metodologia Scrum

Você sabe como utilizar a metodologia Scrum nos seus projetos?

Organização é um dos princípios básicos que todo gestor de projetos precisa ter para suas tarefas serem bem executadas. Ao trabalhar com várias demandas, distribuindo funções, sua experiência vai se maximizando com seu grau de responsabilidade com o projeto e também com todas as pessoas envolvidas.

A metodologia Scrum é algo que até hoje é muito falado e é principalmente usada em empresas de engenharia. No entanto, engana-se quem acha que ela só pode ser aplicada especificamente nessa área. Ela pode contemplar desde aquelas empresas que trabalham com softwares mais complexos até tarefas de uma agência de publicidade e propaganda.

Criado pelos americanos Ken Schwaber e Jeff Sutherland, o Scrum mostra como o gerenciamento ágil, ou Agile, pode contribuir para uma construção de colaboração mútua, com divisão de tarefas dinâmicas e de uma nomenclatura bem peculiar. Eis aqui algumas informações sobre essa metodologia que pode revolucionar sua empresa.

A sua definição e a sua função

O Scrum é um método desenvolvido por meio do Manifesto Ágil, que tem como foco subdividir um projeto de maneira cíclica, com um conjunto de tarefas a serem feitas, que também pode ser chamado de Sprint. Ele ajuda a combater o desperdício principalmente nas áreas de tempo e custo.

A sua principal função é o trabalho com o framework, gerenciando e organizando tarefas de natureza complexa. Isso ajuda a sua empresa a se manter à frente do mercado competitivo em que se encontra, desenvolvendo soluções rápidas por meio da facilidade de identificação de problemas.

Os três pilares do Scrum

Para manter bases sólidas e garantir o real funcionamento da sua metodologia, alguns conceitos são colocados para estruturar a filosofia do Scrum e fortalecer a sua característica. Existem três princípios fundamentais que suportam a metodologia: transparency (transparência), inspection (inspeção) e adaptation (adaptação).

No primeiro pilar, transparência, estabelecemos a premissa de que todo o trabalho deve ser especificado e todos os que fazem parte do projeto, stakeholders, devem saber cada detalhe de suas etapas, procurando definir uma frequência de andamento do projeto e uma forma personalizada de passar as informações.

Em inspeção, o segundo pilar, vemos que a busca pela qualidade deve ser constante e sempre explorada. Isso vai garantir o sucesso do projeto e é o ideal que todos devem ter em mente. Por meio da inspeção, podemos identificar certos desvios e retrabalhos que estejam acontecendo no decorrer de cada processo.

O último pilar, adaptação, é a fase em que podemos dialogar sobre qual a melhor maneira de trabalhar com as mudanças. Há casos em que a mudança para uma nova ferramenta é muito importante e isso vai ao encontro da necessidade do seu projeto. Como trabalhamos com a ajuda da tecnologia e ela está sempre desenvolvendo atualizações, é natural que comecemos o projeto de um software e terminemos com outro.

Os principais papéis

Para formar o Scrum Team, precisamos definir 3 determinadas funções: Product Owner, ScrumMaster e Time de Desenvolvimento. É possível que existam mais funções a serem designadas, mas isso depende do tamanho e da complexidade de cada projeto — porém, no básico, essas três são suficientes.

O Product Owner atua como o principal responsável pelo projeto. Ele deve estar disponível para questionamentos e para quem precisa organizar cada etapa e cada recurso. Deve estabelecer uma comunicação global com bastante clareza para que tudo esteja alinhado junto às outras partes do time.

Um ScrumMaster atua, basicamente, como um profissional de coach dentro de um projeto, procurando fazer com que os membros se agarrem a princípios sólidos para o desenvolvimento de cada etapa, visando a uma boa performance. Ele não chega a ser um gerente de projetos, mas tem o papel de inspirar as pessoas a serem disciplinadas e garantir que estejam trabalhando de forma ágil.

O Time de Desenvolvimento é composto por aqueles que desenvolverão, criarão e também serão responsáveis por cada teste ao qual o produto será sujeito até chegar ao seu consumidor. Fazem parte o designer, os administradores, os profissionais de TI e as demais áreas da empresa. O trabalho é desenvolvido com auto-organização e busca atingir uma meta geralmente estabelecida pelo ScrumMaster.

Os principais eventos e artefatos

Como vimos, Sprint é um conjunto de atividades que mantêm uma frequência, geralmente mensal, para que todas as iterações possam ser feitas. No entanto, existem outras nomenclaturas que são dadas para eventos importantes e elementos que constituem a metodologia Scrum.

Ao fazer uma lista contendo as funcionalidades que devem ser executadas no projeto, você está desenvolvendo um Product Backlog. Ele estará presente em uma Sprint Planning Meeting, a fim de alinhar as principais prioridades para que possa ser feito um documento que será transformado em um Sprint Backlog.

Pode parecer difícil decorar todos esses nomes, mas a rotina faz com que todos esses termos tragam a praticidade de que precisamos. Além do Sprint Backlog, também temos o Sprint Retrospective, feito no final de cada reunião para definir o que precisa ser melhorado, e o Sprint Review Meeting, que mostra o que foi alcançado durante a Sprint.

Uma das coisas mais pontuais que acontecem é a reunião diária ou Daily Scrum. Basicamente, todo o time se encontra para documentar o que foi feito no dia anterior, as principais questões que foram constatadas e quais tarefas precisam ser priorizadas para aquele dia. Ela é normalmente feita no mesmo ponto de encontro e sempre com os mesmos questionamentos.

Os principais benefícios

A metodologia Scrum traz mais benefícios que desvantagens, pois, quando trabalhamos para assegurar a qualidade de um projeto, fazendo com que ele apresente mais eficiência nas suas etapas, estamos avançando e, consequentemente, sendo ágeis.

Quem trabalha com a metodologia Scrum tem a certeza de que aprenderá constantemente de uma forma dinâmica, a ponto de, posteriormente, desenvolver uma autonomia que possa passar uma grande segurança dentro da sua rotina de trabalho.

Já que agora você sabe o que é metodologia Scrum e seus benefícios, que tal aprender algumas dicas de como ordenar seus projetos? Saiba em 5 passos como você pode coordenar seus projetos com eficiência. Ou inscreva-se no Green Belt para saber mais sobre qualidade!

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer participar da conversa?
Deixe sua opinião! :)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *