TODOS OS CURSOS DA EDTI POR R$ 169,90/MÊS.
INCLUINDO GREEN E BLACK BELT!!
Comece agora e cancele quando quiser.
sistema toyota de produção

Tudo sobre o Sistema Toyota de Produção

por Marcelo Petenate
publicado em | atualizado em

O Sistema Toyota de Produção – ou Toyotismo – surgiu no Japão em uma época em que o país lutava para se reconstruir depois de quase uma década de conflitos armados.

O período pós-Segunda Guerra foi de intensas transformações pelo mundo todo e nos mais diversos segmentos da economia.

Na época, o grande desafio da indústria era consolidar técnicas e métodos capazes de alavancar os resultados de produtividade em um contexto de recursos extremamente escassos.

De lá para cá, muita coisa mudou e o Toyotismo chega ao século XXI como uma metodologia bastante popular e largamente utilizada – continue lendo para saber mais.

O que é o Sistema Toyota de Produção?

O que é o Sistema Toyota de Produção?

O Sistema Toyota é uma abordagem para a produção que, desde o início, foi utilizada com foco em aumentar a produtividade geral de uma empresa com a organização dos processos e redução dos desperdícios.

Por meio de seus esforços, a metodologia é eficaz na tarefa de aumentar o valor gerado para o cliente final ao mesmo tempo em que reduz significativamente os prazos de entrega.

Essa aceleração, porém, não é feita em detrimento do bem-estar dos trabalhadores ou uma sobrecarga de atividades.

Muito pelo contrário, o Sistema Toyota acaba por facilitar o trabalho cotidiano, pois rearranja e alinha as atividades do fluxo de modo que os ganhos em produtividade vêm do corte dos processos desnecessários.

Como surgiu o Sistema Toyota de Produção?

Como surgiu o Sistema Toyota de Produção?

Nas décadas que se sucedeu ao fim da guerra, o Japão buscava formas de reerguer sua indústria e alavancar a economia nacional que ficou destruída com o conflito.

Nesse contexto, o governo passou a incentivar todas as iniciativas de estudo da qualidade e melhoria da produtividade.

Foi então que o Toyotismo surgiu na Toyota Motor Corporation e lá se provou uma ferramenta extremamente valiosa para gestores cuidarem dos resultados.

Quem criou o Sistema Toyota de Produção

A autoria do Sistema Toyota de Produção é creditada a Taiichi Ohno, chefe de produção da Toyota no período imediatamente posterior à Segunda Guerra Mundial.

Ohno foi um engenheiro mecânico e industrialista japonês que ficou conhecido por suas contribuições à área, integrando o panteão de estudiosos conhecidos como gurus da qualidade.

Nascido na China de pais japoneses, ele entrou para a Toyota ainda jovem, com 20 anos, e lá permaneceu até sua aposentadoria 46 anos depois.

Quais são as principais características do Sistema Toyota de Produção?

Uma das principais características defendidas pelo Toyotismo é a manutenção de fluxos produtivos simples e diretos, que corta atividades redundantes e gargalos na produção.

Esse processo diminui significativamente o tempo de espera, enquanto paralelamente diminui os estoques para cortar gastos de armazenamento.

Todas essas ações acontecem de maneira concomitante, seguindo um método científico que usa do planejamento e da inspeção para garantir uma cultura de melhoria contínua.

Principais pilares do Sistema Toyota de Produção

O Sistema da Toyota funciona como uma metodologia ampla, que usa de algumas ferramentas específicas para atingir seu objetivo.

A seguir você conhece algumas delas:

Poka-Yoke

Esse é o nome dado à técnica utilizada para garantir que a mercadoria que sai das fábricas será “à prova de erros” – essa é, inclusive, a tradução do termo japonês.

Criado por Shigeo Shingo, o Poka-Yoke funciona na prática como um dispositivo que busca evitar a ocorrência de defeitos na fabricação ou utilização do produto.

Para isso, cria automatizações capazes de alertar o trabalhador por meio de aviso sonoro ou luminoso e até mesmo parar os equipamentos para que o erro seja corrigido.

Jidoka

Também focado no controle de qualidade, o Jidoka pode ser traduzido como “automação com toque humano”.

A ferramenta propõe uma autonomia para que as máquinas possam não só verificar os erros como também soar alarmes ou paralisar a produção se for o caso.

Kaizen

O conceito de Kaizen é comumente traduzido para o português como “mudar para melhor”.

A técnica defende a perspectiva de que absolutamente tudo pode ser melhorado, propondo assim a manutenção de uma cultura de melhoria contínua dentro da produção.

Kanban

Um dos princípios do Toyotismo é ter estoques mínimos, o que exige uma sincronização da produção para que não haja grandes momentos de espera.

Nesse sentido, o Kanban surge como a ferramenta utilizada para sinalizar o fluxo de trabalho entre uma etapa e outra, indicando para as partes interessadas assim que puderem desempenhar suas funções.

Sistema Toyota de Produção e Taylorismo

Em pouco tempo, o Sistema Toyota de Produção ganhou o mundo e passou a influenciar na criação de sistemas de produção nos quatro cantos do globo.

Nos Estados Unidos, o engenheiro de produção Frederick Taylor foi responsável por criar o Taylorismo – também conhecido como Administração Científica.

O método de Taylor se diferencia do Toyotismo por dar ênfase ao rendimento individual e não ao trabalho em grupo.

Na América, também foi verificada a necessidade de manter grandes estoques, especializar as funções e fazer inspeções apenas ao final da produção.

Conclusão

De origem japonesa, o Sistema Toyota de Produção ganhou o mundo desde sua criação e serve de inspiração para empresas dos mais diversos segmentos.

O que começou como uma iniciativa de Taiichi Ohno para alavancar os resultados da montadora, se tornou o ponto de partida para uma verdadeira revolução industrial.

Com foco na redução dos desperdícios e melhoria contínua da qualidade, o Toyotismo permanece sendo utilizado com sucesso nos dias de hoje.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

[index]
[index]
[523.251,659.255,783.991]
[523.251,659.255,783.991]
[523.251,659.255,783.991]
[523.251,659.255,783.991]
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d<c.length;d++){var e=c[d]
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d<c.length;d++){var e=c[d]