarão a forma como a qualidade será aferida e assegurada.

O gestor estabelece metas, determina os indicadores de performance – os famosos KPIs – e controla tudo por meio de uma minuciosa análise dos dados.

A atuação do controle de qualidade, por sua vez, tem um caráter mais prático dentro da produção, acontecendo diretamente no chão de fábrica.

O controlador é o profissional que vai inspecionar e auditar cada processo para garantir que a entrega estará de acordo com as definições e normas especificadas.

Por fim, a garantia da qualidade aparece quando a gestão e o controle são feitos de maneira satisfatória.

O conceito está diretamente ligado à satisfação do cliente e sua presença ou ausência é o termômetro que vai medir se o valor entregue é eficaz em atender às necessidades do público.

O que a garantia da qualidade influencia no modelo Lean

O modelo Lean é uma metodologia que considera que a satisfação do cliente deve ser o objetivo principal na produção de qualquer empresa.

Assim, ele propõe uma avaliação da linha de produção, considerando todo processo que não está voltado para essa satisfação como um defeito que precisa ser eliminado.

Suas ações são todas voltadas para acabar com os desperdícios de tempo e recursos dentro da linha de produção e melhorar os índices de produtividade sem comprometer as condições de trabalho.

O Lean inova ao trazer à tona a noção de que é preciso criar uma consciência de qualidade em todas as etapas da produção – e não só durante a venda – para cair nas graças do público

Quando bem planejado e implementado, o modelo é uma ferramenta poderosa para atingir a garantia da qualidade, um caminho que, certamente, deve ser explorado por quem busca ganhos em produtividade e aumento dos lucros.

É importante lembrar que o sucesso da metodologia depende da participação de todos os setores da empresa, que devem estar alinhados sobre as diretrizes do seu trabalho para garantir uma produção que atende aos requisitos éticos, morais, de bom atendimento e biossegurança.

industrias garantia qualidade

Exemplos de Indústrias com a Garantia da Qualidade Bem Estabelecida

Empresas que contam com garantia da qualidade têm uma vantagem competitiva.

Essa vantagem é o que pode fazer diferença na hora de chamar atenção do cliente, convencê-lo e, enfim, vender.

Isso porque quem garante a qualidade transparece uma maior confiança e autoridade para o seu público que, por sua vez, vai se sentir mais seguro em comprar daquela marca.

Essa relação de confiança está fundamentada pelo fato que o cliente sabe que os seu produtos passaram por rigorosos critérios de controle de qualidade, testados à exaustão antes de chegarem ao mercado.

Além disso, empresas que oferecem garantia da qualidade contam com canais de atendimento ao cliente para solucionar eventuais dúvidas e realizar reparos de maneira simples e ágil.

Conheça abaixo as principais indústrias onde a garantia da qualidade já é praxe.

Farmacêutica

Ninguém discute que medicamento é coisa séria e que seu uso deve ser cuidadoso para que o remédio não se transforme em veneno.

Por isso, a garantia da qualidade é um dos setores mais importantes dentro da indústria farmacêutica.

Sua atuação aparece desde a escolha dos fornecedores dos insumos, dos materiais da embalagem à confecção da bula, até na escolha de um transporte que vai conservar o produto em suas condições originais.

Alimentícia

Assim como no caso da indústria farmacêutica, a produção de alimentos tem a garantia da qualidade como um de seus departamentos mais importantes.

Como no caso dos remédios, um erro aqui pode ser fatal e é, portanto, inconcebível.

Diferente dos medicamentos, porém, o risco aqui não está no mau uso do produto, mas no processo natural de decomposição pelo qual seus produtos passam.

Para evitar a contaminação, a consciência de qualidade deve estar presente do plantio ao transporte.

Automobilística

Dentro da produção de automóveis, a garantia da qualidade também é importantíssima, já que um erro na produção, ainda que pequeno, é suficiente para colocar em risco a vida do motorista e passageiros.

Por isso, a produção de peças e a montagem de carros, motos, ônibus e caminhões segue especificações e normas internacionais bastante rígidas.

Uma das principais é a IATF 16949, uma certificação internacionalmente reconhecida e que foi desenvolvida pelos principais fabricantes do mundo com base na ISO 9001.

Construção Civil

No ramo da construção civil, o controle dos processos para assegurar a garantia da qualidade não é diferencial, mas um pré-requisito para iniciar os trabalhos.

Tudo começa com o planejamento da obra, que deve ser feito de modo a otimizar o uso de materiais e mão de obra, sempre guiado pelas regulamentações do setor.

A NBR 15575, da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), é a norma que indica os padrões que devem ser seguidos em todas as etapas da construção para garantir a segurança de operários e clientes.

Estética e cosmética

Como no caso dos medicamentos, a garantia da qualidade é essencial na produção de cosméticos, já que a diferença entre tratamento e intoxicação é tão tênue quanto acrescentar 1% a mais de uma substância na mistura.

Em um país que, como o Brasil, figura entre os três maiores consumidores globais desse tipo de produto, controlar qualidade é questão de saúde pública.

Por isso, a indústria de cosméticos é controlada e fiscalizada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), autarquia vinculada ao Ministério da Saúde.

Eletroeletrônicos

O avanço tecnológico fez com que cada vez mais empresas surgissem no mercado de eletroeletrônicos com produtos que, não raro, são similares.

Assim, garantir a qualidade da produção foi aos poucos deixando de ser um diferencial para ser uma praxe.

Toda a produção deve seguir um padrão pré-estabelecido: desde a concepção do produto, passando pela escolha dos fornecedores de peças, a montagem e os serviços de atendimento ao consumidor no pós-compra.

No Brasil, o Código de Defesa do Consumidor é claro em definir que os fabricantes têm responsabilidade sobre o produto pelo mínimo de 90 dias após a compra – prazo que pode ser estendido de acordo com a garantia contratual oferecida pela marca.

Se o produto apresentar algum defeito dentro desse período, o cliente tem o direito de solicitar o reparo em assistências técnicas autorizadas ou, se for o caso, a troca por um produto novo.

Conclusão

Não é de hoje que as empresas vêm se esforçando para garantir a qualidade da sua produção como modo de atrair e fidelizar a clientela.

Nesse contexto, o conceito de garantia da qualidade surge como uma consolidação de todos os esforços de gestão e controle usados para assegurar um padrão de entrega satisfatório.

Hoje, é impossível pensar em uma produção que não conte com ferramentas de controle e otimização dos processos para garantir a satisfação do cliente.

Assim, a garantia da qualidade deixa de ser diferencial e passa a ser um requisito básico de muitos setores.

Sua aplicação é essencial não só para satisfazer o cliente, como também para garantir a segurança de quem produz e de quem consome.

O ponto de partida é uma análise do público e da proposta da empresa, usando as diretrizes e normas governamentais e internacionais como guias na hora de definir de qual caminho seguir.

Os métodos e ferramentas são vários e os gestores devem escolher o que melhor se adapta ao contexto da empresa.

A garantia da qualidade já é parte intrínseca da indústria e sua aplicação é capaz de aproximar clientes e empresas cada vez mais, elevando significativamente os níveis de produtividade.

Este artigo foi útil? Compartilhe o conteúdo e deixe um comentário abaixo com sua opinião.