O que é o Lean, Seus Benefícios, Pilares e Ferramentas

O que é Lean: um conjunto de técnicas desenhadas para reduzir desperdícios, ou seja, reduzir custos. A “mãe” de todos os desperdícios é a superprodução, que acaba se traduzindo em estoques.

Dizemos que é a mãe uma vez que ela é a geradora de todos os outros desperdícios. Assim, se quisermos reduzir custos a principal estratégia deve ser reduzir os desperdícios.

Os 7 desperdícios mais encontrados são:

os-7-desperdicios

Um bom curso de Lean deve desenvolver no futuro especialista um conjunto de técnicas para encontrar e remover desperdícios. 

Os 5 benefícios de uma empresa LEAN

Em uma empresa Enxuta (Lean) os processos:

  • Usam menos material
  • Requerem menos investimento
  • Usam menos estoque
  • Consomem menos espaço
  • Utilizam menos pessoas

O principal indicador do Sistema LEAN: Lead Time

O Lead time mede o tempo total que leva-se para produzir um item, incluindo os tempos de espera e de produção. Não é incomum que os tempo de de espera consumam mais de 90% do tempo total.

A matéria-prima é dinheiro e quanto mais tempo ela fica dentro da empresa, antes de ser transformado em produto final e ser vendido, pior o desempenho financeiro da empresa.

Assim, a redução do Lead time é uma tremenda vantagem competitiva de fluxo de caixa para qualquer empresa.

O idealizador do sistema enxuto, Taiichi Ohno, usa a seguinte frase para definir o que significa Lean: “Tudo o que fazemos é o momento em que o cliente coloca o pedido até o momento em que ele realiza o pagamento… e estamos tentando diminuir esse tempo continuamente reduzindo os desperdícios”.

A dificuldade na redução do Lead Time é que ele é diretamente proporcional ao estoque intermediário, mas poucas pessoas entendem isso.

Veja o exemplo: nas duas estações de trabalho abaixo entram 1 bola por minuto e saem 1 bola por minuto. O Lead time da primeira é 4, o dobro do Lead time da segunda.

exemplo lead time

Assim, para reduzir o lead time, precisamos reduzir o estoque! O inciante em Lean diria que agora o problema esta resolvido: basta reduzir o estoque.

Mas existem razões para a formação dos estoques e se não as compreendermos iremos falhar na nossa estratégia de implementação.

Como os estoque são criados?

Os estoques são formados para atender o cliente (a demanda nunca é fixa) e para nos proteger de ineficiências da produção (máquinas quebradas, falta de pessoal, defeitos, etc.).

Como existe pouco a ser feito em relação ao cliente, o foco do Lean esta em reduzir as ineficiências da produção (melhorias de processo) e reduzir o estoque (sistemas puxados/ Kanban).

“Reduzindo o estoque reduzimos automaticamente a Lead Time e os desperdícios”

Com isso é possível formatar um método para aplicar o Lean.

Os 2 perigos da implementação do Lean

O maior perigo, e mais comum, é não entender que a razão dos desperdícios são as ineficiências. Muitas empresas que falharam na jornada Lean iniciaram suas implementações pela redução dos estoques, o que ocasionou a quebra de algumas empresas.

Esse é um ponto extensivamente abordado em nossos cursos voltados ao Lean, e que é negligenciado por muitas pessoas, provavelmente pela falta de compreensão sobre esse tópico.

Outro perigo muito comum é não coletar resultados já no início do projeto. Sabemos que a jornada Lean é um longo caminho, mas precisamos ter a habilidade de desdobrar esse grande projeto em milestones menores, com objetivos mensuráveis para que os resultados alcançados sirvam de motivação para a continuação do projeto

mudança-cultural

A mudança cultural

A maioria das pessoas que escrevem sobre Lean focam muito em mudança de cultura e pouco em método.

A maioria dos especialistas na introdução de mudanças diria que a mudança cultural leva tempo e requer que as crenças da organização sejam mudadas.

Muitas organizações têm introduzido com sucesso a mudança ao alterar a estrutura na qual as pessoas trabalham.

Os 2 pilares do Lean

JIT: O Just In Time significa entregar a quantidade correta, no local correto, no tempo correto e controla o principal desperdício que é produzir mais do que o cliente consegue comprar.

A principal maneira de implementar o JIT é por meio da lógica de sistema puxado, onde é estabelecido uma quantidade máxima de inventário com base na demanda histórica do cliente.

Jidoka: automação ou máquinas inteligentes, significa separar o trabalho do homem pelo da máquina e evitar a produção e propagação dos erros.

Por meio de dinâmicas como a produção de aviões de papel e workshop práticos de Poka-Yoke conseguimos exemplificar de maneira prática em nossos cursos de Lean esses conceitos complexos.

As 5 principais ferramentas do Lean

Para encontrar os desperdícios e redesenhar o sistema o especialista em Lean utiliza diversas ferramentas, dependendo do seu objetivo. São elas:

  • Tempo Takt: nada mais é do que o ritmo de “puxar” cliente e devemos balancear nossa produção nessa batida.
  • Estudo de tempo: serve como input para o estudo de balanceando e serve para sincronizar a produção.
  • Estudo de balanceamento: identifica os desperdícios de espera, superprodução e estoque e tem o objetivo de fazer com que cada etapa trabalha o mais próximo possível do tempo Takt.
  • VSM: mapeamento do fluxo de valor e serve como ponto de partida para a identificação dos desperdícios e o redesenho do sistema.
  • Diagrama de espaguete: identifica os desperdícios de movimentação de pessoas e transporte de itens.

 

3 respostas
  1. Marcelo says:

    O diagrama de espaguete é uma ferramenta que permite identificar os desperdícios de movimentação e transporte. A partir de um layout você conecta os passos do processo e identifica se é necessária a readequação do layout, por exemplo.

Trackbacks & Pingbacks

    Deixe uma resposta

    Want to join the discussion?
    Feel free to contribute!

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado.