sprint

O que é sprint no método Scrum e como adotar na gestão de projetos

publicado em | atualizado em

Quem acompanha provas de atletismo já deve ter ouvido falar do sprint final.

Esse é o momento em que os atletas (ou cavalos, nas provas de turfe) dão o seu “último gás”, a fim de alcançar a vitória.

Antes disso, é necessário que vários sprints bem sucedidos sejam realizados para chegar ao fim da corrida com chances de vencer.

Nas empresas orientadas pelas metodologias ágeis de produção, a sprint tem um sentido parecido.

Ela nada mais é do que uma fração dentro de um projeto maior, cada um com metas próprias.

Entenda neste conteúdo o significado deste conceito e como aplicar.

O que é uma Sprint?

O que é uma Sprint?

No atletismo, sprint é a corrida de velocidade, as provas com distâncias mais curtas, que são percorridas com força total em um breve período de tempo.

Não por acaso, os 100 metros rasos são a prova mais esperada de uma edição de Jogos Olímpicos.

Em um esforço ímpar que pode durar menos de 10 segundos (menos de 11 para as mulheres), um atleta entra para a história.

Emprestado para o ambiente corporativo, o termo manteve um significado parecido com o original.

Aqui, Sprint define um ciclo de trabalho desenvolvido dentro de um projeto Scrum que busca otimizar um produto ou processo de maneira ágil, garantindo mais valor agregado ao resultado final.

Geralmente, o Scrum é dividido em várias Sprints que servem como blocos temáticos para o trabalho.

É comum que cada uma dessas fases tenha metas específicas, garantindo maior organização para o projeto.

A intenção é programar para que as etapas sejam realizadas de maneira consecutiva, uma após a outra.

Como planejar uma Sprint?

Para que serve uma Sprint

Como parte de um projeto guiado pela metodologia Scrum, uma sprint serve para facilitar o encadeamento das atividades a serem realizadas.

Vamos tomar como exemplo o meio em que esse framework de trabalho nasce, o de desenvolvimento de softwares.

Nele, cada produto tem um design único e diversos especialistas trabalham em sinergia para entregar uma solução final ao gosto do cliente.

Para isso, é necessário desmembrar o projeto em partes menores, de maneira a facilitar sua gestão e a correção de falhas.

Como funciona uma Sprint

Uma sprint é como se fosse um microprojeto dentro de um projeto.

Cada uma deve contar com seu próprio cronograma, orçamento e pessoal responsável.

Embora os nomes mudem, a estrutura é sempre igual, não importa qual a “missão” da equipe.

Não surpreende que esse framework de trabalho seja replicado em empresas de diversos segmentos com sucesso.

Além de maleável, ele é perfeito para a coordenação de equipes multidisciplinares, ajudando a gerir pessoas e recursos.

Veja a seguir como funciona.

Time de Desenvolvimento

O time de desenvolvimento em uma sprint é formado por equipes de no máximo nove profissionais e pelo menos três.

Ele deve ser composto por especialidades variadas e complementares, de maneira que as funções de um produto sejam plenamente desenvolvidas.

A criação de um software de gestão, por exemplo, poderia contar em uma sprint com profissionais de design, TI e especialistas em Inteligência Artificial.

Product Owner

Todo projeto de desenvolvimento de sistemas parte do chamado backlog de produto.

Esse é o conjunto de características e funções que o futuro software deverá ter, conforme as necessidades do cliente.

Garantir que o produto será desenvolvido para atender a essas necessidades é tarefa do Product Owner que, como o termo indica, age como se fosse o “dono” do produto.

Ele atua também como uma espécie de meio-campo, recebendo orientações tanto do cliente quanto do Scrum Master, repassando-as ao time de desenvolvimento.

Scrum Master

Apesar de remeter a um papel de “todo poderoso”, o Scrum Master não é nem de longe uma figura autoritária.

Pelo contrário, sua principal função é dar o máximo de autonomia para que cada membro da equipe saiba o que fazer sem precisar de supervisão.

Para isso, ele também se responsabiliza por treinar os profissionais envolvidos, de maneira que eles tenham o conhecimento indispensável para dar sequência à sprint.

Como o líder e profissional mais experiente, cabe a ele definir medidas a serem tomadas em caso de imprevistos e solucionar os problemas conforme surgem.

👉 Falando em liderança, veja como ser um líder melhor conforme os princípios Lean neste e-book gratuito!

Como planejar uma Sprint?

Em um primeiro momento, organizar uma Sprint pode até parecer complicado e trabalhoso, mas na verdade isso serve para facilitar o trabalho da gestão.

Primeiro, podemos partir dos requisitos do modelo Scrum, no qual suas Sprints estarão inseridas.

Para o desenvolvimento do projeto, será necessário nomear um Product Owner, indivíduo responsável por maximizar o valor do produto, um Scrum Master, que atua como gerente do projeto e facilitador das atividades, e por fim, um time de desenvolvimento para realizar as ações.

Definidas as funções de cada profissional dentro do Scrum, podemos avançar e definir as Sprints a partir de quatro momentos:

  • Planning: a Sprint Planning é uma reunião de planejamento onde os itens listados no Product Backlog serão avaliados e uma lista de requisitos finais será elaborada
  • Backlog: na Sprint Backlog, acontece a organização das ações necessárias para atingir o objetivo final, ranqueando cada atividade de acordo com as prioridades avaliadas pelo Product Owner
  • Review: Sprint Review é o momento para uma primeira revisão junto ao cliente ou Product Owner para avaliar os resultados das Sprints conforme são concluídas
  • Sprint Retrospective: finalizadas todas as ações e com o produto entregue, o Scrum Master precisa separar um momento para rever tudo que deu certo e o que deu errado, apresentando feedbacks específicos para cada profissional.

