A importância da cultura do feedback para sua empresa

Os brasileiros não gostam de avaliar os funcionários, mas vale lembrar que a prática é importante para o sucesso dos negócios. Outra parte relacionada a cultura do país é de o gestor ocupar uma posição na qual ele apenas demanda, mas não é demandado pela sua equipe.

Esse comportamento gera uma linha de comunicação de mão única e a equipe fica receosa de solicitar ao gestor ajuda em determinadas atividades ou até de compartilhar aflições do dia a dia.

No post de hoje falaremos sobre a importância do feedback no crescimento dos empresários e na empresa como um todo.

eBook: Conheça o Seis Sigma e o que ele pode fazer!

O grande resultado do Seis Sigma é redução de custos. Sem comprovação dos resultados financeiros, um projeto Seis Sigma não é aprovado, o que gera um compromisso por parte dos participantes do projeto em entregar resultados e não somente ideias e diagnósticos. A maneira mais rápida é dar o primeiro passo e adquirir o conhecimento necessário para a implementação de melhorias. Participar de um curso para ganhar habilidade necessária na aplicação das ferramentas é essencial!





Capa eBook: Conheça o Seis Sigma e o que ele pode fazer!

O feedback se torna um ponto ainda mais sensível, principalmente quando é vindo do time para o gestor. O feedback, em si se trata de um comentário realizado para o colaborador, seja em relação a algum comportamento, material produzido ou ação realizada.

Algo que pode ser muito simples, mas dificilmente é implementado.

Existe a possibilidade de institucionalizar o feedback para ser apenas um momento de diálogo entre os envolvidos a cada seis meses, ou cada três meses ou a cada mês. Existem outras formas de realizar esse processo, mas vale ressaltar a importância da relação direta de um bom gestor com seus colaboradores.

Críticas construtivas

Note que, são criticas com uma finalidade construtiva. Apenas apontar ações da equipe sem trazer uma ou mais alternativas que podem ser trabalhadas é um ato desmotivador e falho.

Existe a possibilidade de alimentar o feedback entre pares, o que funciona da seguinte forma:

As pessoas que estão na mesma equipe devem conversar o tempo inteiro sobre como podem otimizar o seu trabalho e o papel de cada um no dia a dia, afinal todos estão juntos para alcançar o mesmo resultado.

Isso contribui também para a divergência de ideias e novos pontos de vista, visto que o feedback está intrinsecamente ligado à cultura e aos valores da empresa. Uma empresa com dez anos de existência, por exemplo, não pode querer incentivar a troca de ideias na rotina de um dia para o outro se nunca fez isso na sua história.

O feedback funciona muito bem se ele nasce com a empresa, se as pessoas costumam conversar abertamente umas com as outras, ele não é visto como algo ruim.

Uma cultura forte e um trabalho que destaca os valores da empresa no dia a dia. Tudo isso fez com que as relações entre as pessoas sempre fosse muito transparente. Além disso, compartilhar resultados com toda a empresa e explicamos em que momento o negócio está e os passos que queremos dar para o futuro.

Essa estrutura permite ter pessoas conscientes de que o feedback pode acontecer o tempo inteiro, com gestores e colaboradores que conversam sem medo.

Lembrando que não adianta falar que o trabalho não está bom. Por que não está bom? Que sugestão você me dá para que eu possa deixá-lo alinhado com a expectativa da empresa? Esse é o tipo de feedback ideal, aquele que acrescenta algo para quem está recebendo.

O feedback como parte do RH

Outros pontos importantes são as disposições e relações diretas dos lideres junto a sua equipe de colaboradores. Uma relação mais próxima deve ser configurada junto a cultura da empresa, contribuindo mais ainda para o feedback ser algo natural.

As conversas sobre as ações fluem naturalmente, mas na empresa contar com ações do RH que envolvem feedback e desenvolvimento profissional podem facilitar esse diálogo.

Uma sugestão é que a cada seis meses, os colaboradores façam auto-avaliação e avaliam seus pares e gestores. Os gestores também avaliam o time, além de si mesmos. Nessa parte o RH tem um papel fundamental, trabalhando com processos que levam os gestores a não terem percepções enviesadas dos colaboradores.

Por fim, são realizadas conversas com o objetivo de desenvolver o time. A proposta dessa avaliação é melhorar pontos de cada um da equipe que ajudarão eles mesmos e o negócio.

Com o RH é bastante presente se reportar diretamente ao CEO da empresa torna algo mais fluído, algo muito importante.

O RH é a força motriz por trás do que faz uma equipe vencedora, quando o RH tem como objetivo nos fazer ter certeza que colocamos em campo os melhores jogadores.

Cada área da empresa deve ter seu consultor de recursos humanos que colabora com o desenvolvimento de todo o time. Esse profissional auxilia no momento dessa avaliação, mas também está disponível para conversar com as pessoas quando elas sentirem necessidade.

É papel do profissional ter conversas mais institucionalizadas, mas, ao mesmo tempo, vivenciando a cultura de feedback informal, como mencionado anteriormente.

Esse e outros aspectos somados tornam chefes em líderes, além disso, saber técnicas de gestão aperfeiçoam profissionais de forma plena a exercer essa função.

Quer ser esse líder que se destaca no mercado de trabalho e impulsiona a empresa como um todo? Faça sua inscrição agora em nosso curso de Black Belt e seja o líder que o mercado espera.


Rating: 3.0/5. From 2 votes.
Please wait...
0 respostas

Deixe uma resposta

Quer participar da conversa?
Deixe sua opinião! :)

Deixe uma resposta