Padronização

Padronização: como realizar e aumentar a produtividade na empresa?

publicado em | atualizado em

A padronização diz respeito à uniformização de todas as atividades e ferramentas envolvidas em uma produção.

Ela é responsável por indicar as características físicas do produto, os fluxos de trabalho necessários assim como as ferramentas de qualidade que devem ser empregadas em sua produção.

Continue lendo para saber como padronizar o trabalho para aumentar a produtividade na empresa.

O que é a Padronização?

O que é a Padronização?

Dentro de uma linha de produção, padronizar significa criar e aplicar moldes de trabalho que são ideais para garantir os maiores níveis de produtividade.

Assim, a padronização engloba os aspectos técnicos da mercadoria – dimensões, cores e modelo – assim como também a descrição dos processos necessários para atingir esse resultado ideal.

O controle de qualidade também faz parte da padronização, sendo preciso especificar as ferramentas utilizadas para garantir o resultado almejado.

Na hora de padronizar, é importante considerar todos os elementos envolvidos: aspectos ambientais, mercadológicos e o bem-estar dos colaboradores da empresa.

Quais as vantagens da Padronização?

Quais as vantagens da Padronização?

A primeira vantagem de investir em padronização é que durante o processo será possível conhecer melhor os fluxos de trabalho da sua empresa – isso é essencial para que você consiga identificar problemas e otimizar cenários.

A partir desse conhecimento, o gestor pode trabalhar para evitar as variações e construir padrões de acordo com os caminhos que entregam os melhores resultados.

Como consequência, alcança-se um maior cuidado com o padrão de qualidade e os níveis de produtividade dentro da empresa.

A padronização também age no sentido de construir processos mais seguros para os colaboradores e mais baratos para a empresa.

Como realizar uma boa Padronização de Processos?

O primeiro passo para realizar uma boa padronização é entender qual é seu objetivo com o processo todo: sua prioridade é eliminar os erros, reduzir os custos ou abaixar o Lead Time?

Em seguida, pesquise bem para entender como o cenário atual se dispõe e quais são suas fortalezas e fraquezas hoje.

Nesse momento, é interessante envolver o máximo número de pessoas no processo para que seja possível visualizar o problema por ângulos diversos.

A construção dos processos padronizados deve registrada de maneira simples e clara para garantir que todos entendam o que foi descrito e consigam aplicar no dia a dia.

Por fim, a intenção é proporcionar um ambiente de trabalho organizado em padrões, mas que está sempre aberto para a melhoria contínua.

Ferramentas de padronização

Uma das formas que a padronização tem para melhorar os resultados de produtividade é indicando a adoção de ferramentas da qualidade.

São muitas as alternativas que o gestor tem para escolher o seu caminho – confira abaixo as principais técnicas.

5S

O 5S é uma ferramenta da qualidade que reúne em sua sigla as cinco etapas consecutivas para organização de equipes e ambientes de trabalho.

Desenvolvido por Sakichi Toyoda, da fabricante de automóveis Toyota, esse foi um dos conceitos que inspirou o tão conhecido Toyotismo – metodologia que foca em reduzir os desperdícios e os tempos de espera.

Todas iniciadas com a letra “S”, as fases do método são denominadas Seiri (senso de utilização e descarte), Seiton (senso de ordenação e organização), Seiso (senso de limpeza), Seiketsu (senso de normatização) e Shitsuke (senso de autodisciplina).

PDCA

Apresentado por Shewhart, o método PDCA também é uma sigla que engloba Plan, Do, Check e Act – planejar, fazer, checar e agir, em português.

A ferramenta é utilizada por gestores para lidar com tarefas simples e complexas, já que propõe um ciclo que permite revisitar o problema quantas vezes for preciso até atingir o resultado ideal.

Assim, ela garante a qualidade de suas entregas enquanto promove uma melhoria contínua dos processos.

5W2H

Representando outra sigla, 5W2H fala sobre às perguntas – em inglês – que devem ser feitas durante a aplicação do método.

Cinco delas começam com a letra W (What, Who, When, Where e Why) e duas com a letra H (How e How much).

Ao fim, o gestor que aplica a metodologia tem um check-list completo onde consta o que deve ser feito, qual a justificativa da tarefa, o local indicado para realização, o prazo de entrega, assim como o orçamento, o método e o nome do profissional responsável.

Playbook de Processos

O Playbook de Processos nada mais é do que um manual construído para guiar o andamento das atividades durante toda a linha de produção.

Desenvolvido internamente, esse documento tem a função essencial de descrever o fluxo do trabalho dentro da empresa para que não haja enganos.

A construção de um Playbook de Processos é abordada em nosso curso EAD, disponível pelo plano de assinatura EDTI GO Black.

Conclusão

Certamente, a padronização de processos é o primeiro passo para quem quer otimizar seus fluxos de trabalho para garantir maior produtividade e qualidade nas entregas.

Ao estabelecer padrões, a empresa evita desperdícios e erros que vêm pela variação aleatória.

Com o uso das ferramentas de controle, a padronização também ajuda a manter um alto padrão de qualidade nas entregas.

Continue acompanhando nosso blog para saber mais sobre os melhores caminhos para aumentar sua produtividade!

[index]
[index]
[523.251,659.255,783.991]
[523.251,659.255,783.991]
[523.251,659.255,783.991]
[523.251,659.255,783.991]
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d<c.length;d++){var e=c[d]
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d<c.length;d++){var e=c[d]