Afinal, quais são as principais ferramentas da qualidade?

As empresas buscam a excelência em suas atividades, pois somente assim poderão prestar serviços ou fornecer produtos realmente interessantes para os clientes. Isso é fundamental para ganhar um diferencial competitivo e se destacar perante a concorrência, que é cada vez mais acirrada.

É em meio a esse cenário que as ferramentas de qualidade ganham destaque. Utilizando-as, é possível obter resultados mais positivos para os processos produtivos da organização.

A seguir, vamos explicar o que são e quais são as principais ferramentas da qualidade. Continue conosco e fique muito bem informado sobre esse assunto tão importante!

Nova Apostila White Belt

Apostila totalmente gratuita para nossos alunos obterem uma experiência ainda melhor enquanto fazem o curso de Lean Six Sigma White Belt; ela conta com ilustrações próprias, identidade visual da escola e nova diagramação para melhor compreensão do conteúdo pelo aluno!





Capa Nova Apostila White Belt

O que são ferramentas de qualidade e como elas funcionam?

As ferramentas de qualidade são metodologias ou técnicas utilizadas para identificar problemas e propor soluções a eles. Elas podem ser utilizadas em todas as áreas de uma empresa, com o objetivo de fazer com que o trabalho executado tenha mais qualidade.

Para utilizar essas ferramentas, também é importante que a organização conheça cada uma delas a fundo e veja quais são as mais indicadas para o negócio. Não é recomendado usar uma ferramenta que não esteja de acordo com a realidade e a cultura da empresa, por exemplo.

Também é importante que os gestores das empresas conheçam os recursos tecnológicos necessários para utilizar as ferramentas de forma correta. Isso se justifica porque os erros nos cálculos e registros das ferramentas podem fazer com que elas não sejam bem desenvolvidas.

Quais são as principais ferramentas de qualidade existentes?

Entre as principais ferramentas de qualidade, destacamos 7 que servem para empresas de todos os segmentos. Conforme explicamos, não é necessário aplicar todas elas na sua empresa. Escolha as que fizerem mais sentido para o seu negócio. Veja abaixo!

Fluxograma

O fluxograma nada mais é do que um diagrama em forma sequência que demonstra graficamente os fluxos de trabalho. Ele é simples e direto e deve orientar os colaboradores para que entendam todas as etapas de um processo.

Em uma indústria, por exemplo, o fluxograma demonstra cada etapa da linha de produção pela qual um produto passa até ser finalizado e poder ser comercializado.

Também é possível fazer um fluxograma de equipes, mostrando qual colaborador é responsável por qual etapa de um projeto na organização. Essa representação gráfica pode ser fixada em murais e em locais de grande circulação na empresa, para que todos tenham acesso a esse importante documento.

Cartas de controle

As cartas de controle são conjuntos de pontos ordenados em uma linha. Geralmente o eixo horizontal do gráfico demonstra os dias de um mês e as linhas traçadas em forma de curva demonstram a produção de cada uma dessas datas.

O objetivo das cartas de controle é fazer com que o gestor tenha uma visão ampla dos processos e possa tomar medidas, caso seja necessário aumentar a produtividade dos colaboradores, por exemplo.

Se for percebido, por exemplo, que em determinado dia da semana a produção caiu muito em relação aos demais, deve-se verificar o que ocorreu para que isso acontecesse.

Diagrama de Ishikawa

Conhecido também pelo nome de diagrama de causa ou de efeito de espinha de peixe, o diagrama de Ishikawa estrutura de forma hierárquica os motivos que fazem com que um problema aconteça na organização.

Assim, é possível ter uma visão detalhada das situações negativas da empresa e pode-se tomar as medidas cabíveis para resolver os problemas na melhor maneira.

Histograma

O histograma, ou diagrama de distribuição de frequências, é representado graficamente em forma de colunas. Ele serve para registrar variáveis que se relacionam uma com a outra, como a frequência e a média de intervalos de classe, por exemplo.

Diagrama de Pareto

O diagrama de Pareto é uma ferramenta que serve para reconhecer relações de causa e consequência. A ideia é utilizá-lo para que a empresa possa detectar facilmente as suas falhas e, assim, propor soluções rápidas, mantendo a qualidade.

O princípio de Pareto prega que 80% das consequências que algo gera são decorrentes de 20% de causas ocorridas. Essas causas precisam ser identificadas pela organização.

Diagrama de dispersão

O diagrama de dispersão representa uma duas ou mais variáveis, que são organizadas graficamente, de modo que uma esteja em função da outra. A ideia é fazer um estudo para verificar como a qualidade e a produtividade da empresa podem ser melhoradas.

Também existe a possibilidade de incluir uma relação de causa entre essas variáveis, para que se possa identificar a raiz dos problemas.

Folha de verificação

A folha de verificação é uma das ferramentas de qualidade mais simples de implementar, e também uma das mais utilizadas nas empresas, justamente por conta da facilidade de uso que oferece.

A ideia é que a folha de verificação tenha uma tabela com as etapas de um processo produtivo. De tal forma, os trabalhadores da empresa devem preenchê-la, de acordo com o desenvolvimento das atividades.

Caso ocorra alguma irregularidade em alguma etapa do processo, ela deve ser anotada. Assim, é possível prevenir erros em situações futuras e o gestor poderá ter uma visão completa de tudo o que se passa na organização.

Como um software de gestão pode auxiliar na utilização dessas ferramentas e aumentar a qualidade?

Investir em um software de gestão pode ajudar as empresas a fazerem melhor uso das ferramentas de qualidade. Logo,  as empresas podem aumentar a qualidade dos serviços e produtos que oferecem. A ideia é que o programa possibilite um maior controle de tudo o que se passa na organização e, assim, sirva como fonte de alimentação para os gráficos e representações gerados.

A Escola EDTI promove diversos cursos voltados para a melhoria de processos. Portanto, se você deseja aprender mais sobre ferramentas de qualidade, aproveite para se inscrever nos nossos cursos!

Assim, se você gostou deste artigo, sugerimos que continue aprofundando seus conhecimentos lendo nosso artigo sobre planejamento e controle da produção, que explica o que é PPCP. Ele traz informações relevantes sobre esse assunto e permite compreender melhor como funciona o Planejamento e Controle da Produção, algo que está diretamente ligado à qualidade.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.