power bi o que e

Power BI: Como Usar Essa Ferramenta de Visualização de Dados na Qualidade

O Power BI é uma ferramenta inteligente, que atende às necessidades dos profissionais antenados nas práticas mais modernas de gestão e planejamento estratégico.

Estamos na era do big data, uma realidade em que a quantidade de dados disponíveis nos mais diversos segmentos ultrapassa – e muito – a nossa capacidade de processá-los.

Aí entram em cena as soluções tecnológicas que nos ajudam a manusear toda essa informação com mais facilidade, tirando o maior proveito possível dela.

Os administradores que não têm disposição para se adaptar a essa realidade correm o risco de comprometer as empresas que comandam.

Afinal, se uma companhia colhe, monitora e analisa dados diversos para embasar suas tomadas de decisão e o concorrente não faz o mesmo, de qual lado você acha que está a vantagem competitiva?

Pode parecer complicado, mas recursos como o Power BI são desenvolvidos justamente para descomplicar esse caos em forma de dados.

Quer entender melhor do que estamos falando? Siga em frente na leitura!

Neste artigo, vamos falar sobre os conceitos de Power BI, business intelligence e data science.

Você também vai conferir informações valiosas para usar o Power BI e entender como ele pode ser útil para atingir seus objetivos, tanto de carreira quanto empresariais.

Não perca a oportunidade de conhecer essa ferramenta e aproveitar tudo o que ela oferece.

Boa leitura!

O que é o Power BI?

Power BI é uma plataforma desenvolvida pela Microsoft, que proporciona ao usuário funcionalidades para agregar, visualizar e compartilhar dados obtidos de diversas fontes, como planilhas do Excel, data warehouse ou bancos de dados na nuvem.

Na definição da própria Microsoft, o Power BI é:

“Uma coleção de serviços de software, aplicativos e conectores que trabalham juntos para transformar suas fontes de dados não relacionadas em informações coerentes, visualmente envolventes e interativas.”

Com o serviço, é possível traduzir os dados nos mais diversos formatos de visualização, o que torna muito mais fácil a sua interpretação para a geração de insights estratégicos.

Ele pode ser rodado como um aplicativo de desktop para o sistema operacional Windows, como um serviço SaaS (software como serviço) acessado de forma online ou, então, como um aplicativo para dispositivos móveis, que contam com sistema Windows, iOS ou Android.

O nome da ferramenta ajuda a entender qual é a sua utilidade.

Em inglês, power significa poder e BI é referência ao termo business intelligence.

No tópico seguinte, explicaremos o que é business intelligence e qual seu papel na gestão de empresas.

Antes, cabe dizer ainda que o Power BI funciona como uma ferramenta de business intelligence, uma solução tecnológica que permite aos profissionais implementarem estratégias de BI.

E a ferramenta não é útil somente para administradores, gestores, consultores e analistas, mas também para profissionais da tecnologia da informação (TI).

Um programador que está desenvolvendo um aplicativo, por exemplo, pode personalizar as funcionalidades do Power BI e inseri-las no app a partir de um grande conjunto de APIs (interface de programação de aplicações) e bibliotecas de SDK (kit de desenvolvimento de software).

O Power BI Desktop pode ser baixado gratuitamente, mas quem quiser mais funcionalidades precisa assinar um plano mensal, que pode ser o Power BI Pro (com licenciamento por usuário) ou o Power BI Premium (licenciado por computação em nuvem).o que é business intelligence

O que é Business Intelligence?

Business intelligence é um conjunto de métodos e práticas que refinam uma grande quantidade de dados, transformando-os em informações úteis para determinado negócio.

A tradução mais comumente usada no Brasil para business intelligence (ou BI) é inteligência de mercado.

Os dados processados a partir dos métodos e soluções de BI viram insights e embasam as ações e o planejamento estratégico dos gestores.

A ideia do business intelligence é reduzir o papel da intuição nas decisões administrativas importantes.

Não que ela deixe de existir, pois sempre haverá uma boa dose de subjetividade na administração de empresas.

O que acontece é que, com o auxílio dos dados, o número de incertezas e variáveis é menor, o que resulta em menos riscos e margem de erro reduzida.

É claro que, mesmo antes da era da informática, as grandes companhias já buscavam se cercar do máximo de informações, números e estatísticas possível para crescer e melhorar seus processos.

A diferença é que, agora, há muito mais dados disponíveis, e eles excedem a capacidade humana de processar informações, como ressaltamos na abertura do texto.

Sendo assim, não há como aproveitar ao máximo as oportunidades do big data sem utilizar soluções tecnológicas que simplifiquem o processo.

Os dados podem ser aproveitados em grandes decisões, como o desenvolvimento de um novo produto ou no investimento em uma nova unidade de negócio.

Outra opção é aproveitá-los também para as decisões mais simples do dia a dia, como o conteúdo de uma publicação nas redes sociais.o que é data science

O que é Data Science?

Data science é uma área que aplica disciplinas diversas, como estatística, matemática, computação e gestão de negócio, para gerar, capturar, interpretar e transformar dados em informações mais palpáveis.

