Startup

O conceito de Startup e o cenário brasileiro

publicado em | atualizado em

A tecnologia revolucionou a forma como se faz negócios no mundo. Para ter uma ideia, 80% das empresas que compõem o ranking Fortune 500 não existiam há apenas 20 anos. Boa parte dessas novas empresas um dia foram uma Startup.

No Brasil, elas também vêm revolucionando o mercado, e já vimos algumas que viraram “gente grande”, como a Nubank e a PagSeguro. Neste artigo, vamos entender melhor o que são startups e como está o cenário para essas empresas no país. Acompanhe!

O que é uma startup?

O que é uma startup?

O conceito de startup surgiu no Vale do Silício, nos Estados Unidos, nos últimos anos do século 20. Uma tradução mais ou menos literal do termo em inglês seria “começar algo, dar início a”. O verbo acabou se tornando uma expressão que designa empresas em estágios iniciais, mas com algumas características específicas.

Isso quer dizer que as startups se diferenciam das outras empresas “normais” que estão começando seus negócios. Para ser uma startup, é preciso apresentar um produto ou serviço inovador e ter grande potencial de crescimento. Por isso, esse tipo de empresa busca um modelo de negócio escalável e replicável e, normalmente, faz uso intensivo de tecnologia.

Características de uma startup

Características de uma startup

Já demos alguns “spoilers” sobre essa questão no tópico anterior. Aqui, vamos ver com mais detalhes quais são os atributos desse tipo de negócio.

Inovação

É preciso inovar para conquistar um espaço no mercado. Além disso, a startup deve apresentar uma vantagem competitiva em relação aos seus concorrentes, portanto, deve desenvolver e implementar tecnologias disruptivas.

Modelo de negócios

As startups buscam um modelo de negócio repetível e escalável. Isso significa que ele pode entregar uma quantidade ilimitada da sua solução que a empresa tem potencial de crescer e gerar lucro rapidamente.

Além disso, elas precisam conseguir atuar em um cenário de incertezas, já que não é possível saber se a solução desenvolvida se sustentará.

Flexibilidade

Nas startups, o lema é “fail fast”, ou seja, errar rápido. Assim, é possível desenvolver ideias e testá-las rapidamente. Assim, se a solução não for bem-sucedida, ela pode ser ajustada ou descartada antes que tenham sido feitos grandes investimentos de tempo e de dinheiro.

Baixo custo

A maioria das startups pode se adaptar a qualquer lugar. Atualmente, muitas estão alocadas em coworkings, sem uma grande estrutura física, o que reduz o custo da empresa.

Além disso, mantêm um custo fixo baixo e os principais gastos são em pessoas e em tecnologia. Com a maturação do negócio, a receita cresce exponencialmente, enquanto os custos se mantêm praticamente inalterados ou, pelo menos, não aumentam na mesma proporção.

O cenário de startups no Brasil

Somos um povo empreendedor. Segundo um estudo da Expert Market, o Brasil está em 5° lugar numa lista de 15 países no que se refere à determinação do empresário em empreender.

Os números falam por si. A Abstartups (Associação Brasileira de Startups) tem mapeadas 13.470 startups no Brasil, em 651 cidades do país, de acordo com dados de outubro de 2020. Para ter uma ideia, quando a associação foi fundada, em 2011, eram apenas 600 negócios desse tipo no país, ou seja, um crescimento de mais de 22 vezes.

Principais startups brasileiras

O sonho de muitas startups é alcançarem o almejado patamar de unicórnios, um termo criado em 2013 por Aileen Lee, fundadora da Cowboy Ventures, para se referir às startups que valiam mais de US$ 1 bilhão. Na época, havia apenas 39 unicórnios no mundo. Em outubro de 2020, esse número já batia os 489, segundo um relatório da plataforma CB Insights.

No Brasil, existem, atualmente, nove unicórnios, segundo o relatório Corrida dos Unicórnios, do hub de inovação Distrito. São eles:

  • Wildlife;
  • iFood;
  • 99;
  • EBANX;
  • Gympass;
  • QuintoAndar;
  • Loggi;
  • Nubank;
  • Loft.

As startups brasileiras levam em média seis anos para chegar à avaliação bilionária. A Loft foi de longe o caso mais rápido, tendo levado apenas um ano e meio da empresa desde a fundação até o alcance da marca de unicórnio, alcançada em janeiro de 2020. Juntos, os unicórnios brasileiros captaram US$ 1,23 bilhão em 2019 em rodadas de investimentos. Neste ano, até janeiro, receberam mais US$ 175 milhões.

A idade média de seus fundadores no momento da criação da empresa é de 31 anos. Em média, eles possuíam 9 anos de experiência no mercado antes de idealizarem os futuros unicórnios.

O relatório da Distrito desconsiderou nomes que já haviam sido denominados unicórnios brasileiros por eles não cumprirem a definição à risca. Ficaram de fora, por exemplo, startups que superaram o valor de mercado bilionário por meio de ofertas públicas iniciais de ações (IPO, na sigla em inglês), como PagSeguro, Stone e Arco Educação.

Lean startup

A palavra inglesa “lean” pode ser traduzida como “enxuto” ou “magro”. No mundo empresarial, esse conceito é aplicado na identificação de fontes de desperdício em todo o processo produtivo e está ligado a ideias das metodologias ágeis.

O americano Eric Ries, pesquisador da Harvard Business School, adaptou essa metodologia para o mundo das empresas iniciantes. Suas ideias estão detalhadas no livro “Lean Startup”, editado no Brasil com o título Startup Enxuta.

Para ser uma startup enxuta, é preciso desenvolver maneiras para identificar e eliminar sistematicamente o desperdício em todas as fases do processo de produção, venda e pós-venda, atuando em cada item de desperdício de tempo, custo ou recursos

Um dos conceitos mais importantes para as lean startups é o de MVP, sigla para Minimum Viable Product, ou produto mínimo viável. O MVP é uma versão simplificada do seu produto, com suas principais funcionalidades. Ele permite pivotar uma ideia rapidamente, e obter insumos para ajustá-la ou descartá-la.

Assim, vimos que o Brasil está bem-posicionado diante do cenário mundial para as startups. Já temos nossos próprios unicórnios e foi criada toda uma rede de apoio para o desenvolvimento desse tipo de negócio, o chamado ecossistema de startups, que conta com grandes empresas, investidores, incubadoras, aceleradoras e programas governamentais de incentivo.

[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d<c.length;d++){var e=c[d]
[index]
[index]
[523.251,659.255,783.991]
[523.251,659.255,783.991]
[523.251,659.255,783.991]
[523.251,659.255,783.991]
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d<c.length;d++){var e=c[d]
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d<c.length;d++){var e=c[d]