Qual a importância da cadeia de suprimentos para o sucesso de um negócio?

Num mundo cada vez mais globalizado, a cadeia de suprimentos ganha grande relevância para o êxito das empresas. Com a necessidade de oferecer produtos e serviços no local e no tempo demandados pelos clientes, as organizações precisam se estruturar de modo eficiente, para que vendas não deixem de ser feitas.

Se isso não ocorre, o empreendimento pode perder o timing do mercado. Como consequência, o ritmo de produção tende a ficar desregulado, seja além ou aquém do que foi previamente planejado. Diante desse cenário, a empresa precisa atuar de forma proativa para a solução da variabilidade nos processos internos, por exemplo, por meio do Lean Six-Sigma.

Confira, na sequência, alguns fatores que devem estar presentes numa cadeia de suprimentos eficiente:

Visão sistêmica

A cadeia de suprimentos de uma empresa constitui um bom exemplo do que seja um sistema, afinal, existem entrada, processamento e saída de materiais.

Para que o negócio atenda às necessidades do cliente e, ao mesmo tempo, seja eficiente, é preciso que as diversas etapas do processo produtivo funcionem de maneira encadeada, como se fossem “engrenagens” de uma máquina.

Se a empresa quiser seguir os princípios do Lean Manufacturing, por exemplo, é imprescindível assegurar que não haverá tempo de espera além da conta entre uma etapa e outra da produção.

Entretanto, para colocar essa metodologia em prática, o negócio tem que se preparar adequadamente com o intuito de evitar falhas na integração das atividades.

Nesse sentido, ele precisa contar com a parceria de alguns participantes da cadeia de suprimentos, como os fornecedores, para que o fluxo de produção caminhe sem sobressaltos.

Não é à toa que, hoje em dia, muitas organizações optam pela chamada estrutura em rede, na qual há a inter-relação de diversas empresas para alcançar determinado fim.

Além da especialização, a vantagem dessa forma de se integrar negócios é a flexibilidade, afinal, não há a necessidade de se mobilizar capital para atividades realizadas apenas conforme a demanda.

Ainda assim, a empresa não pode se esquecer da visão sistêmica da cadeia de suprimentos, afinal, nem sempre ela poderá controlar todos os fluxos, principalmente, nos casos em que depender de agentes externos.

No processo produtivo, como algumas saídas são entradas para outras atividades, é essencial monitorar todo o ciclo de fabricação, para evitar interrupções indesejadas.

Geração de valor

Uma empresa precisa de insumos, para transformá-los e, assim, gerar um produto final. A cadeia de suprimentos serve justamente para que a organização possa ser “alimentada” de modo constante e, dessa forma, tenha condições de cumprir a própria missão.

Na cadeia, via de regra, estão presentes: fornecedores, indústrias, distribuidores, varejistas e consumidores finais. Ao longo desse caminho, é fundamental que a empresa consiga gerar valor no decorrer das etapas do processo produtivo, para oferecer mercadorias de qualidade para os clientes.

E como conseguir tal feito? Em muitos casos, a organização precisa desenvolver iniciativas voltadas para a melhoria contínua, por exemplo, por meio de técnicas e ferramentas dominadas por quem tem a certificação Green Belt.

Nesse trabalho, é necessário avaliar todos os agentes e as etapas da cadeia de suprimentos, com o objetivo de assegurar padrões de qualidade e integração entre as atividades.

Afinal, de que adianta fabricar uma ótima mercadoria, se ela demora a chegar para o cliente, não é mesmo?

No curso Green Belt da Escola EDTI, o aluno aprende a realizar uma análise de valor dos produtos ou serviços de uma empresa.

A propósito, tal tarefa parte de alguns questionamentos, como: o valor é percebido pelo cliente? ele reflete no preço da mercadoria? etc.

Eliminação de desperdícios

No contexto do Sistema de Produção Toyota (TPS, na sigla em inglês), é comum se ver uma lista de sete desperdícios que precisam ser evitados pelas empresas, são eles: espera, movimentação, excesso de processamento, superprodução, defeito, estoque e transporte.

Como você pode perceber, todos eles estão ligados à cadeia de suprimentos. Se ocorrem em maior ou menor grau, tais desperdícios diminuem a eficiência da empresa e, não raramente, também afetam a eficácia e a qualidade.

Se a organização não mantém uma Gestão da Cadeia de Suprimentos (SCM, do inglês Supply Chain Management) adequada, a tendência é de que as “engrenagens” do processo produtivo não funcionem em harmonia. Com isso, o resultado final do negócio fica comprometido.

Ao contrário, quando a gestão da cadeia é efetiva, a organização consegue reduzir o chamado “lead time”, que é o tempo total de produção de determinado item, o qual inclui tantos os períodos de etapas de fabricação quanto os de espera. Ao reduzir os desperdícios, a empresa não só diminui o “lead time” como também melhora o próprio fluxo de caixa.

Criação de vantagens competitivas

Alcançar um patamar de elevada excelência, como o almejado nível Seis Sigma, em que há somente 3,4 defeitos a cada um milhão de itens, não é uma tarefa simples e rápida.

No entanto, a jornada em busca desse topo não deve ser deixada de lado pela empresa devido à dificuldade do percurso.

Se por um lado a trajetória para aliar produtividade e qualidade, por meio do Lean Six-Sigma, requer da empresa investimento financeiro e profissionais capacitados, por outro, o alcance da excelência impacta na satisfação dos clientes e, consequentemente, no aumento de vendas.

Uma vez que a organização reduz desperdícios, cria e executa processos eficientes e faz uma triagem do que realmente agrega valor aos produtos, ela passa a ostentar relevantes vantagens competitivas para o negócio.

Como chegar a esse estágio não é uma tarefa tão simples, já que requer métodos científicos para coleta e análise de dados, além de validação de processos, torna-se muito mais difícil a concorrência copiar a estratégia da empresa que atuou de forma proativa para conquistar esse tipo de diferenciação.

Foi interessante saber o porquê da importância da cadeia de suprimentos para o sucesso de uma empresa? Que tal, então, aprender técnicas e ferramentas para colocar em prática na melhoria de processos produtivos?

Com a Certificação Green Belt, da EDTI, você se torna um profissional capacitado para gerar valor numa cadeia de suprimentos, seja qual for o setor, visto que a metodologia ensinada é bastante abrangente.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *