Guia Prático do que é e Como Fazer uma Prova de Conceito(POC)

Você sabe o que é uma Prova de Conceito (PoC) e como ela pode facilitar e assegurar os resultados do seu trabalho?

Neste artigo, reunimos as informações mais importantes sobre essa ferramenta em forma de um guia prático, explicando o que é uma PoC e como aplicar dentro do seu ambiente profissional.

Ao final, você vai ver que ao incorporar a ferramenta pode gerar diversos benefícios, como a maior assertividade nas decisões e a maior segurança para projetar seus resultados, entre outros.

Chamamos de Prova de Conceito (PoC) as simulações realizadas antes do início da produção, de modo a garantir que o que foi pensado durante a etapa de planejamento e criação se mostre real quando transferido para o mundo material.

Esses testes laboratoriais são a primeira etapa para tirar o seu projeto do mundo das ideias, verificando como ele reage e se adapta ao consumo.

Ideal para quem deseja manter-se inteirado sobre as tendências de mercado, a PoC ajuda o profissional a analisar, de maneira rápida e confiável, as principais hipóteses sobre novos materiais ou técnicas de produção.

Ainda, é possível testar um conceito desenvolvido pela criação, de modo a perceber eventuais falhas estruturais ou de execução, amenizando-as antes de chegar o grande dia do lançamento para o público.

Se você se interessou nas informações que apresentamos até agora, não pode deixar de conferir o restante deste guia para saber todos os benefícios da técnica e aprender a criar sua própria Prova de Conceito a partir de um exemplo em diversos segmentos de trabalho.

Boa leitura!

O que é PoC ou Prova de Conceito?

O que é PoC ou Prova de Conceito?

A Prova de Conceito – também conhecida como PoC ou Proof of Concept, no inglês – é uma ferramenta utilizada durante a fase laboratorial, que antecede qualquer produção de mercadorias ou serviços.

Esse é o momento em que experimentos são feitos de modo a garantir a viabilidade econômica daquela nova ideia, assim como confirmar a sua utilidade e relevância para o público-alvo.

A origem do termo é um tanto quanto turva, já que ele é fruto de uma construção coletiva e gradual que aconteceu durante a segunda metade do século XIX.

Segundo o Dicionário Oxford, o conceito teria sido utilizado pela primeira vez em 1967 nas páginas do jornal diário Los Angeles Times.

Já uma pesquisa em arquivos do governo americano sugere que o termo era comumente empregado menos de uma década depois, com estudos oficiais levando em conta o uso de Provas de Conceito já a partir de 1973.

Porém, a utilização do conceito como conhecemos hoje, associado à produção de protótipos e realização de testes preliminares, teria vindo anos depois.

Em sua coluna, Carsten’s Corner, o pesquisador e consultor Bruce Carsten defendeu que o termo PoC teria sido cunhado por ele próprio, cinco anos antes.

O artigo foi publicado na 38º edição da revista científica Power Conversion & Intelligent Motion em novembro de 1989.

Naquele momento, Carsten traçou a diferença fundamental entre uma Prova de Conceito e um protótipo.

Ele afirmou que, diferente do protótipo, a PoC não visa entregar uma versão inicial do produto, mas apenas a testar a viabilidade de uma nova técnica ou sistema que foi sugerido pelo planejamento.

Mais recentemente, seguiram as contribuições sobre o tema.

Em “O uso de Provas de Conceito como ferramenta para gestão de aprendizado de arquitetura de software”, trabalho publicado em 2006 na 3º Conferência Internacional de Sistemas de Informação e Gestão de Tecnologia, os autores concordam com a afirmação de Carsten de que a PoC funciona muito mais como uma ferramenta ou técnica de gestão, do que como um protótipo em si.

Por que precisamos criar uma Prova de Conceito (PoC)?

Por que precisamos criar uma Prova de Conceito (PoC)?

Tudo parte da ideia.

Não importa qual seja o segmento da empresa, seu modelo de negócios ou público-alvo: a inovação chega primeiro de maneira conceitual.

E para que esse conceito possa sair do papel, é essencial manter um ambiente que é propício à experimentação e aos testes.

É justamente nesse momento que a Prova de Conceito entra em ação.

Isso porque a PoC propõe um método científico para fazer os seus testes laboratoriais, isolando as variáveis para testar cada elemento específico do que está sendo proposto.

Ao final, o gestor tem resultados documentados que funcionam como evidência da viabilidade de produzir conforme proposto pelas áreas de planejamento e criação.

A ferramenta é inovadora porque garante menor exposição para a empresa, que não precisa mais esperar o produto ou serviço chegar até o consumidor para colher feedbacks – que são valiosos, mas, muitas vezes, podem ser negativos e acabar manchando a reputação da marca.

Assim, com um pequeno investimento de tempo e insumos, é possível demonstrar com dados que aquela ideia não só funciona, mas também entender exatamente como isso acontece na prática.

Além disso, é possível repetir a criação de uma PoC diversas vezes, testando diferentes ideias até chegar àquela que melhor combina com as necessidades da produção e da clientela.

Não existe um número exato de testes recomendados durante o desenvolvimento de um novo produto – a quantidade vai variar de acordo com a complexidade do projeto ou das ideias que se pretende testar.

Outra questão importante a se considerar antes de criar suas provas de conceito é se o momento é propício para tanto.

Como se trata de uma ferramenta de teste, ela obviamente precisa ser aplicada em algum momento anterior ao lançamento do produto ou serviço para o mercado.

Mas, ainda assim, não se pode pecar pelo excesso e propor um teste com uma antecedência grande demais.

A medida de tempo, portanto, é subjetiva.

O mais importante é agendar sua PoC para um momento em que já se tenha alguma base para avaliar os resultados, mas que, apesar disso, permita que haja tempo hábil para aplicar eventuais mudanças que se provem necessárias com os testes.

Quais são os Benefícios das PoCs?

O primeiro – e talvez mais óbvio – benefício de uma Prova de Conceito é que ela é uma ferramenta que ajuda a provar as ideias propostas de forma objetiva.

Assim, o gestor não conta mais com percepções abstratas e achismos, podendo se guiar por dados concretos que foram verificados em condições reais de produção.

Outro ponto positivo para a PoC é reduzir os custos e os riscos para uma empresa.

Com ela, é possível testar suas hipóteses antes de se comprometer com a produção de grandes lotes, evitando eventual desperdício com falhas e erros que resultam em recalls para a empresa e uma má experiência para o consumidor.

Isso tudo caminha no sentido de ajudar o gestor para que ele consiga tomar decisões mais seguras no seu dia a dia.

Até porque, como dissemos, ele agora tem testes com dados concretos para se guiar e escolher o caminho mais vantajoso para a empresa, seus funcionários e sua clientela.

Uma Prova de Conceito bem feita é, ainda, capaz de levantar a moral de todos profissionais envolvidos.

Quem é da área criativa e que deu a ideia, sente-se valorizado ao ver sua sugestão sendo considerada pela empresa.

E, na outra ponta, quem trabalha na execução, tem a oportunidade de dar feedbacks sobre a viabilidade daquela ideia antes de precisar se comprometer com uma produção em larga escala.

Por fim, mas não menos importante, a empresa que utiliza PoCs em seu cotidiano observa um crescimento considerável na satisfação do cliente.

Isso porque seu produto ou serviço são otimizados para o consumo.

Afinal, antes de chegar até o mercado, ele passa por diversos testes para garantir sua viabilidade, qualidade e eficácia.

Como Criar uma Prova de Conceito

Como Criar uma Prova de Conceito

Já falamos bastante sobre as funções e os benefícios de aplicar uma Prova de Conceito nos processos da sua empresa.

Para quem ficou curioso e deseja aprender como criar a sua própria PoC, separamos os cinco passos principais que você deve considerar durante o uso da ferramenta.

  1. Estabeleça os objetivos

Antes de iniciar os trabalhos, o gestor do projeto deve estabelecer quais são os objetivos daquele teste que está sendo proposto.

Essa justificativa precisa estar documentada de maneira clara para garantir que a última etapa, da verificação, consiga analisar o resultado da Prova de Conceito.

  1. Envolva o time no processo

Quando falamos que é responsabilidade do líder tomar as decisões e definir os objetivos, isso não quer dizer que ele deve fazê-lo sozinho e de maneira autoritária.

Hoje em dia, novas escolas de liderança falam sobre a importância de o gestor manter uma postura democrática, chamando todos os membros da equipe para opinarem e contribuírem com a construção do trabalho.

Inclusive, um brainstorming pode ser uma boa ferramenta para isso.

  1. Defina as responsabilidades

Depois de ter entendido o que se quer testar, é preciso estabelecer qual o papel de cada profissional para que o resultado saia conforme o esperado.

Fluxogramas podem ser usados aqui para registrar o caminho que a produção deve seguir e apontar quem será responsável por cada parte do trabalho.

  1. Esclareça as dúvidas

De nada adianta criar um guia de como o trabalho deve seguir e nunca mais se comunicar com o time para saber sobre o andamento do projeto.

A eficácia da sua PoC vai depender do quão bem alinhado está o gestor com os demais profissionais envolvidos na produção, mantendo uma comunicação aberta e assertiva.

  1. Analise os resultados

Finalmente, chegamos à parte mais importante da Prova de Conceito, que inclui analisar o resultado final do seu teste.

Nesse momento, é importante revisitar os objetivos registrados no começo do projeto para entender se a hipótese se provou verdadeira, falsa ou se o se o resultado foi inconclusivo.

Exemplos de Uso de PoCs na prática

Exemplos de Uso de PoCs na prática

Como você pôde perceber, a Prova de Conceito é uma ferramenta bastante útil para diminuir gastos e riscos para uma empresa.

Por meio de testes isolados e aplicados em pequena escala, é possível avaliar a viabilidade de diversas variáveis, até chegar à resposta sobre o melhor caminho a seguir.

Bastante adaptável, a Prova de Conceito tem sido usada em empresas dos mais diversos segmentos.

Abaixo, trazemos exemplos para você entender como funciona o uso de PoCs na prática.

Exemplo de PoC em Segurança da Informação

Já há alguns anos, o surgimento de novas tecnologias se propõe a solucionar problemas que as pessoas e empresas nem sequer sabiam que tinham, mas que, de repente, se tornaram urgentes.

Estamos cada vez mais conectados, usando a internet para fazer compras ou transações bancárias-  e um pequeno erro nesse contexto pode representar um prejuízo dos grandes.

Por isso, empresas de tecnologia têm se esforçado para criar as melhores maneiras de proteger os dados dos usuários, usando a Prova de Conceito para testar suas hipóteses de maneira segura e eficiente.

Exemplo de PoC em design de produtos

Muitas vezes, a área de criação tem ideias geniais e que, no papel, parecem bastante promissoras para a empresa.

Ocorre que muitas dessas ideias, quando não testadas antes de irem para a produção, correm um risco grande de não se adaptarem bem em um modelo de produção massificada ou não se comportarem como o esperado durante o consumo.

Por isso, para o design de produtos, é importantíssimo criar Provas de Conceito como forma de verificar que o desenho daquela mercadoria vai se adaptar bem à produção e também às condições de uso.

Exemplo de PoC no desenvolvimento de softwares

Assim como na área da Segurança da Informação, o desenvolvimento de softwares é bastante afetado pelas novas formas como as pessoas têm interagido com a internet nos últimos anos.

Conforme novos serviços como bancos e transporte vão se digitalizando e se transformando em aplicativos, é preciso encontrar meios de garantir que tudo vai funcionar como esperado nas mãos do cliente.

Para o segmento, criar uma PoC nada mais é do que manter um laboratório experimental para orientar sua tomada de decisão e, assim, diminuir os riscos e gastos.

Exemplo de PoC na pesquisa acadêmica

Dentro da pesquisa acadêmica, as Provas de Conceito não são nenhuma novidade.

Na verdade, em muitas áreas, é praxe e pré-requisito apresentar testes laboratoriais que suplantem a hipótese que se está querendo provar.

Seja para verificar a eficácia de uma nova droga no combate ao câncer ou no teste de resistência de um novo material para cintos de segurança: uma PoC estará presente sempre que houver inovação.

Exemplo de PoC no marketing

O marketing também é outra área bastante afeita aos testes como forma de verificar, com pouco risco, a eficácia de suas estratégias de persuasão.

Assim, é possível criar uma Prova de Conceito para analisar se o seu anúncio se destaca em relação ao da concorrência ou, ainda, entender qual é o melhor horário para a sua empresa postar conteúdos nas redes sociais.

Quem quiser ir ainda mais longe, pode reunir uma amostra de clientes para medir sua satisfação ou acompanhar os níveis de reconhecimento de marca.

Exemplo de PoC na gestão de pessoas

Como dissemos, uma das grandes vantagens de utilizar a Prova de Conceito em sua gestão é que ela é uma ferramenta que expande consideravelmente os níveis de participação dentro de uma empresa.

E uma gestão que é mais participativa por natureza demonstra que valoriza as contribuições e os esforços de sua equipe.

Ao ver que a sua ideia está sendo testada ou que seu feedback é levado em consideração na hora de avaliar os resultados, o funcionário acaba se motivando e, assim, o uso da PoC se transforma também em estratégia para melhorar a gestão de pessoal.

Exemplo de PoC na gestão da Qualidade Total

De nada adianta um produto se adaptar bem ao modelo de produção da empresa, sendo capaz de ser manufaturado de maneira rápida e barata se, ao chegar às mãos do consumidor, ele não atende suas necessidades reais.

E é justamente esse o ponto de encontro da Prova de Conceito com a Qualidade Total (QT).

A QT envolve um entendimento de qualidade mais amplo, que tem por objetivo atingir a satisfação do cliente, mas que, ao mesmo tempo, entende que a experiência do trabalhador e o modelo de produção da empresa se refletem diretamente na percepção que o consumidor terá do produto.

Conclusão

Uma poderosa ferramenta de gestão empresarial, a Prova de Conceito permite criar testes isolados para otimizar cada vez mais sua produção, garantindo uma mercadoria barata e de qualidade.

Ainda que não seja exatamente nova, a técnica segue sendo utilizada até hoje de maneira bastante satisfatória e em diversos segmentos.

Seus benefícios incluem uma economia pelo corte dos desperdícios, mas não se resumem a isso.

Quem aposta na criação de uma PoC passa a ter mais segurança em sua tomada de decisão, já que tem dados para avaliar o cenário antes de bater o martelo.

E a boa notícia é que a ferramenta é simples o suficiente para ser replicada diversas vezes até que a melhor solução surja.

Agora que você já entende tudo sobre o assunto, pode criar sua PoC e explorar os benefícios.

Se restou alguma dúvida, deixe seu comentário abaixo.

Aproveite para visitar o site da Escola EDTI, conhecer nossos cursos e, se desejar, faça contato conosco.