Como fazer uma Sprint: passo a passo

Sprint e projeto são quase sinônimos.

Ambos consistem em um conjunto de atividades a serem desempenhadas conforme um objetivo comum a ser atingido em equipe, dentro de um espaço de tempo.

Em razão disso, existe uma sequência de etapas a serem observadas antes de começar uma sprint.

É isso que vamos saber a seguir.

Reunião de planejamento

A etapa preliminar de uma sprint é a reunião de planejamento, na qual duas questões básicas devem ser respondidas:

  • O que precisamos entregar?
  • Como executamos as tarefas?

Para isso, a equipe deve buscar essas respostas em grupo, preferencialmente em reuniões do tipo brainstorming, devendo concluir essa etapa dentro de algumas horas.

No final, ela deverá ter claramente definido o backlog do produto, assim como o backlog de cada sprint.

Desenvolvimento

Avançando no projeto, a próxima etapa é o desenvolvimento, na qual o time de profissionais multidisciplinares se dedica a cumprir as tarefas designadas.

Eles deverão fazer isso em um prazo máximo estimado de uma a quatro semanas, sempre observando o backlog da sprint e o orçamento previsto.

Lembre-se que, nessa etapa, a responsabilidade por solucionar imprevistos, problemas de relacionamento ou operacionais é do Scrum Master.

Reuniões diárias 

Dentro de cada sprint, existem os chamados Daily Sprints, reuniões diárias nas quais o time de desenvolvimento discute pontos essenciais ao andamento do projeto.

Esse é o momento de alinhar os processos, motivar os menos engajados e, se necessário, redefinir prioridades para que o prazo inicial seja respeitado.

Detalhe: as reuniões Daily Sprints devem ser muito curtas, durando no máximo 15 minutos, podendo ser realizada com todos de pé.

Para pautar cada encontro, podem ser feitas as seguintes perguntas:

  • Existe algum obstáculo a ser removido?
  • O que foi feito para alcançar a meta de ontem?
  • O que será feito hoje?

Revisão da sprint

Cada sprint finalizada deve ser revisada, em uma reunião depois da jornada de trabalho.

O objetivo é avaliar como o trabalho do time de desenvolvimento evoluiu, verificando se as metas foram atingidas. 

Todos os integrantes do Time Scrum participam desta reunião, que pode durar horas, dependendo dos avanços realizados.

Retrospectiva da sprint

Já a retrospectiva serve mais como uma revisão no nível pessoal, em que cada membro avalia seu trabalho e o de cada colega.

A ideia é fazer uma crítica construtiva, de maneira que, nas próximas sprints, eventuais erros não sejam cometidos novamente.

Quais os benefícios da realização da Sprint?

A primeira vantagem de realizar Sprints com certeza é a maior organização que o método proporciona para o trabalho, já que parte do planejamento para desenhar as atividades necessárias.

A sua realização depende de reuniões periódicas de planejamento e revisão, incentivando assim uma melhoria geral na comunicação da empresa.

Alinhados às demandas do trabalho, os profissionais sentem-se mais engajados com o projeto por entenderem a importância de sua contribuição para o todo.

Por fim, toda essa organização e engajamento se traduzem em maior flexibilidade para a empresa, que consegue alterar suas prioridades para agir de acordo com as necessidades reais da clientela.

Quanto tempo dura uma Sprint?

A principal característica da Sprint é que ela já nasce com um prazo máximo para sua realização.

Lembre-se que o objetivo aqui é ser o mais ágil possível.

Por isso, os guias de Scrum recomendam um time-boxed (tempo máximo) de aproximadamente um mês.

Como medir seus resultados?

Todo bom planejamento parte da identificação da situação-problema e definição de índices que possam ser utilizados para medir o resultado das suas Sprints.

Existem dois momentos para mensuração de resultados dentro do desenvolvimento de um projeto: Review e Retrospective.

O primeiro surge durante o desenvolvimento, como forma de revisar o que foi feito até o momento, medir a eficácia e propor alterações para dali em diante.

A retrospectiva aparece depois da entrega final e serve para avaliar se o processo agregou valor ao produto e se a performance individual de cada profissional foi satisfatória.

Onde aprender mais sobre metodologias ágeis?

Sprint tem tudo a ver com Scrum, que por sua vez, tem uma relação direta com as metodologias ágeis e Lean.

Para ficar craque em desenvolver projetos conforme esse framework, é fundamental dominar as técnicas e ferramentas em Lean Six Sigma.

Sua melhor escolha para isso são os cursos presenciais e em regime EAD da Escola EDTI, que há mais de dez anos oferece formação única no mercado.

Conclusão

Dentro das estratégias Scrum, a Sprint pode ser uma ótima ferramenta para garantir bons resultados com agilidade.

Seu modelo de trabalho parte do planejamento e garante um processo claro e equilibrado, onde todos têm consciência de sua parte.

Além disso, o objetivo final de agregar valor ao produto está sempre presente por meio das contribuições do Product Owner.

Para saber mais sobre a Sprint e conhecer outras metodologias úteis, continue acompanhando nosso blog!

[523.251,659.255,783.991]
[523.251,659.255,783.991]
[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]