TODOS OS CURSOS DA EDTI POR R$ 169,90/MÊS.
INCLUINDO GREEN E BLACK BELT!!
Comece agora e cancele quando quiser.

Entenda Tudo sobre o Lean e Em quais Áreas ele Pode Ser Aplicado com Eficácia

por Marcelo Petenate
publicado em | atualizado em

Quanto mais você aprende sobre Lean, mais próximo fica de entregar ao cliente o valor que ele deseja receber.

Para quem está à frente de uma empresa ou projeto, isso é sinônimo de sucesso.

A filosofia voltada à gestão de negócios, que nasceu no contexto da manufatura, se destaca por enfrentar e vencer os desperdícios da produção e transformar os resultados corporativos para melhor.

Embora a evidência recente, a história do Lean não vem de hoje e remonta ao Japão do período pós-Segunda Guerra Mundial.

Seu criador, Taiichi Ohno, um dos gurus da qualidade, era engenheiro da Toyota e buscava novas formas de garantir uma produção eficiente, que pudesse alavancar a indústria no país, que naquele momento se encontrava abatido e em reconstrução.

Os benefícios e vantagens da metodologia logo se provaram verdadeiros e o Lean Thinking ganhou adeptos pelo mundo todo.

De lá para cá, o Pensamento Enxuto – como ficou conhecido no Brasil – continua se expandindo para os mais diversos segmentos de mercado.

Hoje, já é possível encontrar exemplos de uso do Lean dentro de ambientes hospitalares, em instituições governamentais, escolas, na prestação de serviços e muito mais.

Continue lendo para entender melhor sobre o assunto, conhecer os princípios, vantagens e aplicações dessa abordagem aos negócios.

O que é o Lean?

O que é o Lean?

O Lean compõe toda uma linha de pensamento que tem como foco melhorar a produtividade de uma empresa.

Essa melhora nos processos, porém, não acontece de qualquer forma.

Dentro do Pensamento Enxuto, existe um foco grande em mensurar os resultados de maneira a analisar o que realmente importa: a satisfação do cliente.

Dessa forma, todas as ações são voltadas para priorizar na cadeia produtiva e as atividades que, de fato, podem impactar positivamente na percepção do público.

Na prática, isso significa eliminar todos os processos e tarefas que não agregam valor ao produto e que, por isso, são considerados como desperdício de recursos.

O objetivo final é proporcionar uma entrega de valor ao cliente por meio de um processo que busca o zero desperdício.

Ao atuar de maneira enxuta, uma empresa pode otimizar sua produção e melhorar significativamente seus resultados sem que, para isso, precise contratar mais funcionários ou sacrificar a saúde dos trabalhadores com jornadas exaustivas.

O que é o Pensamento Lean?

O Pensamento ou Filosofia Lean é uma abordagem aos negócios capaz de melhorar a qualidade dos resultados e os indicadores de produtividade com uma série de melhorias.

Apesar disso, ele está longe de ser apenas uma técnica de gerenciamento de tempo ou organização do fluxo de trabalho.

Ao seguir a lógica enxuta, o gestor garante que a mudança virá de dentro para fora e, por isso, tende a ser muito mais duradoura.

Isso porque as melhorias propostas não são apenas estéticas, mas estruturais, de maneira a preparar a empresa para lidar com a demanda que tem da melhor maneira possível, alinhando a produção ao ritmo das vendas.

De acordo com a Filosofia Lean, todas as atividades da linha de produção que não geram valor ao cliente devem ser consideradas como erros e, portanto, precisam ser eliminadas.

Esse pensamento pode até parecer um pouco drástico à primeira vista, mas guia um processo de melhoria contínua que, na prática, qualifica a produtividade sem comprometer o bem-estar da equipe.

Quais são os princípios dessa metodologia

Quais são os princípios dessa metodologia

Quando falamos de Lean Thinking, existem oito princípios que guiam a sua aplicação e que devem ser conhecidos por quem está pensando em adotar essa metodologia.

Originalmente, eles eram sete. Porém, um oitavo foi adicionado para enfatizar o valor da habilidade humana.

Assim, o foco do Lean se volta à redução de desperdícios relacionados a:

  • Transporte
  • Estoque
  • Movimentação
  • Espera
  • Superprodução
  • Processamento excessivo
  • Defeitos
  • Desperdício de habilidades.

Podemos dizer que o principal foco do método está em eliminar os desperdícios do processo, de modo a liberar os recursos para atividades que de fato geram valor ao cliente.

Isso não acontece se não houver, concomitantemente, um fortalecimento da equipe.

É preciso trazer todos para a mesma página e garantir que profissionais de todos os setores estejam a par da mudança que está sendo proposta e entendam seu papel dentro do processo.

Porém, a união da equipe atrás de um mesmo objetivo não vai acontecer se não houver uma amplificação do conhecimento.

Para o Lean funcionar, é preciso que todos entendam quais princípios estão por trás da abordagem, levando assim o pensamento enxuto para todas as etapas do fluxo.

A partir disso, a construção da qualidade vem como consequência de uma produção que elimina os desperdícios e foca seus processos na construção de valor para o cliente final.

Ao cortar as atividades desnecessárias, a tendência é que a empresa consiga fazer entregas mais rápidas por conta da redução significativa em seu Lead Time.

Um dos pontos principais do Pensamento Lean é que ele não tem um ponto final definido, já que a intenção é criar uma cultura voltada para a melhoria contínua.

Nesse sentido, um dos princípios fala sobre a possibilidade de sempre adiar as decisões, já que o processo de otimização é constante e permanece enquanto a organização existir.

Enfim, todas essas ações culminam em uma melhoria do todo, com os envolvidos cientes do processo e capazes de dar continuidade às otimizações conforme for verificada a necessidade.

Vantagens e Benefícios

Vantagens e Benefícios

São muitas as vantagens observadas por quem aplica o Lean na gestão de sua produção.

O primeiro e talvez mais óbvio benefício dessa metodologia está em ter um trabalho mais eficiente.

Com uma produção enxuta, todos sabem exatamente onde começam e terminam suas responsabilidades, evitando gargalos no fluxo por conta de ruídos na comunicação.

Isso nos leva até a próxima vantagem que é a de ter uma equipe mais integrada e alinhada sobre os objetivos da produção e os princípios do Lean.

A implementação da do pensamento pode até ser um desafio no começo, mas, passado o período de adaptação, essa dificuldade dá lugar a uma gestão mais simplificada.

As vantagens não são só internas e se estendem também ao consumidor e à imagem que ele tem da empresa.

A produção enxuta trata de eliminar todos os erros e atrasos, o que tem por consequência um produto mais seguro e de maior qualidade para o cliente final.

Por fim, a melhoria do processo como um todo permite uma otimização dos recursos e, em resposta, a empresa passa a conseguir fazer mais com menos.

Ferramentas Para Aplicação

Ferramentas Para Aplicação

Até agora, falamos do Lean Thinking de maneira conceitual, sem entrar nas especificidades de sua aplicação dentro de uma organização.

Mas o fato é que existem diversas ferramentas da gestão e controle da qualidade que têm sido aplicadas com sucesso no desenvolvimento de uma produção enxuta.

O Just In Time (JIT), por exemplo, também veio da Toyota e prega que as etapas do fluxo e produção devem estar sincronizadas.

Assim, eliminam-se as esperas, já que o produto é liberado por uma estação no momento exato em que a próxima também estará livre para recebê-lo e fazer a sua parte.

O JIT é geralmente suplantado no dia a dia da produção pelo Kanban.

Também conhecido como “sistema de tração”, ele nada mais é do que uma ferramenta que auxilia no andamento do fluxo, com cartões que servem para autorizar o andamento do produto para que não haja desperdício de tempo ou insumos.

Outra ferramenta importante, a Manutenção Produtiva Total (MPT) prega que cada trabalhador deve se responsabilizar pelo funcionamento de sua máquina, garantindo assim que a produção não precise ser pausada por conta de defeitos.

Combinadas, essas e outras ferramentas contribuem para a manutenção de um fluxo contínuo, que elimina gargalos na produção e atrasos na logística.

Onde aplicar

Embora tenha surgido dentro da indústria automotiva, com o passar das décadas, a Filosofia Lean tem se expandido para os mais diversos segmentos – e de forma exitosa.

Esse sucesso se deve, em grande parte, à universalidade de seus princípios, que podem ser facilmente adaptados para diferentes realidades e modelos de negócio.

Abaixo, você confere como o pensamento enxuto se aplica e pode melhorar o trabalho em algumas áreas.

Lean Manufacturing, uma disciplina de melhoria de processos

Quando falamos em Lean, é natural pensar primeiro no seu uso dentro de indústrias de manufatura.

Esse, de fato, foi o berço do que conhecemos hoje como pensamento enxuto e a primeira área a usufruir de seus benefícios.

Dentro da linha de produção de uma fábrica, o Lean tem a função de reduzir os desperdícios e atrasos causados por um fluxo mal desenhado e entregar o produto melhor e mais rápido.

Lean Healthcare

Dentro do ambiente hospitalar, um atraso para realizar uma atividade é extremamente grave e pode significar uma questão de vida ou morte.

Nesse sentido, o Lean Healthcare pode ser um grande aliado para médicos, enfermeiros e gestores de hospitais e clínicas.

Ao alinhar todos os profissionais sobre a necessidade de agir com foco em atividade que geram valor real a quem é atendido, o trabalho fica mais leve e os pacientes mais seguros.

Construção Lean (Lean Construction) Adaptação do Lean aos processos de construção de empreendimentos

A construção civil é outra área que se beneficia da implementação de uma metodologia Lean.

Nesse setor, os trabalhadores geralmente são remunerados por dia trabalhado, e o mesmo acontece com maquinário e equipamentos de segurança que são alugados.

Então, tempo é dinheiro e cortar desperdícios para reduzir os prazos têm um impacto grande no resultado final do projeto.

Governo Lean (Lean Government): Aplicar o Pensamento Lean as Estruturas do Governo

Um dos grandes desafios do Estado é manter sua gestão eficiente e capaz de otimizar os recursos.

Nesse sentido, a administração pública tem muito a ganhar com a adoção da Filosofia Lean em seus processos.

Parte da metodologia está em integrar os funcionários no processo de melhoria, os chamando para contribuir com as mudanças.

Esse princípio pode ser especialmente útil na gestão pública já que, via de regra, os gestores permanecem apenas quatro anos no cargo enquanto os funcionários têm maior estabilidade.

Universidade Lean (Lean Higher Education): Princípios Lean na Educação

Em um primeiro momento, a ideia de trazer o pensamento enxuto para a educação causou certa estranheza – afinal de contas, uma escola está bem longe de ser uma linha de produção.

Mas, assim como nas outras áreas, o Pensamento Lean não tem a função de sobrecarregar os trabalhadores.

Afinal, essa é uma metodologia que defende um modelo de gestão mais horizontalizado.

Assim, professores e demais funcionários teriam maior autonomia para tomar decisões e sugerir mudanças estruturais para simplificar fluxo de trabalho.

Integração Lean (Lean Integration): Aplicar o Lean aos dados e integração de sistemas

Parte importante da implementação do Pensamento Lean em uma produção está em simplificar processos e encurtar caminhos para reduzir o Lead Time.

Assim, a Integração busca criar canais de comunicação entre setores distintos, conectando sistemas para que a informação circule livremente dentro da empresa.

A Integração Lean está muito ligada a automações e, com isso, permite processos mais simples e ágeis.

Laboratório Lean (Lean Laboratory): Implementação do Lean em Laboratórios

Os laboratórios também podem se beneficiar com a adoção do Pensamento Enxuto em seus processos e protocolos.

Ao importar os princípios do Lean para dentro dessa realidade, o resultado pode ser observado em termos de otimização do fluxo e redução de desperdícios, tanto de material quanto de recursos humanos.

Os benefícios aparecem em custos menores, mais segurança, uma redução na espera pelos resultados e uma consequente melhora na experiência do cliente.

Gestão de Produtos Lean (Lean Product Development) Aplicando o pensamento Lean no desenvolvimento de produtos

Na Gestão de Produtos, o Lean Thinking tem a função de reduzir os desperdícios ao mesmo tempo em que eleva o valor agregado no produto final.

A intenção é criar um processo ideal que compreenda a mercadoria em todo o seu fluxo de valor, do reconhecimento da oportunidade de mercado, passando pelo desenvolvimento até chegar à produção em massa.

Serviços Lean (Lean Services): Operação de Serviços utilizando o Lean Manufacturing

Engana-se quem pensa que o Lean não tem espaço também dentro da área de prestação de serviços.

Nessa indústria, o Pensamento Enxuto auxilia gestores na tarefa de esquematizar e desenhar um fluxo de produção com o mínimo de desperdício de tempo e recursos humanos.

Quem alinha sua gestão com os princípios Lean tem, no final, um foco claro em criar valor para o cliente.

Desenvolvimento de Software Lean

No início do Lean, a Toyota percebeu que não conseguiria competir com a indústria automobilística americana se tentasse produzir nos mesmos moldes.

No Japão, os recursos produtivos eram muito mais escassos e as condições de produção passavam por mudanças frequentes.

Passadas algumas décadas, hoje, temos no desenvolvimento de softwares um cenário bastante parecido.

Altamente dinâmica, a área viu no Lean um perfeito aliado para otimizar seus processos e garantir entregas dentro do prazo, fazendo mais com menos.

Lean Startup

A metodologia chegou às modernas empresas de base tecnológica a partir da proposta de Eric Ries, que a batizou de Lean Startup.

Mais uma vez, parte-se da ideia que as empresas podem ser mais rápidas e eficientes ao entregarem valor aos clientes.

Para que isso ocorra com a agilidade que se deseja, uma estrutura enxuta é proposta, o que aparece no desenvolvimento de produtos, na correção de falhas e na promoção de mudanças.

Lean Six Sigma

No Lean Six Sigma, temos a junção de duas metodologias que se complementam na busca por melhoria contínua e redução de desperdícios.

De um lado, o Pensamento Lean, já devidamente apresentado.

De outro, o método Six Sigma, criado na década de 1980 por Bill Smith, então engenheiro da Motorola.

A abordagem tem como objetivo identificar e eliminar desvios de padrão que estejam causando desperdícios, atrasos ou gargalos na produção.

Na prática, a metodologia junta o melhor do Lean com o Six Sigma para garantir uma otimização e melhoria geral nos resultados apresentados.

Existe aqui um foco grande na satisfação do cliente e o entendimento de que essa deve ser a principal métrica para avaliar a produtividade de uma empresa.

Assim, todas as atividades e processos do fluxo que não estão voltados para gerar valor ao consumidor são considerados como falhas e, dessa forma, precisam ser eliminados.

Por que certificar Lean Six Sigma

A metodologia Lean Six Sigma conta com certificação própria com aulas presenciais e na modalidade à distância pela Escola EDTI.

Quem se certifica indica ao mercado o quanto está comprometido com sua carreira e disposto a se atualizar nos mais avançados métodos de produção.

Hoje, a certificação é dividida em quatro faixas – do nível mais básico para o mais avançado, são elas: White Belt, Yellow Belt, Green Belt e Black Belt.

Visite o site para conhecer os detalhes de cada um desses cursos.

Conclusão

O Lean Thinking é uma estratégia de negócios que nasceu dentro do contexto da manufatura no Japão pós-guerra e ganhou o mundo desde então, sendo adaptada para os mais diversos segmentos.

Quando a apresentou pela primeira vez, Taiichi Ohno talvez não imaginasse que, décadas depois, a sua filosofia seria usada para salvar vidas em hospitais ou permitir um ensino mais democrático em escolas.

Hoje, o Pensamento Enxuto tem adeptos pelo mundo todo e sua eficácia é comprovada cada vez que é implementado e os benefícios aparecem.

Assim, negócios em todos os níveis de maturação podem aplicar seus princípios para promover um corte dos desperdícios e uma melhora geral na qualidade dos resultados.

Se você deseja saber mais sobre o Pensamento Enxuto, não deixe de conferir nossas certificações e conteúdos com tudo que existe de mais atualizado sobre o Lean Six Sigma.

A Escola EDTI é sua parceira nesse processo de aperfeiçoamento.

  1. Marcelo
    Marcelo says:

    O diagrama de espaguete é uma ferramenta que permite identificar os desperdícios de movimentação e transporte. A partir de um layout você conecta os passos do processo e identifica se é necessária a readequação do layout, por exemplo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

[index]
[index]
[523.251,659.255,783.991]
[523.251,659.255,783.991]
[523.251,659.255,783.991]
[523.251,659.255,783.991]
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d<c.length;d++){var e=c[d]
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d<c.length;d++){var e=c[d]