O termo significa literalmente ciência de dados, e o profissional da área é um cientista de dados, uma profissão cada vez mais valorizada no mercado de trabalho atual.

Enquanto business intelligence representa o uso estratégico dos dados nas tomadas de decisão de uma empresa, data science é o conhecimento técnico para manusear esses dados.

O trabalho do cientista de dados serve para que os gestores tenham insights orientados pelos dados que lhe foram fornecidos.

Insight é uma solução, conclusão ou hipótese sobre determinado problema ou oportunidade identificada no negócio da organização.

E quais são esses dados?

No caso do data science, os dados são números e variáveis que podem representar praticamente tudo que é possível identificar e medir.

Em um e-commerce (loja virtual), por exemplo, o gestor obtém diversas informações sobre os clientes que compraram algo no canal.

Qual seu gênero, idade, onde moram e qual produto compraram, claro.

Separados, esses dados não dizem muita coisa. Combinados, dizem muito.

A partir daí, é possível calcular o ticket médio, identificar os produtos mais vendidos e os que geram mais receita e até identificar preferências entre certos recortes de público.

Por exemplo, é possível perceber que determinado produto faz sucesso entre mulheres de 40 a 50 anos, o que pode motivar ações de comunicação mais direcionadas a esse público.

Nos últimos anos, foram produzidos no mundo todo mais dados do que se somarmos os séculos anteriores todos juntos.

Se essa realidade traz, inegavelmente, mais oportunidades, ela também representa maiores desafios.

E o cientista de dados aparece com força para descomplicar esse universo caótico de números.

power

Qual a Diferença entre o Power BI e o Excel

Gerar gráficos e relatórios a partir de um compilado de dados com um programa de computador não é exatamente uma novidade.

Outro software da Microsoft já é usado há muitos anos por empresas de todos os setores para criar planilhas inteligentes, com a possibilidade de criar fórmulas que economizam várias horas de trabalho de quem manuseia os dados.

Estamos falando, claro, do Microsoft Office Excel, um dos programas de computador mais populares no mundo até hoje.

Sua primeira versão foi lançada em 1987, e ele é utilizado não apenas no ambiente corporativo, mas também por usuários que querem controlar suas finanças pessoais ou organizar qualquer tipo de informação em listas e tabelas.

O Excel possui muitas funcionalidades avançadas.

Profissionais com esse nível de conhecimento sobre a ferramenta conseguem criar planilhas nas quais os dados inseridos são processados e transformados em informações automaticamente.

Qual a diferença, então, entre utilizar o Power BI e o Excel, se os dois ajudam a visualizar melhor os dados relevantes para a empresa?

Em primeiro lugar, o Power BI possui algoritmos de compactação que tornam uma planilha complexa rápida de abrir.

É algo que não ocorre com o Excel, que fica lento quando o documento é muito pesado.

Outra vantagem do Power BI é que a experiência do usuário é mais intuitiva.

Ele é visualmente atraente e fácil e rápido para visualizar grandes quantidades de dados.

Para utilizá-lo na gestão de dados e business intelligence, não é preciso ter o mesmo conhecimento especializado que o Excel para montar planilhas complexas.

Mas talvez a principal vantagem do Power BI esteja em seus recursos de colaboração com ambientes na nuvem, os quais facilitam a coleta dos dados e exportação dos gráficos produzidos no programa.

Para finalizar, podemos citar a possibilidade de criar dashboards personalizados, para que o usuário deixe o programa ajustado à aplicação específica que fará dele.

Como Conhecimentos em Power BI podem influenciar minha Carreira

Os dados sempre existiram, e bons administradores, qualquer que fosse a época, nunca deixaram de consultá-los para tomar suas decisões.

No entanto, a realidade do big data, com cada vez mais possibilidades de se obter informações relevantes para a atividade da empresa, é recente.

O que há de novo é que, hoje, a análise de dados não se restringe apenas aos profissionais que ocupam os cargos mais altos na hierarquia de uma organização.

As possibilidades são tantas que até mesmo estagiários estão aprendendo a manusear e utilizar dados para realizar as suas tarefas.

Mas como isso tudo ainda é muito recente, existem poucos profissionais no mercado que são especializados no assunto, ou seja, que levam essa prática a um nível avançado e geram um diferencial competitivo para seu empregador.

Então, quem entende a fundo a ciência de dados – sabendo usar a matemática, estatística e soluções tecnológicas para auxiliar a empresa a alcançar seus objetivos – tem um mercado de trabalho aquecido esperando por ele.

Se você acha que é tarde demais para aprender sobre ciência de dados, pode obter praticamente os mesmos benefícios aprendendo a usar o Power BI, que é facilmente dominado por usuários intermediários.

Nesse caso, o mais importante para se diferenciar como profissional não será o conhecimento técnico avançado sobre estatística e tecnologia, mas sim a capacidade de gerar insights estratégicos.

Na Prática, o que Eu Preciso para Usar o Power BI

Agora que você já está entendeu para que serve o Power BI e está convencido da sua importância para qualificar a tomada de decisão em qualquer área, é hora de saber como dar os primeiros passos para utilizar essa poderosa ferramenta.

