Roteiros para melhorias

Roteiros para melhoria do Six Sigma: DMAIC

 

DMAIC – Um poderoso roteiro para projetos de melhoria

 

                Quando falamos em melhorar um processo ou produto, falamos em mudar a maneira pela qual as coisas são feitas. Todos sabem que não há melhorias se não houverem mudanças. O que poucos sabem é que nem todas as mudanças resultarão em melhoria. Para realizarmos melhorias precisamos de método e, para nos guiar pelo método não há nada melhor que um roteiro. É ele que irá para nos manter no rumo certo durante o processo de mudança. Os roteiros servem para nos dizer como devemos conduzir nossos projetos.

                Diversos roteiros de melhoria foram propostos ao longo dos anos. O roteiro DMAIC é o que visualizamos como melhor roteiro para os projetos de melhoria. DMAIC é um anagrama de 5 palavras que representam cinco etapas pelas quais devemos passar ao longo de um projeto. Se estas etapas forem bem estruturadas, há uma grande probabilidade que as mudanças resultarão em melhorias.

                 A letra “D” vem da palavra “DEFINIR”. O primeiro passo para começarmos um bom projeto é Definir o que queremos com ele. O que estamos querendo melhorar? Como saberemos que uma mudança é uma melhoria? Se bem respondidas, estas perguntas irão aumentar as chances de se obter bons resultados.

               “MEDIR”, referente à letra “M”, é a fase onde iremos medir como o processo está atualmente. Precisamos conhecer como é o processo e qual é o seu desempenho atual, pois só assim conseguiremos saber nos encontramos e quais resultados são necessários para afirmarmos que a mudança foi uma melhoria.

                Após a fase medir, precisamos “ANALISAR”. O “MEDIR” é uma fase muito importante de nosso projeto, porém precisamos analisar os dados medidos de forma que nos tragam conhecimento do seu comportamento atual. A fase “ANALISAR” bem feita irá nos conduzir a técnicas que nos permitirão criticar o processo atual e sugerir mudanças que resultarão em melhorias.

                Na fase “IMPLEMENTAR”, da letra “I”, iremos testar as mudanças sugeridas em pequena escala, e, caso os resultados obtidos sejam positivos, iremos implementar a mudança no processo, conseguindo alcançar a melhoria desejada.

                Para finalizar, temos a letra “C”, de “CONTROLAR”. Depois de implementada a mudança, precisamos controla-la para garantirmos que o resultado será duradouro. Está a fase mais perigosa, pois as pessoas, se não auditadas, tendem a voltar ao jeito antigo de se fazer as coisas.  Uma melhoria só é uma melhoria quando seus resultados são perenes. 

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.