O que é VSM e como utilizar essa ferramenta

Um fluxo de valor, basicamente, é uma espécie de conjunto de passos ou processos (com valor agregado ou não) necessários para que se possa obter um determinado produto ou serviço. É nesse contexto que o VSM mostra sua relevância na cadeia logística.

Uma ferramenta capaz de mapear todos esses processos e mostrar, de maneira eficiente, o fluxo de informações ou materiais é altamente relevante para que as organizações otimizem sua tomada de decisões, reduzam os custos e aumentem a produtividade.

Portanto, no artigo de hoje, mostraremos tudo de que você precisa saber sobre VSM, como utilizar essa ferramenta na empresa e quais práticas evitar ao implementá-la nos processos operacionais. Continue a leitura do conteúdo para conferir!

E dada a relevância dessa ferramenta amanhã também postaremos sobre o assunto, dando continuidade a seu aprendizado. Então, vamos começar?

eBook – Lean Manufacturing, tudo que você precisa saber!

As metodologias Lean e Seis Sigma são bastante utilizadas pelas empresas no mercado atual. Porém, muitos profissionais ainda têm dúvidas sobre cada uma, como funcionam e o que difere as duas filosofias de gestão.





Capa eBook - Lean Manufacturing, tudo que você precisa saber!

O que é VSM?

VSM é a sigla para o termo Value Stream Mapping (Mapeamento do Fluxo de Valor) e consiste em uma ferramenta muito útil para fazer o mapeamento do fluxo de informações e materiais, além de, por meio de uma vasta gama de processos, obter dados sobre o tempo de execução associado (lead time).

No entanto, pode-se afirmar que o tempo de execução, por meio de uma determinada sequência de valores, é um resultado pertinente ao estoque, que, por sua vez, é um resultado decorrente de processos individuais e atributos de desempenho no fluxo de valores.

Por isso, para reduzir o tempo de execução das tarefas, é importante otimizar os processos operacionais.

Isso significa que é imprescindível entender como funciona o fluxo de valor por toda a cadeia logística, para que se possa propor aplicações de ferramentas do Lean Seis Sigma em âmbitos em que elas terão um impacto mais significativo.

Dessa forma, é possível proporcionar aos clientes as soluções de suas necessidades sem atrasos e desperdícios, melhorando os resultados de uma maneira geral e, é claro, o índice de satisfação do consumidor.

Considerando que é por meio dos processos individuais que a maior parte do mecanismo de melhoria contínua e adaptação ocorre, o VSM é um eficiente ponto de partida para, posteriormente, aplicar ferramentas (Lean Seis Sigma) no nível do processo (que é mais profundo que o fluxo de valores).

Como o VSM é aplicado em projetos Lean Seis Sigma?

Primeiramente, é importante ressaltar que, diferentemente de como muitos pensam, o VSM não é uma metodologia que é utilizada para simplesmente melhorar os processos, mas, sim, como um procedimento para auxiliar e garantir que os esforços de otimização:

  • ajustem-se, de processo para processo, desenvolvendo um fluxo de valor constante e fluente;
  • compatibilizem-se com os objetivos da empresa;
  • atinjam o índice de satisfação que os clientes esperam.

A aplicação do VSM em projetos Lean Seis Sigma ocorre com o acompanhamento da trajetória dos processos de produção de um determinado produto, desde as etapas iniciais até o fim, fazendo uma representação gráfica de todo o fluxo de informações e materiais.

Depois, é preciso identificar os pontos em que há desperdício e desenhar um mapa com projeções a respeito de como os valores realmente devem fluir. Ou seja, “previsões” do futuro da organização em um cenário ideal.

Independentemente de as ações agregarem ou não algum valor, é necessário que sejam mapeadas e, para isso, você deverá:

  • decidir qual fluxo mapear;
  • entender o funcionamento do fluxo de valor;
  • desenhar a forma como o valor deverá fluir;
  • projetar e implementar o estado futuro.

Propósito e benefícios VSM

Como afirmamos até agora, o mapeamento de fluxo de valor é um método poderoso para identificar desperdícios em qualquer processo, mas não apenas na manufatura.

É possível detalhar cada etapa significativa do processo e avaliar como está agregando valor (ou não) do ponto de vista do cliente.

Este foco no valor mantém a análise orientada para o que realmente importa, permitindo que a empresa possa competir de forma mais eficaz no mercado.

Diante de qualquer ameaça competitiva, profissionais enxuta podem fazer bom uso do VSM para criar o maior valor para o cliente da maneira mais eficiente possível.

Ele pode, e deve, ser usado constantemente para a melhoria contínua, implementando etapas de processos cada vez melhores. VSM permite ver não somente os desperdícios, mas a fonte ou causa dos mesmos.

O mapeamento de fluxo de valor, assim como outras boas ferramentas de visualização, serve como uma ferramenta eficaz para a comunicação, colaboração e até mesmo mudança de cultura.

Os tomadores de decisão podem visualizar claramente o estado atual do processo e onde os desperdícios estão ocorrendo.

Eles podem identificar problemas como atrasos de processo, o tempo de inatividade excessivo, dificuldades e problemas de inventário.

Eliminar o desperdício é o caminho para criar valor, tal como um preço mais baixo e/ou um produto ou serviço de melhor qualidade.

O valor é algo que um cliente está disposto a pagar. Uma ressalva importante sobre esse assunto é de que não podemos falar sobre desperdício sem falar antes sobre valor, quanto a isso, é necessário atenção, pois na maioria das vezes a palavra “valor” não é interpretada corretamente.

Quais defasagens o VSM pode evitar?

O VSM pode capturar desperdícios em variados departamentos da empresa, não apenas otimizando o uso dos recursos financeiros e ativos do negócio, como também gerando ganhos exponenciais de produtividade nos processos operacionais.

Confira agora os gargalos de produção, prejuízos e procedimentos defasados que o VSM pode identificar para trazer melhorias às organizações.

Estoque:

  • redução do longo tempo de espera de setup;
  • identificação de falhas no planejamento;
  • solução de problemas de manutenção;
  • eliminação das pilhas de papéis e documentos impressos;
  • melhor definição das prioridades;
  • agilidade e assertividade na aquisição de produtos.

Excesso de produção:

  • produção antecipada;
  • produção mais ágil;
  • produção em maior quantidade;
  • adiantamento de trabalhos;
  • fazer apenas o que foi requisitado pela demanda, evitando gerar desperdícios.

Tempo de espera

Reduz o tempo de espera de autorizações e liberações por:

  • equipamentos;
  • materiais;
  • assinaturas;
  • ligações;
  • documentos.

Descarte de processos desnecessários:

  • retrabalho;
  • checagem das atividades de outros colaboradores;
  • inspeção;
  • obtenção de inúmeras assinaturas;
  • revisões excessivas.

Movimentação:

  • posicionamento de ferramentas e materiais;
  • problemas de layout;
  • falta de análise de movimentos;
  • falta de 5S;
  • layout da estação de trabalho.

Falhas e defeitos:

  • dificuldade de padronização dos processos de trabalho;
  • defasagem nos treinamentos de equipe;
  • ausência de métricas e KPIs para mensurar o desempenho;
  • falta de Poka-yokes.

Transporte:

  • peças encaminhadas a grandes distâncias dentro das estruturas internas das fábricas;
  • documentos transportados para diversos departamentos da empresa.

Quais efeitos negativos evitar na aplicação do VSM?

Ao confiar no mapeamento de fluxo de valores, apenas como uma metodologia para otimizar os processos, existe a possibilidade de alguns efeitos negativos surgirem, como:

  • ainda que sejam úteis e altamente necessários, os mapas de fluxo de valor permanecem se concentrando mais na superfície e, dessa forma, não podem ampliar, de maneira profunda, a perspectiva da real situação dos processos da empresa;
  • o fato de o mapa de fluxo de valor revelar uma vasta gama de melhorias em potencial nos mais variados departamentos da empresa pode dificultar a tarefa de saber o que deve ser feito primeiro, em vez de concentrar em pontos específicos no nível do processo, buscando focar na capacidade de melhoria.

Para manter a eficiência do mapeamento de fluxo de valores, é preciso preservar uma visão sistemática da operação como um todo. Ou seja, quando for preciso aplicar algum tipo de otimização em um processo específico, é melhor realizá-la por meio de um modelo de melhoria.

Quando utilizada adequadamente, a ferramenta VSM é capaz de trazer melhorias para a empresa de uma forma muito mais eficiente e ágil. Entretanto, deve-se evitar utilizar o VSM como um simples método de melhoria de processos.

Vale ressaltar, por fim, que nem sempre é possível elaborar um VSM. Muitas vezes, é necessário utilizar um fluxograma simples para obter informações sobre pontos que podem ser melhorados na organização.

O artigo sobre o que é VSM e as melhores práticas para aplicar essa ferramenta na empresa foi útil para você? Então aproveite para baixar gratuitamente o nosso e-book sobre a Gestão por Resultados e entenda como alcançar metas organizacionais! Não perca!


0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.