Vamos a eles!

  1. Entenda os números

O que falamos antes é verdade: você não precisa ser nenhum matemático para utilizar o Power BI.

Por outro lado, se não tiver um bom relacionamento com os números, vai ser bem mais complicado aproveitar as funcionalidades do programa.

Aproveite que estamos na era da informação e estude em casa. Há várias opções de cursos online sobre ciência de dados e disciplinas relacionadas.

  1. Desenvolva o pensamento estratégico

O programa não faz tudo sozinho.

Ele é uma ferramenta e, portanto, depende de um uso inteligente para dar os melhores resultados.

Procure aprender com os seus líderes e oriente cada vez mais seu pensamento para reconhecer quais dados têm uma relação mais próxima com os objetivos estratégicos da empresa.

Cursos de planejamento estratégico, análise de dados e business intelligence são recomendados para desenvolver esse lado.

  1. Experimente o programa

Comece baixando o Power BI Desktop gratuitamente para testar as suas funcionalidades.

Você também pode optar por uma assinatura mensal do Power BI Pro ou, então, convencer a empresa onde trabalha a assinar a versão Premium.

No site do programa, há um vasto conteúdo educativo com vídeos, artigos, exemplos e documentação aprofundada para orientar os novos usuários.

Tutorial Power BI: Como Preparar um Dashboard Básico de Qualidade

Dashboard é o nome que se dá ao painel visual principal de uma ferramenta, que centraliza na mesma tela determinadas informações, segundo a preferência do usuário.

Essa opção de personalizar o dashboard só está disponível nas versões Pro e Premium do Power BI, e não na Desktop, que é gratuita.

Enquanto os relatórios podem se distribuir por mais de uma página e representam um conjunto de dados específico, o dashboard é uma página única que pode reunir dados de vários relatórios para facilitar a visualização rápida dos números e gráficos.

Para personalizar um dashboard é muito simples.

Basta acessar a visualização que você quer exibir nele e clicar no ícone do alfinete, que tem a funcionalidade de “Fixar visual”.

Será aberta uma caixa de diálogo para você escolher o dashboard ao qual deseja fixar aquela visualização ou, então, criar um novo painel. Em seguida, basta clicar em “Fixar”.

Feito isso, a visualização estará em um bloco dentro do dashboard.

Agora, é só fazer o mesmo com outros gráficos, mapas, imagens e formas que você deseja centralizar em um único painel.

Depois de aglomerar as informações desejadas no mesmo local, você pode arrastar os blocos para organizar melhor a disposição dos elementos.

Power BI e o Lean Six Sigma: Como Essa Ferramenta pode me Ajudar

A metodologia Lean Six Sigma agrega os conceitos do Lean Manufacturing e do Six Sigma, com o objetivo de aumentar a produtividade e lucratividade da empresa.

O método Lean, também conhecido como Sistema Toyota de Produção, foi desenvolvido pela indústria japonesa como uma filosofia em que os desperdícios são reduzidos ou eliminados continuamente.

Sem desperdícios (desde que a qualidade do produto ou serviço não seja comprometida), é possível oferecer ao cliente um preço competitivo e aumentar a margem de lucro.

Já o Six Sigma é um conjunto de práticas que visam reduzir o desvio padrão nos processos de uma empresa.

Com menos variabilidade, a organização diminui os defeitos, reduz os custos de produção e fica mais próxima da perfeição.

Assim como no Lean Manufacturing, a implementação das práticas do Six Sigma colabora com o aumento na satisfação dos clientes, que deve ser sempre o objetivo principal.

O que acontece é que não há como calcular o desperdício e o grau de variabilidade de um processo sem dados.

É aí que entra o Power BI, como você já deve ter imaginado.

O programa puxa dos bancos de dados as informações relevantes para as medições em questão e as apresenta de forma clara para que todos os envolvidos compreendam sem dificuldade.

Trata-se, portanto, de uma ótima ferramenta para empresas que utilizam a metodologia Lean Six Sigma, tanto no nível Green Belt quanto Black Belt.

Conclusão

Antes da era da informática, os dados eram registrados em papel e armazenados em pastas, guardadas em gavetas de arquivos.

Para que eles se transformassem em gráficos e indicadores, era preciso examiná-los com cuidado, colocar a calculadora para funcionar e registrar tudo no papel novamente.

Perdia-se muito tempo não somente com os cálculos, mas também com o simples fato de ter de procurar a informação necessária entre centenas ou milhares de papéis e dezenas de gavetas.

O Microsoft Excel surgiu e revolucionou esse processo.

Além de ser possível armazenar uma grande quantidade de dados no mesmo computador, ele suportava fórmulas para agilizar os cálculos e até gerava gráficos.

Aliás, ainda gera, pois o Excel não deixou de ser um programa popular no mundo todo.

Só que, agora, o número de alternativas é maior.

Algumas delas, como o Power BI, são mais intuitivas e completas para a coleta, manuseio e visualização dos dados.

O que você achou? Ficou com vontade de experimentar o programa da Microsoft? Deixe um comentário abaixo compartilhando a sua opinião.